02 de setembro

Félix Edmundovich Dzerjinsky, Chefe da Cheka. Terror Vermelho na Rússia Soviética foi a campanha de prisões e execuções em massa conduzidas pelo governo Bolchevique. Foi conduzida sem processo judicial pela polícia secreta, a Cheka, junto de elementos da agência de inteligência militar bolchevista, a GRU. As estimativas chegam a mais de 1.766.188 de mortos.

1792: – Durante a diabólica Revolução Francesa, têm início os chamados “Massacres de Setembro”, que se estenderam do dia 2 até 7 de setembro, quando a plebe revolucionária assaltou as prisões onde se encontravam muitos eclesiásticos e pessoas de bem, massacrando-as. Foram assassinados três bispos e mais de 200 religiosos acusados de serem monarquistas. Essa matança foi perpetrada não apenas em Paris, mas igualmente em outras cidades do país. Esses massacres culminaram com a prisão do rei, Luís XVI.

1822: – Nesse dia, Maria Leopoldina, reunida com o Conselho de Estado, assinou o decreto da Independência do Brasil.

1918: – Seguindo o mesmo esquema da Revolução Francesa, Lenine decreta na Rússia o Terror Vermelho, ou exterminações em massa, para assegurar a Revolução Comunista. O Terror Vermelho foi um esforço para eliminar “contra-revolucionários” que pertenciam às antigas classes dominantes, como uma implementação da ditadura do proletariado.

1945: – O comunista Ho Chi Minh declara a independência do Vietnã, que se transforma em mais um país comunista no Extremo Oriente. Esse ditador morre neste mesmo dia, em 1969.

1962: – A Rússia comunista começa o envio de mísseis à Cuba.

1970: – O Parlamento da Índia anula os privilégios dos 279 marajás e os iguala ao resto dos cidadãos.

Deixe uma resposta