Corte Européia dos Direitos Humanos proibe crucifixos, mas favorece assassinos e estupradores

Luis Dufaur

 

A Corte Européia de Direitos Humanos – a mesma que quis proibir os crucifixos nas salas de aula italianas – condenou a prática alemã de “custódia de segurança” dos assassinos e estupradores mais perigosos.

Embora esses delinqüentes tenham cumprido suas penas, a custódia visa proteger a população contra a conduta deles, que constitui ameaça como “bombas-relógios”.

Pela decisão os criminosos devem ser liberados logo, sendo 1.685 deles em Berlim.

A população alemã está amedrontada, e os parentes das vítimas revoltados.

Para Gabriele Karl, cuja filha Stefanie foi assassinada por um maníaco sexual em 1996 , diz: “não entendo como alguém que já destruiu uma vida tem a chance de ser libertado para destruir outras”.

Para ela, o que há na Alemanha é um “lobby em defesa dos criminosos”. Parece até que ser referia a certos grupos de “direitos humanos” que vemos por aí…