Conservadores querem revogar aborto (Roe v. Wade) nos EUA

0

22 de julho de 2021 (LifeSiteNews) – O Mississippi apresentou oficialmente seu relatório à Suprema Corte dos Estados Unidos na quinta-feira em defesa de sua lei que proíbe o aborto em 15 semanas de gravidez, na qual defende que a mais alta corte do país deveria aproveitar a oportunidade para finalmente derrubar Roe v. Wade.

Reverter a decisão Roe v. Wade

O Tribunal anunciou em maio que iria ouvir Dobbs v. Jackson Women’s Health Organization, que diz respeito à lei HB 1510 do Mississippi que proíbe abortos cometidos nas últimas 15 semanas por qualquer motivo que não seja emergências médicas físicas ou anormalidades fetais graves. Após sua promulgação em 2019, a lei foi temporariamente bloqueada, sendo então declarada inconstitucional pelo 5º Tribunal de Justiça.

Diz a notícia: “O tribunal federal de apelação alegou que uma “linha contínua datando de Roe v. Wade”, a decisão de 1973 que impôs a todos os 50 estados o “direito” ao aborto pré-viabilizado, mas essa “linha contínua” é exatamente o que os ativistas pró-vida há muito tempo esperavam desafiar.”

“Nada no texto constitucional, na estrutura, na história ou na tradição apóia o direito ao aborto”, declara a petição do Gabinete do Procurador-Geral de Missisppi, antes de fazer o que chama de um caso “esmagador” para anular o “flagrantemente errado” de Roe , junto com Planned Parenthood v. Casey de 1992 (que abriu a porta para alguns regulamentos sobre o aborto enquanto reafirmava o “direito” de abortar em si).

Cresce o movimento pró Vida


“Ignorar Roe e Casey torna a resolução deste caso simples”, conclui o argumento. “A lei do Mississippi aqui proíbe o aborto após 15 semanas de gestação, com exceções para emergência médica ou anomalia fetal grave. Essa lei promove racionalmente interesses válidos na proteção da vida em gestação, da saúde da mulher e da integridade da profissão médica. Portanto, é constitucional. Se este Tribunal não anular o regime de escrutínio intensificado de Roe e Casey completamente, deve, no mínimo, considerar que não há barreira de pré-viabilidade para proibições estaduais sobre o aborto e respeitar a lei do Mississippi. ”

“Muita coisa mudou em cinco décadas”, disse a advogada do Mississippi, Lynn Fitch, em um comunicado à imprensa. “Em 1973, havia pouco apoio para as mulheres que desejavam uma vida familiar plena e uma carreira de sucesso. A licença maternidade era rara. A licença-paternidade era algo inédito.”

***

O aborto é uma violação da Lei de Deus, contrário à Lei Natural. Deveria ser proibido em qualquer fase da gestação. Não matarás, diz o Mandamento.

Nossa Senhora de Guadalupe, Padroeira das Américas ajude essa iniciativa pró Vida, ilumine a Suprema Corte a revogar de uma vez por todas a Roe v. Wade que ceifou milhares e milhares de inocentes nos EUA. Vetar o aborto, pela Corte máxima americana seria um duro golpe nas esquerdas e uma alegria para todo o movimento pró Vida em todo o Mundo.

E o mesmo desejamos, ardentemente, para o nosso Brasil.

Fonte: BREAKING: Mississippi files brief calling on Supreme Court to overturn Roe v. Wade | News | Lifesitenews

Deixe uma resposta