Como ajudar aqueles que se contentam com pouco … Putin, o novo Constantino?

2

Não faltam, nos meios conservadores — graças a Nossa Senhora, poucos no Brasil — os iludidos com Putin, melhor diria, com certas atitudes de Putin. E a midia sabe a quem dar publicidade …

Não foi diferente o “fenômeno” Hitler, — o novo cruzado –, dizia a propaganda, que iria esmagar o comunismo.

os católicos vencerão desfraldando inteiro o estandarte católico, e não ocultando-o sob as dobras de doutrinas políticas equívocas.”

Se você não se contenta com pouco … medite essa lição da História que nos ensina como foi possível lançar a falsa opção nazismo (e fascismo) contra o comunismo. Satanás não é inimigo de Belzebú.

A grande arma do demônio é a confusão: Hitler seria o campeão contra a dissolução

Explica o Prof. Plinio:

“Sempre que o demônio está na iminência de perder uma partida, sua grande arma é a confusão.
Utilizou-a ainda desta vez. A História talvez diga, algum dia, em que antros o plano tenebroso se forjou.
Mas o fato é que para atender aos anseios das massas sedentas de civilização cristã, apareceu na Alemanha um partido, logo copiado em outros lugares, que se propunha a implantar um novo mundo cristão.”
A propaganda lançava assim a figura do nazismo: “… movimento místico-heróico, propugnador das tradições da Alemanha cristã e medieval, contra a dissolução demagógica e corruptora da propaganda bolchevista.

A mesma propaganda se faz, em nossos dias, em torno da figura de Putin.

Ele é apresentado, por uma hábil e custosa propaganda como o novo Constantino, contra a dissolução dos costumes, no Ocidente.

Também é apresentado como sendo o campeão contra o globalismo.

  • Onde estão as provas, os atos concretos?
  • Putin condenou os erros da URSS?
  • Putin fez a tão necessária Nurenberg do comunismo russo?
  • Como é o aborto na Rússia?
  • Como é a liberdade da Igreja Católica na Rússia?

Doutrina confusa para iludir os bons

Continua o Prof. Plinio:

“Os termos meramente negativos da doutrina nacional-socialista correspondiam em vários pontos ao que sentia de mais vivo a consciência cristã, indignada com o enfraquecimento do princípio de autoridade, da ordem, da moral e do direito.
“Mas se se atentasse para o lado positivo dessa ideologia, lado que só aos poucos a maquiavélica propaganda parda revelava aos “iniciados”, que terrível decepção! Ideologia confusa, impregnada de evolucionismo e materialismo histórico, saturada de influências filosóficas e teológicas pagãs, programa político e econômico radical e caracteristicamente socialista, intoleráveis preconceitos racistas. Em uma palavra, por detrás dos bramidos anticomunistas do nazismo, era o próprio comunismo que se pretendia instaurar. Um comunismo ardiloso, de máscara cristã. Um comunismo mil vezes pior, porque mobilizava contra a Igreja as armas satânicas da astúcia, em lugar das armas impotentes da força bruta. Um comunismo que começava por empolgar os espíritos por algumas verdades, punha-os em delírio sob pretexto de entusiasmo por essas verdades, e os atirava em seguida aos erros mais terríveis. Um comunismo, portanto, que significava, não a obliteração dos maus, mas dos bons, a mais terrível máquina de perdição e de mistificação que o demônio tenha engendrado ao longo da História.

Convidamos nossos leitores a fazerem as analogias com a propaganda que se faz em torno da figura de Putin: o “novo Constantino” contra a corrupção, contra a decadência do Ocidente.

Em nome dessa propaganda é permitido a Putin anexar a Criméia, em 2014 e invadir a Ucrânia em 2022.

Quais seriam as Nações a serem invadidas a fim de restaurar nelas a “ordem” putiniana?

As direitas falsas não suportam a luz da Santa Igreja

“Tal é o peso da verdade, tão duro é o fardo do bem, que infelizmente muitos espíritos, embora sinceramente católicos, se deixaram transviar pela manobra [nazista].

“Não tinham aquela fome e sede de justiça, que é a raiz da santa intransigência. Não tinham aquele apetite de Catolicismo pleno, que os faria rejeitar como elemento impuro qualquer liga com os fermentos do século.

“As coisas muito acentuadamente católicas, declaradamente católicas, exclusivamente católicas, lhes pesavam como o sol fere a vista das aves noturnas. Preferiam as formas pálidas, diluídas, indiretas, de irradiação católica, como os mochos preferem a luz da lua. E se entregaram de corpo e alma a essas tendências de caráter nitidamente anticatólico.

“Na Itália, como na Alemanha, como em outros lugares, uma coorte de ingênuos, de desavisados, de pessoas entretanto bem intencionadas, se deixou embair e arrastar de roldão com facínoras e aventureiros de toda sorte. E só Deus sabe com que furor, com que iracúndia, com que abundância de ameaças se atiravam contra os irmãos de crença que se permitiam o luxo de ser mais penetrantes, mais perspicazes, mais enérgicos na defesa da Fé.”

[Aqui o Prof. Plinio está se referindo à campanha movida pelos nazifascistas brasileiros contra o Legionário, do qual era Diretor. Esse semanário publicou mais de mil artigos denunciando as manobras das pseudo-direitas]

A Grande Lição da História: somente o Catolicismo é apto a reformar a sociedade

“Mas, como dissemos, desse passado ainda quente, se desprende uma grande lição. É inútil querer fazer sem a Igreja ou contra a Igreja, sem a Hierarquia ou contra ela, a obra de Deus. “Enquanto o Senhor não edificar a casa, trabalharão em vão os que a constroem. Enquanto Ele não proteger a cidade, velarão inutilmente os que a guardam ( Sl. 126, 1 ).

[O Prof. Plinio escreve esse artigo em 1945, no Ponfiticado de Pio XII. Ele reafirma o princípio de que fora da Igreja não há regeneração social.]

“O mundo não pode ser salvo por formas diluídas de Cristianismo, ou por sistemas que representem uma etapa comodista ou preguiçosa nas sendas da restauração da Cristandade. Nosso “leitmotiv” deve ser o de que para a ordem temporal do Ocidente, fora da Igreja não há salvação. Civilização católica, apostólica, romana, totalmente tal, absolutamente tal, minuciosamente tal, é o que devemos desejar. A falência dos ideais políticos, sociais ou culturais intermediários está patente. Não se pára no caminho de volta para Deus: parar é retrogradar, parar é fazer o jogo da confusão. Nós só queremos uma coisa: o Catolicismo completo.”

“Esta a grande verdade que o fracasso do totalitarismo revela. (…) Do passado, não trazemos nem queixas nem ressentimentos, mas apenas a convicção da vitória desta tese, que deve ficar: os católicos vencerão desfraldando inteiro o estandarte católico, e não ocultando-o sob as dobras de doutrinas políticas equívocas.”

Conclamando os católicos à luta contra o bolchevismo

O Prof. Plinio mostra que, derrotado o nazifascismo (1945), é a hora de lutar contra a hidra comunista.

“Aí está diante de nós, hiante, o grande problema do comunismo. Mais uma vez, e com uma acuidade maior do que nunca, exige-se a luta contra a hidra que representa, tanto quanto o nazismo, a quinta-essência do espírito da Revolução.

Por fim, o meu Imaculado Coração triunfará!

“Os católicos devem unir-se diante do adversário comum, esquecidas todas as queixas e todos os ressentimentos, e, consoante o ensinamento de Pio XI, devem aceitar a leal colaboração de todos os homens dignos, que estejam sinceramente empenhados na luta contra o totalitarismo rubro.

[Estamos aplicando o princípio da união do Ocidente contra a China comunista e o falso tradicionalismo de Putin]

“Mas o segredo da vitória da Igreja consiste precisamente nisto: em renunciarmos aos ideais intermediários, e, ligados a todos os que nos ofereçam sua cooperação, vencer a hidra bolchevista com a única arma que a esmagará — a Cruz, que representa a Igreja de Deus e as mais antigas e legítimas tradições da civilização cristã. “In hoc signo vinces”, disse uma Voz a Constantino num momento em que parecia incerta a sorte das armas.

“Essa Voz não se calou durante quinze séculos [após Constantino], e ainda hoje é a mesma a sua mensagem para o mundo.”

Concluindo …

Rezemos e apoiemos a causa da Ucrânia contra a invasão russa. Nossos maiores inimigos de hoje são a China de Xi Jinping e a falsa reação liderada por Putin.

Quanto ao Ocidente, carcomido e carunchado pela IVa. Revolução, pela dissolução moral será ele purificado pela penitência, pelo sofrimento, pelo profundo arrependimento; e quando aprouver à Providência obter a consagração da Rússia ao Imaculado Coração de Maria, virá a restauração daquela grande Nação e seu contributo para o Reino de Maria.

In hoc signo vinces.

Fonte: https://www.pliniocorreadeoliveira.info/LEG_450513_AEXPERIENCIADE10ANOSDELUTA.htm#.YiLoenrMKHs

2 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta