A psicóloga Rosely Sayão apontou uma realidade preocupante: hoje as crianças não sabem brincar! E indicou os dois motivos principais: 1º.) Os pais acham que basta comprar brinquedos. 2º.) As crianças não têm verdadeiras oportunidades para brincar. “Vamos reconhecer, sem tempo livre para nada fazer e com o direcionamento direto de adultos, as crianças nunca aprenderão a brincar”, escreveu. A criança brinca ser aquilo que ela um dia acabará tentando realizar. Uma criança que não brinca prenuncia uma pessoa sem iniciativa nem criatividade. Outra causa da inibição do desenvolvimento das crianças não será a dramática redução da natalidade, que deixa os pequenos sem irmãos, primos e amigos?

Fonte: Revista Catolicismo_Outubro 2011

COMPARTILHAR
Artigo anteriorVideogame e cocaína. Qual a relação?
Próximo artigoDe Anchieta ao CIMI, a torpe inversão
Catolicismo é uma revista mensal de cultura que, desde sua fundação, há mais de meio século, defende os valores da Civilização Cristã no Brasil. A publicação apresenta a seus leitores temas de caráter cultural, em seus mais diversos aspectos, e de atualidade, sob o prisma da doutrina católica. Teve ela inicio em janeiro de 1951, por inspiração do insigne líder católico Plinio Corrêa de Oliveira.

1 COMENTÁRIO

  1. Esta menção: “Outra causa da inibição do desenvolvimento das crianças não será a dramática redução da natalidade, que deixa os pequenos sem irmãos, primos e amigos?” pode não ser a
    causa, ou mais uma que inibe o desenvolvimento das crianças, mas os espaços dentro de casa ou apartamento em que vivem também. Não se brincam na rua, nas praças e quando brincam, o fazem somente com crianças controladas para não se machucarem, não brigarem, etc. Não está havendo socializações entre as mesmas crianças. Retire o prefixo “DES” da palavra desenvolvimento e percebam que restou “envolvimento” – é o que falta aos pais, se envolverem mais na educação, nas brincadeiras, na socialização dos filhos com filhos de seus vizinhos. Residi em um condominio e minha esposa, especialista em educação, percebendo esta lacuna na vida das crianças (pois elas não sabiam brincar) criamos um clubinho local e foi tão criticado que deixamos de desenvolvê-lo e passamos a frequentar um clube. Joguinhos coletivos ajudam a formar crianças socializando-as pelas regrinhas existentes. E as crianças devem obedece-las. Sem brincadeiras, suas regras e envolvimentos, também não haverá desenvolvimento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome