Muito sadia e oportuna a manifestação de refugiados cubanos, no Chile, que protestam contra o comunismo, pedindo a rejeição do Plebiscito que mudará a Constituição nos rumos da esquerda.

Notícia de Panampost, 28 de fevereiro: “Viva a liberdade de expressão!” Cubanos que vivem no exílio se juntam às marchas que se opõem ao comunismo de Cuba”. (foto ao lado)

OEA denuncia a mão de Cuba nos protestos do Chile

Na sequencia de protestos ocorridos no Chile a “Organização dos Estados Americanos (OEA) também denunciou a desestabilização instigada de Havana e Caracas em toda a América do Sul.

“Consequentemente, aqueles que sofreram o comunismo (cubano) e fugiram para o Chile em busca de liberdade tomaram as ruas para defender a liberdade de expressão, algo que não é respeitado em Cuba”.

Reforma da Constituição Chilena nos moldes de Cuba? Marchas de anticomunistas contra o Plebiscito de Reforma da Carta Magna

“A constituição chilena pode ser alterada no estilo do socialismo do século XXI através de uma Assembléia Constitucional.

“Confrontados com esse risco, cubanos que vivem no exílio no Chile lideraram uma das marchas que rejeitaram o plebiscito. Eles fizeram isso homenageando Armando Sosa Fortuny, o prisioneiro político que sofreu mais anos em uma masmorra de Castro e morreu sem recuperar sua liberdade após 43 anos de prisão por confrontar a tirania comunista que subjugou Cuba por mais de meio século” .

O presente de Cuba não se torne o futuro do Chile

“Milhares de pessoas marcharam contra a assembléia constituinte proposta pela esquerda. A marcha também destacou a causa da liberdade cubana através do martírio de Armando Sosa Fortuny.

O comunicado emitido pela Ação Solidária Sosa Fortuny, um grupo, “criado para uma luta cívica contra uma tomada comunista no Chile, liderou recentemente uma manifestação em frente à Embaixada cubana em Santiago do Chile para protestar contra a morte de Sosa Fortuny”.

Agentes comunistas cubanos instigam os protestos chilenos contra o governo

Declarações de Enrique García, ex-funcionário da Direção Geral de Inteligência (DGI) do Ministério do Interior cubano, diz que os carrascos de Fortuny estão agora presentes no país mais próspero da região, o Chile.

“Em entrevista ao jornal chileno El Líbero, ele afirmou que há “uma rede” para desestabilizar o Chile dirigida pelo “serviço de inteligência cubano e o chefe do serviço de inteligência cubano no Chile é Warner Lores Mora”, que aparece nos dados dos Serviços Consulares chilenos como cônsul cubano no sul do país, que ele chegou um mês depois de Sebastián Piñera assumir seu segundo mandato”.

  • * * *
  • Mais uma razão para incentivar a Reação Conservadora Anticomunista no Brasil que lotou nossas cidades a partir de 2015. Conseguimos o impeachment de Dilma Roussef e a derrota eleitoral do PT nas urnas, em 2018.
  • O melhor de nossa Reação Conservadora é que ela continua atuante, combativa e vigilante na defesa do Brasil.
  • E promete uma grande manifestação anticomunista no próximo dia 15.
  • Nossa Senhora Aparecida abençoe, proteja e guie a Terra de Santa Cruz.
  • Fonte: https://panampost.com/mamela-fiallo/2020/02/28/cuban-refugees-communism-chile/

Deixe uma resposta