Católicos de Chicago rezam do lado de fora da catedral na sexta-feira para protestar contra o fechamento da igreja durante o coronavírus.

Shopping Centers, sim. Igrejas, não? As igrejas são “essenciais”

Informa lifesitenews: “A organizadora do evento, Lisa Bergman, disse que se os shopping centers e as lojas de bebidas estando abertos, as igrejas também deveriam estar”.

“Católicos de toda a Arquidiocese de Chicago reuniram-se em oração fora da Catedral de Santo Nome, no lado norte próximo da cidade, ao meio-dia de hoje, em um esforço para aumentar a conscientização sobre como as igrejas são e devem ser tratadas como “Essencial” durante o surto de COVID-19 (vírus chinês)”.

Governador pró aborto de Chicago também manda fechar as igrejas

“Como outras grandes cidades, Chicago está reprimindo reuniões públicas de qualquer tipo desde que o governador do Illinois, pró-aborto, JB Pritzker, emitiu sua ordem executiva em 21 de março.

“O arcebispo de Chicago, cardeal Blase Cupich, fechou todas as escolas e igrejas e proibiu “qualquer celebração pública, mesmo fora, incluindo as estações da Cruz ao vivo na sexta-feira”.

A organizadora do protesto pacífico, Lisa Bergman, “disse que esperava que a polícia aparecesse e que estava disposta a ir para a cadeia se o fizessem, mas que não teve problemas durante o tempo que passou fora da catedral”.

A Igreja sempre esteve na linha de frente no combate à epidemias. Menos nessa pandemia do coronavírus

Alimento e medicina para a Alma. Em frente à Catedral de Chicago.

“Em sua carta, ela argumenta que não é razoável ou honesto dizer que shopping centers, lojas de bebidas, cafeterias e outras empresas devem estar abertas enquanto “não podemos permitir que um número menor de pessoas dentro de uma igreja”.

“”Ao longo da história, quando a praga e a destruição ocorreram, os cristãos foram os que correram em direção a ela, cumpriram o chamado do Evangelho, cuidaram dos doentes … mas agora nos dizem que a Igreja não é essencial” Ela explica”. (1)

                                                *  *  *

Em dois mil anos da Igreja Católica a hierarquia e os fieis sempre estiveram na linha de frente face a qualquer calamidade, epidemia, peste. Vamos a um exemplo apenas.

SANTA MARIANNE COPE (1838-1918)

Professou em 1860, eleita Superiora Geral da Congregação em 1873, nesse mesmo ano foi chamada a Honolulu pelo Rei do Havai para cuidar do grande número de leprosos no Reino do Havai.

Em 1888 mudou-se para a ilha de Molokaʻi, onde se situava o asilo para leprosos de Kaulapapa, para assistir São Damião de Veuster, SS.CC., nos seus últimos meses de vida e para continuar os seus trabalhos de assistência aos leprosos.

Em 1885 recebeu a condecoração de Dama Companheira da Real Ordem de Kapiʻolani pelos seus serviços, das mãos do Rei Kalākaua.

Com a morte de Veuster em 1889, Cope foi chamada a Honolulu para regressar a Syracuse, mas recusou-se a abandonar os leprosos e fixou morada em Kaulapapa, onde morreu em 9 de agosto de 1918.  (2)

  • * * *

A Igreja é a Jerusalém celeste, sem ruga nem mácula, porque é a Esposa Mística de Cristo. Entretanto, sua parte visível, o Clero adotou uma posição naturalista face ao coronavírus e de subserviência ao Poder Civil.

Nunca, em toda a sua história, houve tamanha deserção. Uns poucos sacerdotes corajosos vão a estacionamentos atender confissões, distribuir medalhas.

Passamos a Semana Santa sem que o orbe católico pudesse venerar e acompanhar as Cerimônias da Paixão de Morte de Nosso Senhor.

(1) https://www.lifesitenews.com/news/chicago-catholics-pray-outside-cathedral-to-show-churches-must-be-considered-essential-during-covid-19

(2) https://pt.wikipedia.org/wiki/Marianne_Cope

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta