PCODepois das homenagens prestadas a Plinio Corrêa de Oliveira, por discípulos seus, por ocasião dos vinte anos de seu falecimento, o conceituado site Fratres in Unum, de orientação católico-tradicional, publicou em 20 de novembro último um interessante artigo intitulado “E a TFP ressurge no Brasil”.

Seu autor, Manoel Gonzaga Castro, registra na introdução que, no mês de outubro, “ocorreram dois fatos dignos de nota, especialmente para os católicos ligados à forma tradicional do rito romano e à defesa da Tradição em geral: a Missa pelos 20 anos de falecimento do Prof. Plínio Corrêa de Oliveira e a 4ª edição de peregrinação Populus Summorum Pontificum”. E explica em seguida que vai tratar apenas do primeiro fato, deixando para posterior artigo a citada peregrinação.

Gonzaga Castro apresenta uma breve biografia de Plinio Corrêa de Oliveira, na qual recorda que “ele voltou as costas para o presente e fez das ruínas do passado da Cristandade o seu futuro. Nesse sentido, ele se voltou contra tudo o que fosse considerado um afastamento daquela ordem, atuando contra o laicismo, o comunismo e também, contra as inovações trazidas à Igreja pelo Concílio Vaticano II”. Cita também, ao longo do artigo, algumas dissidências havidas em relação a sua obra, ocorridas durante a vida de Dr. Plinio ou após sua morte.

Refere-se ainda ao processo judicial, ainda em curso, por meio do qual alguns dissidentes obtiveram inusitadamente, até o momento, “a proibição de que os provectos inclusive usassem a sigla ‘TFP’, já conhecida por seu trabalho de décadas no Brasil”. O chefe de tais dissidentes, afirma o autor, “abandonou as objeções ao Vaticano II e à Missa de Paulo VI e clericalizou o movimento”, fundando para isso uma nova associação.

Explica o autor que, como os provectos não mais “detém os direitos sobre essa sigla”, em 2008 fundaram “o Instituto Plinio Corrêa de Oliveira, que nada mais é que a TFP original sob novo nome. Desde então, o movimento não tem parado de crescer no Brasil, realizando eventos cada vez mais bem sucedidos em defesa da vida, da família e das questões tradicionais.”

PRC_Missa Mosteiro Sao Bento

Entre esses eventos, lembra que, em 3 de outubro deste ano, “Dom Athanasius Schneider, bispo auxiliar de Santa Maria em Astana, no Cazaquistão, celebrou Santa Missa Pontifical por ocasião do vigésimo aniversário de morte de Dr. Plinio Corrêa de Oliveira, fundador de TFP. Uma multidão acompanhou a cerimônia e, posteriormente, tomou as ruas do centro de capital paulista em desfile até o Pátio do Colégio, marco zero onde São José de Anchieta fundou a cidade. Além de Dom Athanasius, participaram do desfile diversos clérigos, bem como membros das TFPs do mundo todo”.

PRC_Desfile Patio do Colegios 161

E prossegue: “O intenso trabalho do IPCO pós 2008 tem legitimado sua projeção e o crescimento de sua influência. Motivando jovens a um ideal grandioso, ao convocá-los para uma ‘cruzada’, o instituto tem promovido palestras em defesa da família, manifestações, ações políticas e pressão sobre autoridades e governantes em busca de um Brasil que ainda respira catolicismo.

“Assim, para além de disputas internas, o IPCO, de fato, tem atraído atenção e gente por causa de seu trabalho concreto e sua busca em promover causas de evidente urgência moral para os católicos.

Contrastando com o novo perfil humano adotado por certas associações, “tidos como liberais para os padrões tradicionalistas, os jovens do IPCO com seus rosários e suas vestimentas mais modestas têm sido mais atrativos e inspirado mais piedade.”

O artigo de Manoel Gonzaga Castro merece ser lido por todos aqueles que se interessam pelos rumos do movimento em favor da Tradição, especialmente no Brasil.

Link para o artigo: http://fratresinunum.com/2015/11/20/e-a-tfp-ressurge-no-brasil/