Cardeal Sarah: padres que não denunciam políticas como aborto e “casamento” homossexual são recusados por Deus

Cardeal Robert Sarah,
presidente do Pontifício
Conselho Cor Unum

O Cardeal Robert Sarah, presidente do Pontifício Conselho Cor Unum, ensinou que os religiosos que se abstém de combater a imoralidade da sociedade moderna, especialmente as políticas pro-aborto e anti-familia como o casamento” homossexual, receberão a condenação do próprio Deus, informou LifeSiteNews.

A homilia foi pronunciada no dia 25 de junho durante uma cerimônia de ordenação de novos sacerdotes e diáconos na casa de formação da Fraternidade de São Martinho, em Candé-sur-Beuvron, Vale do Loire, França.

“O sacerdote, disse o Cardeal, deve ser exclusivamente um homem de Deus, um santo ou um homem que aspira à santidade (…) renunciando a brilhar nos assuntos em que os cristãos não têm necessidade alguma dele. (…) ele é verdadeiramente “Ipse Christus, o próprio Cristo”, (…)

“Com efeito, nós vivemos num mundo onde Deus está cada vez mais ausente e onde nós não sabemos mais quais são nossos valores e nossos pontos de referência. Não há mais referências morais comuns.

Não se sabe mais o que é ruim e o que é bom. Há uma multidão de pontos de vista. Hoje se chama de branco aquilo que ontem era chamado de negro, ou vice-versa.

“O mais grave não é se enganar, mas transformar o erro em regra de vida. Neste contexto, enquanto sacerdotes, pastores e guias do Povo de Deus, vós deveis ter a constante preocupação de ser sempre fiéis e leais à doutrina de Cristo. (…)

Se nós temos vergonha de denunciar os desvios graves em matéria de moral, se nós nos acomodamos a este mundo feito de relaxamento dos costumes, de relativismo religioso e ético, se nós temos medo de denunciar as leis abomináveis da nova ética mundial, sobre o casamento, a família, em todas suas formas, o aborto, leis em total oposição às leis da natureza e de Deus e que os governos das nações e as culturas ocidentais promovem por meio da mídia e os poderes econômicos, então as palavras proféticas de Ezequiel cairão sobre nós como uma grave repreensão divina:

lho do homem, profetiza contra os pastores de Israel; dize-lhes, a esses pastores, este oráculo: eis o que diz o Senhor Javé: ai dos pastores de Israel que só cuidam do seu próprio pasto. Não é seu rebanho que devem pastorear os pastores? Vós bebeis o leite, vestis-vos de lã, matais as reses mais gordas e sacrificais, tudo isso sem nutrir o rebanho. Vós não fortaleceis as ovelhas fracas; a doente, não a tratais; a ferida, não a curais; a transviada, não a reconduzis; a perdida, não a procurais; a todas tratais com violência e dureza”. (Ez 34, 2-4)”.

O cardeal guineano, acrescentou a agência LifeSiteNews, está à frente do ‘Cor Unum’, órgão da Santa Sé para as obras de caridade, visa uma reestruturação radical dos programas de ajuda internacional católica, notadamente os ligados a instituições como Caritas.

Estes vêm sendo muito criticados pela perda de identidade católica e pela adoção de uma mentalidade mundana que ignora as necessidades espirituais dos beneficiados. Não raras vezes promovem valores opostos ao catolicismo, inclusive a legalização do aborto e das aberrantes uniões homossexuais, escreveu a agência.