Vai ficando cada vez mais claro que a industrialização psico-político-ideológica da pandemia tem como meta “mudanças sociais anteriormente consideradas impossíveis”. O (então) candidato presidencial Joe Biden (democrata) foi claro: aproveitar a ocasião para mudar a mentalidade.

Soros, o bilionário das causas de esquerda, confessa

“O bilionário de esquerda George Soros indicou que a pandemia de coronavírus abre o caminho para mudanças sociais anteriormente consideradas impossíveis, chamando-a de “a crise da minha vida”. Soros viveu a Segunda Guerra Mundial ainda jovem.” (1)

Featured Image

Soros é um financiador prolífico de causas de esquerda nos Estados Unidos e em todo o mundo, incluindo aborto, eutanásia, controle populacional, “casamento” do mesmo sexo, transgênero e muito mais.”

Também Joe Biden havia afirmado: O pânico midiático do coronavírus cria condições para a esquerda: “Acho que agora temos uma oportunidade de mudar significativamente a mentalidade do povo americano”, disse Biden – “coisas que eles não estavam prontos para fazer nem dois, três anos atrás”.

Recordar, comparar, refletir: características do ser racional

Notou o leitor que palavras mágicas como “liberdade”, “autoderminação dos povos”, “independência” vão ficando de lado? O novo Maestro Mundial (o demiúrgo da Pandemia) desbancou os profetas do pós guerra em que a ONU promovia a descolonização exatamente em nome desses slogans.

Inglaterra, Bélgica, França, Inglaterra e até o nosso avoengo Portugal foram deserdados de suas antigas colônias, recordemos, sempre em benefício do comunismo internacional.

Simultâneamente à campanha descolonizadora da ONU, as Nações Cativas continuaram sob o látego dos ditadores do Kremlin (URSS) formando o maior império escravocrata da História.

Em 2020, “liberdade”, “autodeterminação dos povos”, “independência” foram imoladas no altar da Pandemia cujo Maestro está sedento de Poder, Mando, Controle, em suma da Ditadura Mundial.

Até o Vaticano se bate pela Nova Ordem Mundial

“17 de julho de 2020 (LifeSiteNews) – O Vaticano está dando voz a instituições globalistas, como as Nações Unidas e o Fórum Econômico Mundial, em vista da “ação coletiva” para a reconstrução da sociedade – ou melhor, a construção de uma nova sociedade com muitos tons utópicos.”

A Comissão COVID-19 do Vaticano está promovendo o mesmo tipo de ação: desarmamento global, uma resposta “verde” que envolverá uma profunda mudança na economia na sequência do Laudato si ‘, assistência médica universal e outras “soluções” globais em harmonia com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU (os ODS para 2030).”

Força-tarefa Covid-19 do Vaticano: mudar (socializar) o mundo

“Em uma entrevista publicada em 1 de julho pelo Our Sunday Visitor, pe. Augusto Zampini, secretário assistente do Dicastério do Vaticano para a Promoção do Desenvolvimento Humano Integral e coordenador da força-tarefa COVID-19, usava exatamente o mesmo idioma. “Precisamos de líderes nos setores público, privado e civil para pressionar o botão de reset – para, de uma vez por todas, perceber que a maneira como vivemos nossas vidas até agora não é sustentável”, disse ele.”

E não faltam declarações do Vaticano a favor de um super poder da ONU. Onde ficam, pois, a liberdade, autodeterminação, independência?

O sábio ensinamento de Pio XII: Povo e massa

A Nova Ordem Mudial, impulsionada pelos novos ditadores, transformará o Povo em Massa amorfa.

Analisa o Prof. Plinio o célebre discurso do Pontífice: … “Muitas destas condições haveria que mencionar. A mais essencial delas está em que o povo seja realmente povo e não massa. Pois democracia é governo do povo, e não governo da massa.

“A este respeito, Pio XII, em sua alocução de Natal de 1944, estabelece uma distinção que não há exagero em chamar de genial, e que abre todo um horizonte novo para os estudos de sociologia católica: “Povo e multidão amorfa ou, como se costuma dizer, massa, são dois conceitos diversos.”

Convidamos nossos leitores a fazerem as devidas aplicações à nova ditadura mundial, batizada de Great Reset.

Continua o Papa: “O povo vive e se move por vida própria; a massa é por si mesma inerte e não pode ser movida senão do exterior. O povo vive da plenitude da vida dos homens que o compõem, cada um do quais – em sua própria posição e segundo seu modo próprio – é uma pessoa cônscia das respectivas responsabilidades e convicções. A massa, pelo contrário, espera o impulso do exterior, fácil joguete nas mãos de quem quer que lhe explore os instintos e as impressões, pronta a seguir, alternadamente, hoje esta bandeira e amanhã aquela.”

“Princípios, convicções, movimento próprio” são imolados pelo “Novo Normal”

“Da exuberância de vida de um verdadeiro povo a vida se difunde, abundante, rica, no Estado e em todos os seus organismos, comunicando-lhes, com vigor incessantemente renovado, a consciência de sua própria responsabilidade, o verdadeiro sentido do bem comum”.

“Assim, pois, o primeiro elemento que diferencia o povo da massa é que povo se chama uma comunidade humana em que, todos os homens têm princípios, convicções, movimento próprio, noção clara de seus direitos e deveres; enquanto a massa, constituída de homens vazios de idéias, de princípios, de formação moral, sem nenhuma iniciativa própria têm por única norma a imaginação, que arrasta seus membros num ou noutro sentido, segundo o sopro da demagogia partidária ou oficial.”

O Papa Pio XII indica a nossa defesa face à Ditadura Mundial

“Pio XII menciona em seguida outra distinção entre povo e massa: “Em um povo digno de tal nome todas as desigualdades, derivadas não do arbítrio mas da própria natureza das coisas, desigualdade de cultura, de bens, de posição — sem prejuízo, bem entendido, da justiça e da mútua caridade — não constituem obstáculo para a existência e predomínio de um autêntico espírito de comunidade e fraternidade. Tais desigualdades, longe de ferir a igualdade civil, lhe conferem pelo contrário seu verdadeiro significado que consiste em que, perante o Estado, cada qual tem o direito de viver honradamente a própria existência pessoal, na posição e nas condições em que os desígnios da Providência o colocou”.”

***

Nosso Site já abordou o tema da Big Tech mostrando que não se trata de elite, como a caracteriza Pio XII. ONU, OMS, Bit Tech, Soros ou Bill Gates mataram e substituíram as autênticas elites por forças massificantes.

Confiemos na Divina Providência, no socorro vindo do Céu àqueles que saibam batalhar pela Causa Católica, pela Civilização Cristã nesse século XXI. Os soldados batalharão e Deus lhes dará a vitória, declarou Santa Joana d´Arc ante seus iníquos juízes.

Mais do que nunca vale o princípio: a natureza (humana) violentada pelo Great Reset retornará à galope e receberá a vitória.

“Não temas pequeno rebanho” (nolite timere pusilus grex Lc 12-32): Por fim, meu Imaculado Coração Triunfará, prometeu Nossa Senhora em Fátima.

Fonte

Deixe uma resposta