15 de junho

1099: – Durante a Primeira Cruzada, as forças de Godofredo de Boullion, duque da Baixa Lorena, ingressam na cidade de Jerusalém.

1215: – O rei João-Sem-Terra, da Inglaterra, assina a Magna Carta, documento na base do moderno parlamentarismo.

1516: – O império otomano inicia o domínio das regiões situadas entre a Turquia, Egipto, Síria e a Palestina durante vários séculos, após a queda do império romano do Oriente.

1667: – Na França, o médico Jean-Baptiste Denys realiza a primeira transfusão de sangue em um ser humano.

1775: – George Washington é nomeado comandante em chefe das tropas da União, que lutam contra a Inglaterra.

1844: – O norte-americano Charles Goodyear registra a patente do processo de vulcanização da borracha.

1907: – Inaugura-se em Haia a II Conferência da Paz, com a assistência de representantes de 44 Estados.

1923: – Primeira reunião do Tribunal Internacional de Haia.

1964: – As últimas tropas francesas deixam Argélia, cumprindo o acordo de cessar-fogo.

1977: – As primeiras eleições pós-Franco, na Espanha, instalam um governo de espírito democrata-cristão.

1978: – O rei Hussein, da Jordânia, contrai seu 4º. matrimônio, desta vez com a americana de origem oriental Elizabeth Halaby.

1980: – No Irã, o ayatollah Khomeini ordena o afastamento dos trabalhadores não muçulmanos da rádio e da televisão nacionais.

– Os ministros da defesa do pacto de Varsóvia decidem alterar o papel da organização, transformando-a em aliança política ao invés de militar.

1984: – O governo brasileiro desvaloriza o cruzeiro, pela 33ª vez desde o inicio do ano.

O desastre de Chernobil. Em 26 de abril de 1986, ocorreu na Ucrânia o pior acidente nuclear da história. É a manifestação do fracasso do marxismo.

1986: – O Pravda noticia o afastamento do diretor e do engenheiro-chefe da central nuclear de Chernobyl, depois do acidente de 26 de Abril.

1994: – Israel e o Vaticano estabelecem relações diplomáticas plenas, assinando um acordo histórico de reconciliação e reconhecimento mútuo.

2004: – Trinta e quatro camponeses colombianos são assassinados pelas FARCs na zona dos cocais no norte de Santander.

– Um grupo de índios aymaras bolivianos queimam vivo o prefeito de Ayo Ayo, a quem acusavam de malversão e desvios de fundos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here