São Bonifácio derruba árvore sagrada pagã. Emil Doepler (1855 – 1922). Uma santa truculência atraiu essa bênção natalina.
São Bonifácio derruba árvore sagrada pagã.
Emil Doepler (1855 – 1922). Uma santa truculência atraiu essa bênção natalina.

Evaristo Eduardo de Miranda

Depois do Presépio, a Árvore de Natal é o símbolo mais expressivo da época natalina — sobretudo em tempos passados, nos quais o aspecto comercial do Natal não era tão protuberante e agressivo.

O inventor da árvore de Natal foi São Bonifácio, o apóstolo e evangelizador da Alemanha.

Em 723 São Bonifácio derrubou um enorme carvalho dedicado ao deus Thor, perto da atual cidade de Fritzlar.

Para convencer o povo e os druidas de que não era uma árvore sagrada, ele abateu-a.

Esse acontecimento é considerado o início formal da cristianização da Alemanha.

Na queda, o carvalho destruiu tudo o que ali se encontrava, menos um pequeno pinheiro.

Segundo a tradição, São Bonifácio interpretou esse fato como um milagre.

Era o período do Advento e, como ele pregava sobre o Natal, declarou:

“Doravante, nós chamaremos esta árvore de árvore do Menino Jesus”.

O costume de plantar pequenos pinheiros para celebrar o nascimento de Jesus começou e estendeu- se pela Alemanha.

E no século XIX, a Árvore de Natal — também conhecida em alguns países europeus como a “Árvore de Cristo” — espalhou-se pelo mundo inteiro como símbolo da alegria própria ao Natal para se festejar o nascimento do Divino Infante.

(Fonte: Guia de Curiosidades Católicas, Evaristo Eduardo de Miranda)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome