Eles prometem mas não se comprometem.

Senadores Pedro Taques (PDT/MT ) e Eunício Oliveira (PMDB/CE)

Por que os políticos não gostam de ser claros em suas opiniões na hora de pedir o seu voto?

E preferem pautar seus discursos naqueles temas de sempre, que eles já sabem que não farão absolutamente nada?

Transporte, segurança, educação, habitação… e aquela ladainha que você está cansado de ouvir.

Por que eles dizem uma coisa diante das câmeras e depois fazem outra quando são eleitos? Numa traição clara ao seu voto?

Veja esta agora.

O presidente da Comissão de Constituição e Justiça do Senado (CCJ) e da Comissão Especial da Reforma do Código Penal, Senador Eunício Oliveira (PMDB-CE), decidiu que alguns temas polêmicos que estão no Anteprojeto do Novo Código Penal só sejam discutidos após as eleições. (Jornal o Povo)

Ou seja, durante o período de campanha, o melhor é não emitir opiniões sobre as matérias gravíssimas que estarão em questão nos próximos meses e sobre as quais cada brasileiro precisa conhecer a opinião clara daqueles em quem vão votar.

E quais temas seriam esses? Citemos alguns:

– legalização do aborto; o que pensam os candidatos a prefeito de cada município? Você já pesquisou o seu? Agora é fácil, entre no Google e saiba tudo sobre aquele que quer o seu voto. Não tem mais desculpa votar no escuro.

Experimente também entrar no site do candidato e perguntar o que ele pensa sobre o ABORTO. E não espere resposta… E se algum responder, informe este Instituto. Vamos cobrá-lo depois.

– redução de pena para quem pratica infanticídio (matar o próprio filho após o parto); isso envolve também os vereadores em quem você vai votar. Eles farão leis municipais que podem melhorar nossa segurança.

Entre no site deles e pergunte claramente o que eles pensam. A maior parte não vai te responder. Eles não gostam de se comprometer por escrito.

– penalização da chamada homofobia; essa é uma manobra que esconde por trás uma real perseguição religiosa no país, onde todos aqueles que consideram errado o comportamento homossexual podem ser considerados homofóbicos e, enquanto tais, criminosos.

Ademais, no bojo dessa perseguição, procura-se aprovar o chamado “casamento homossexual” e a adoção de crianças por esses “casais”.

Pergunte ao seu político se ele conhece as recentes pesquisas feitas por cientistas americanos sobre o sofrimento e o trauma de crianças que foram adotadas dessa forma. Provavelmente ele não conhece, não quer conhecer, e… não vai te responder.

liberação do plantio de maconha para uso próprio; uma grande abertura para o tráfico, ao contrário do que se diz. Será que o prefeito que você eleger vai se esforçar para acabar com as “cracolândias” que proliferam em todas as cidades ou, vai dar emprego para eles como plantadores de maconha?

Com essa manobra de sair fora dos temas polêmicos, o Senador Oliveira alega querer evitar que em ano eleitoral “temas que sejam bandeiras” possam prejudicar o andamento dos trabalhos. Ou seja, ele quer uma eleição burra! Com eleitores burros e desinformados. Que elejam políticos que não oferecerão resistência aos temas acima.

Essa é uma manobra de desinformação. Ele não quer o efeito ABORTO, que quase acabou com a eleição da presidente Dilma. E que obrigou os canditados a se posicionarem sobre o tema.

E é justamente o que não pode acontecer, pois nós, eleitores, precisamos saber o que pensam e como irão agir os candidatos em que votaremos.

Os temas são tão polêmicos quanto essenciais à nossa sociedade. O que os senadores irão decidir sobre o anteprojeto de Novo Código Penal irá pautar nossas vidas daqui para frente.

Saber o que os nossos futuros representantes pensam e como se posicionarão diante de questões tão delicadas é o mínimo que pedimos.

Não colocar temas como o aborto, drogas e homofobia em debate é praticamente fazer com que o eleitor vote de olhos fechados, sem saber em quais princípios morais estão alicerçadas as convicções dos candidatos.

Você teria coragem de passar um cheque em branco para quem não conhece?

É exatamente isso que estão nos incitando a fazer com nosso voto. Querem que votemos às cegas num candidato que depois defenderá as ideias que bem entender quando for eleito.

Os “temas polêmicos” que estão no projeto de Novo Código Penal, são os mais importantes a serem discutidos neste momento em que o Brasil está em campanha eleitoral.

Se você concorda com o que foi exposto acima, convido você a entrar no site do Senado e emitir sua opinião sobre o assunto.

Ou telefonar para o gabinete do Senador Oliveira pedindo a ele que se retrate dessa declaração absurda. Que procure a Imprensa para isso.

Clique aqui e preencha o formulário no Site do Senado, ou…

Ligue para (61) 3303-1211 e diga para o Senador que você rejeita a postura dele e que ele tem obrigação de se manifestar em sentido contrário.

 

7 COMENTÁRIOS

  1. O aviso de que o Site do Senado está em reparo e não pode receber as mensagens dos eleitores brasileiros a propósito da discussão dos temas polêmicos relacionados com o Novo Código Penal , parece uma piada. É como se uma pessoa estivesse a regar as plantas do seu jardim debaixo de forte chuva…
    De fato, começou a” chover” mas, protestos dos silenciosos preocupados, do Brasil Autentico que não se deixa enganar por políticos inescrupulosos. Senhores políticos, desconfiai do vossos marqueteiros, o Brasil está mudando e eles tão modernos, ficam apegados ao dia de ontem. Viva o Brasil de amanhã.

     
  2. Curiosamente não consegui contato com o Site do Senado – Deixo pois aqui, a presente mensagem:

    Exmo. Sr. Senador Eunício Oliveira

    Como cearense, portanto conterrâneo de vossa senhoria, venho manifestar minha perplexidade face a tomada de posição de vossa excelência quando do debate recente do Novo Código Penal, conforme noticiou a imprensa de Fortaleza. Não era isso que esperávamos do ilustre presidente da CCJ – Relegar para depois das eleições os temas polêmicos, é uma posição de fraqueza para dizer só isso. E que não passará despercebida por seus eleitores. Nos perguntamos: “Se um fraco Rei faz fraca forte gente”, o que não fará semelhante posição com o Novo Código Penal que daí deveria sair fortalecido e não enfraquecido conforme a boa justiça?

     
  3. Para quem vota em São Paulo, o Cel. Paes de Lira é candidato a vereador pró-vida, DEM, n°25045.

    Infelizmente, para o meu estado do Piauí, não constam nomes de nenhum dos atuais candidatos a vereador ou prefeito como pró-vida. Sendo assim…

     
  4. Nunca escrevi para o senado antes e fiquei meio que sem saber como me expressar.

    Deixo a mensagem que enviei como exemplo para ajudar quem tem a mesma dificuldade:

    Venho me manifestar contra a decisão do senador Eunício Oliveira de deixar para discutir os temas polêmicos contidos no Anteprojeto do Novo Código Penal apenas após as eleições. [Link da matéria no Jornal o Povo]
    Esta decisão é péssima para os eleitores, pois são esses temas polêmicos os mais importantes (entre aborto, homofobia, liberação da maconha…) que ajudarão os eleitores a reconhecerem a linha moral que guia cada partido político e seus candidatos.
    Portanto, se o senhor senador tem a preocupação de os cidadãos escolherem bem seus candidatos, ele deve é promover a discussão de tais temas.

     
  5. O movimento Cidadania Pela Vida – Brasil Sem Aborto lançou a campanha “Municípios em defesa da vida”, que identifica os candidatos pró-vida e demanda que assinem um termo de compromisso, garantindo trabalhar, caso eleito, contra projetos que visem descriminalizar o aborto, disseminar o uso de medicamentos abortivos como a “pílula do dia seguinte”.

    No site do movimento é possível conferir nomes, números e cópia do termo assinados dos candidatos, pesquisando por estado.

    Maiores detalhes: http://oandarilho01.wordpress.com/2012/08/21/campanha-municipios-em-defesa-da-vida/

     
  6. Tudo o que foi dito dos nossos políticos pouco transparente é verdade. Fica então uma pergunta: e nós eleitores o que somos? Gostaria de saber essa verdade muito incomoda.

     

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome