Dureza e crueldade (comunista) no México, 1928

0

Plinio Corrêa de Oliveira

Comentando…

À sombra da cúpula de S. Pedro…

Legionário, 24 de novembro de 1928, N. 24, pag. 2

        2 milhões de homens não fazem falta no País onde Plutarco Elias Calles, o messias dos novos tempos, reina e impera.

        Assim é que tendo dois milhões de católicos dirigido ao Congresso mexicano uma petição para que fossem retiradas algumas cláusulas da lei inumana, receberam por resposta: “Caso não queiram submeter-se à lei, às iniquidades da lei de 1917, abandonem a terra onde nasceram e procurem viver à sombra da cúpula de S. Pedro.

        Que resposta! Como dignificou o povo e rebaixou quem a redigiu: procurem viver à sombra da cúpula de S. Pedro! Essa cúpula, que é o farol que ilumina os povos, que é a Cátedra da Verdade, que é o monumento por excelência da civilização!…

        Abandonem a terra onde nasceram! Essa terra infestada pelo banditismo, essa terra que alguns militares fizeram retroceder aos tempos da barbárie, essa terra onde o direito e justiça, o direito e a verdade são atirados à lama!…

        Ainda desta vez o tiro saiu pela…

Deixe uma resposta