Dr Plinio e a Cruzada do Século XXI

0

Comemoramos o nascimento do Prof. Plinio em 13 de dezembro. Da grande mídia, alinhada à esquerda, não podemos esperar que dê divulgação ao Simpósio que ora promove o Instituto sobre o seu ideário, à santa missa tridentina ou à ação desse líder católico em defesa da Igreja (contra o progressismo), em defesa do Brasil contra o socialismo e o comunismo.

TFP desfila no Viaduto do Chá, grande coleta pelo Natal dos Pobres, 1970

Para desgosto e desencanto dessa mesma mídia — que inunda os lares e as mentes com sua contínua e obsessiva campanha de medo e pânico a pretexto da Pandemia — continuam a chegar, proveniente dos meios acadêmicos, as teses, monografias, os livros a respeito da obra do Prof. Plinio. Ultrapassam mil títulos.

Ainda que fosse por mero dever patriótico deveriamos comemorar o sucesso internacional de um brasileiro.

O site pliniocorreadeoliveira.info teve o grande mérito de tornar acessível a obra cultural, o pensamento e as campanhas promovidas pelo Dr Plinio. https://www.pliniocorreadeoliveira.info/novidades.asp#.YbaYVL3MKMo

Ação Universitária Católica

Manifesto da AUC, 1930

Desde os bancos universitários, na Faculdade de Direito do Largo de São Francisco, esteve ele à frente da Ação Universitária Católica (1930) — AUC –, seus manifestos e publicações denunciando o fracasso do lacisimo positivista e convidando os jovens acadêmicos para se alistarem sob a Bandeira de Nosso Senhor:

Manifesto Aucista — Em defesa dos mais altos interesses da Igreja, da civilização e da Pátria Brasileira

“Está fundada a Ação Universitária Católica de São Paulo, entidade que se propõe à afirmação, à difusão, à atuação e à defesa dos princípios católicos, não só de estudante para estudante, mas de estudante para a família e para a pátria.”

Ou somos integralmente católicos ou somos traços de união entre o Catolicismo e o bolchevismo“.

É o caso de lembrar que o progressismo dito católico veio a ser esse traço de união com o comunismo, ou a serviço do comunismo. O progressismo gerou, por sua vez, a Teologia da Libertação.

Das páginas da imprensa para as da História

A obra do Prof. Plinio não necessita de apoligistas nem de adjetivos. Ela se impõe nas páginas da imprensa. Seja no Legionário, do qual foi diretor até dezembro de 1947, seja por órgãos como “A Ordem”, “O Século” e outros vemos a análise da luta entre a Revolução e Contra Revolução, a orientação do público visando alertar contra o socialismo, o comunismo, o progressismo nascente.

Mais tarde, a partir de 1951, através da páginas do mensário Catolicismo, vemos o Prof. Plinio abordar, nos artigos de fundo, a formação doutrinária especializada dos leitores. À essa época surgiam grupos de Catolicismo espalhados pelo Brasil: era necessário dar-lhes sólida formação doutrinária e argumentos contra a corrente progressista.

O primeiro artigo de abertura de Catolicismo, no longíquo janeiro de 1951, trazia como título: A Cruzada do Século XX. Sim, o Prof. Plinio almejava a cruzada, adaptada é claro, às condições do século XX.

  • “Na Idade Média, os cruzados derramaram seu sangue para libertar das mãos dos infiéis o Sepulcro de N. S. Jesus Cristo, e instituir um Reino Cristão na Terra Santa.
  • Hoje (1951), corre de novo o sangue dos filhos da Igreja, na Hungria, e na Polônia, como na Checoslováquia e na China. Para que? Para libertar a Cristandade do jugo do anticristo comunista, e restaurar no mundo o Reino de Cristo.
  • Mas o que é o Reino de Cristo, ideal supremo dos católicos, e, pois, meta constante desta folha? É o que procuramos definir na enumeração de princípios, marco luminar de nossa atividade.”

Na “Folha”, secção “Tendências e Debates

Apelo ao Papa Paulo VI contra a infiltração comunista na Igreja. 1600.368 assinaturas

Em 1968, face ao avanço do progressismo nos meios católicos e o perigo — para o Brasil — advindo da pressão esquerdista de eclesiásticos e leigos, lança o Prof. Plinio um abaixo assinado que marcou nossa História: um apelo ao Papa Paulo VI para conter a infiltração comunista nos meios católicos. Personalidades das mais altas no meio eclesiástico brasileiro, governadores, magistrados, oficiais das Forças Armadas e o concurso de 1,6 milhão de compatriotas acorreram ao chamado da TFP.

A convite do então diretor da Folha, Otávio Frias, o Prof. Plinio passa a ser colaborador habitual na secção “Tendências e Debates“. Por vinte e cinco anos os problemas candentes de então eram abordados: estávamos na época em que clérigos de esquerda, bispos declaradamente alinhados com a TL, como D. Helder Câmara, d. Antonio Fragoso, d. José Maria Pires, d. Casaldáliga e outros levavam adiante o pendão do progressismo e do esquerdismo.

Todos, já falecidos. O julgamento da História ai está nos centenas de livros, teses, monografias que nos chegam.

Aliás, progressismo e comunismo andam juntos: “o progressismo visa a realizar na sociedade espiritual reformas de sentido muito análogo às que o esquerdismo tem por meta na sociedade temporal. Isso explica os pontos de convergência existentes entre progressistas católicos e esquerdistas católicos.”

***

Chegamos ao século XXI: a Cruzada continua

O ideal católico de cruzada permanece. Nos últimos anos, assistimos a um ressurgimento conservador em nosso Brasil, que muito tem preocupado as esquerdas brasileiras e internacionais. A derrota do PT, o desencanto com o chamado Centrão, o descrédito de “políticos profissionais”, a ascensão de valores novos, as redes sociais de orientação católica e anticomunista — são marcos na História do Brasil do século XXI.

O Instituto Plinio Corrêa de Oliveira com suas campanhas, suas caravanas, SEFACs, a orientação antiprogressista e anticomunista de seu Site tem contribuído poderosamente para manter elevado o pendão da Contrarrevolução https://www.pliniocorreadeoliveira.info/RCR01.pdf (*).

O ideal de lutar pela Santa Igreja e pelo Brasil renasceu vigoroso na Terra de Santa Cruz. O que pode fazer a esquerda contra isso? Cercear e censurar a internet? Continuar surda a midia face às reações conservadoras? Tentar uma mordaça sob disfarces legislativos ou judiciários?

Que as promessas de Nossa Senhora em Fátima, a devoção a Maria segundo São Luiz Grignion de Montfort, a leitura e uso dos métodos preconizados em Revolução e Contra Revolução pelo Prof. Plinio sejam os faróis a iluminar a reação conservadora.

De mil soldados não teme a espada quem luta à sombra da Imaculada.

Nossa Senhora Aparecida dê lucidez, fortaleza e coragem aos brasileiros.

Fonte: https://www.pliniocorreadeoliveira.info/Minha_Vida_publica/MVP_01_Indice.htm#.YbaOCr3MKMo

(*) baixe o pdf gratuitamente https://www.pliniocorreadeoliveira.info/RCR01.pdf

Deixe uma resposta