bolivarianismo

O que não falta nos dias atuais são críticas aos governos bolivarianos – Venezuela, Argentina, Bolívia e Equador – e aqui no Brasil, ao governo de Dilma. Ditatoriais, corruptos, populistas, burocráticos, incompetentes, privilegiando atendimento “sociais” em detrimento da economia do país, etc. Nessas diatribes, a crítica à corrupção se sobressai como se ela fosse a principal responsável pelos seus desacertos.

Diante desse quadro, pergunta-se: por que não denunciar o caráter socializante, marxista, esquerdista, presidindo os governos populistas? Fica-se com a impressão de que seus políticos agem movidos apenas por interesses demagógicos ou por corrupção. E que se percebessem que o povo está descrente com a estatização da economia e fossem honestos, os problemas estariam resolvidos. Na verdade, é preciso afirmar em alto e bom som que enquanto os políticos populistas, trabalhistas, petistas, nacionalistas, continuarem com seu viés esquerdista, sua mentalidade socialista e, no fundo de suas cabeças, com suas ideias marxistas, nada se pode fazer e o Brasil seguirá o caminho da Venezuela e de Cuba.

Todos governos bolivarianos, inclusive o nosso, não fazem outra coisa do que seguir o programa prescrito por Gramsci segundo o qual o socialismo só se tonará viável se for implantado de modo gradual, acompanhado de modificações na mentalidade popular, e não por meio de revoluções.

De acordo com esse gradualismo, as ideias socialistas disfarçam-se em reivindicações e mobilizações da opinião pública orquestradas por movimentos ditos “sociais”, dos “direitos humanos”, das “minorias excluídas”, das vítimas dos preconceitos. Fazem parte dessa orquestração as seguintes campanhas apresentadas pela mídia como sendo fruto de anseios da população:

* Reformas de base, principalmente a agrária:

* Ambientalismo radical denunciando o agronegócio, as hidroelétricas e o progresso econômico como elementos contrários à preservação dos recursos naturais do planeta.

* Envenenamento de problemáticas: questão indígena, quilombolas, preconceitos raciais, desigualdades, etc.

* Criação e exacerbação de inimizade para com os Estados Unidos, apresentando-o como um país racista, querendo dominar o mundo através das multinacionais e hostil aos nossos interesses econômicos.

Um dos denominadores comuns aos países bolivarianos, além dos desacertos econômicos, é a ojeriza manifesta para com os norte americanos, antipatia essa sempre presente na nossa diplomacia externa dirigida por Marcos Aurélio Garcia, um esquerdista reconhecido internacionalmente. Aproveitando-se – euforicamente, diga-se de passagem – do incidente das escutas telefônicas, nosso governo prima por ignorar nosso principal parceiro comercial e se empenha em socorrer os regimes cubano, venezuelano, bolivariano e marxistas na África. Assim como certas doenças são detectadas mediante alguns sinais inequívocos, podemos dizer que a animosidade para com os Estados Unidos constitui um sinal indicativo duma mentalidade esquerdizante.

Proliferam atualmente inúmeros painéis e discussões em nossos programas de televisão tratando do atual estado caótico de nossa política e de nossa economia e tendo o PT como expressão máxima desse descalabro. Que a mentalidade petista é a principal responsável não resta dúvida. Mas por que não falar em socialismo, marxismo, gramcianismo, estatismo, intervencionismo? Fala-se na política pró comunista de Jango, mas por que não apontar o marxismo já em seu nascedouro na política trabalhista de Getúlio Vargas, no relacionamento preferencial com Cuba no governo Jânio Quadros, no intervencionismo estatal do governo Geisel (dizendo-se anticomunista, mas mais estatista do que qualquer outro governo ) e nos discursos demagógicos de Lula?

Se quisermos, realmente, mudar o rumo de nosso viver aqui no Brasil, urge, antes de mais nada, apontar o cerne ideológico marxista dominante ainda nas universidades, na mídia, em nossas novelas, filmes, nas figuras principais de nossa política. Ao me referir aos políticos, não me restrinjo aos petistas, mas também aos numerosos figurantes existentes nos demais partidos, inclusive nos da oposição.

6 COMENTÁRIOS

  1. Quando se sentiam apertados, todos os governantes bolivarianos corriam para Roma em busca de apoio do Vaticano, pois as populações de seus respectivos países são esmagadoramente católicas. Foi o que fizeram Hugo Chávez, Cristina Kirchner, Evo Morales, Rafael Correa e Dilma Rousseff, alguns deles diversas vezes. Agora parece que não mais precisam se dar esse trabalho, pois é o próprio Papa que vem até eles, recebe uma cruz e uma condecoração com a foice e o martelo, e faz um discurso para os Movimentos Populares atacando o capitalismo, discurso esse considerado “irretocável” por João Pedro Stédile, ou seja, agradou plenamente toda a esquerda. Por ocasião do conclave que se seguiu à morte de João Paulo II, Lula declarou que para a vitória das esquerdas na América Latina só faltava um Papa pertencente a essa corrente ideológica. Parece que o encontraram. Mas não incidam no erro de achar que os aplausos das multidões que acorreram para ver e ouvir o Chefe visível da Igreja significam apoio à sua Revolução.

  2. Seria temerário afirmar que o governo militar, com início na Revolução de 64, foi intrinsicamente de falsa direita? Provavelmente muitos militares não sabiam disso. Que tal lembrar do Janguismo sem jango e das conversinhas sobre Reforma Agrária Confiscatória em pleno governo do Castelo Branco?
    Está mais do que na hora de se fazer essas conjecturas e esclarecer o grande público sobre o que são as falsas direitas ou falsas oposições.Se a coisa é movimentada pela própria esquerda,como foi o impeachment do Collor e a renúncia do Jânio pelas “forças ocultas” aí as coisas avançam. Se a verdadeira Direita se propõe a salvar o Brasil, então eles recuam, como fizeram em 64.

  3. PUSERAM OS VAMPIROS NO PODER E QUEREM O QUÊ?
    Os comunistas são naturalmente caóticos, diabólicos, genocidas e onde entra o regime do martelo e foice temos garantidamente atraso, miséria, destruição, muita violencia pelas lutas de classes revolucionarias e morte!
    Eles se apresentam sob a bandeira vermelha representando o sangue dos adversários, “iluminados” pela estrela de 5 pontas que é o pentagrama satânico e têm ódio figadal ao Senhor Deus e à Igreja, portanto asseclas de Satã, prometendo a quem confia neles – apoiadores/eleitores – muito “progresso, liberdade e paz”!
    “SOMOS FAVORAVEIS AO TERRORISMO ORGANIZADO E ISSO DEVE SER ADMITIDO FRANCAMENTE” – Stálin.
    O pior é que nesse partido enquanto o sujeito não for descoberto é aplaudido, “cumpañero”, mas se deixar rastros das trapaças e cair na mídia oposta é posto para fora aos pontapés, como bandido!
    Claro, menos os chefões do partido que não sabem de nada, de nada sabem!
    O comunismo pareceria ser a … “primeira Besta … cuja ferida mortal tinha sido curada”…, conforme consta do Ap. 13,11ss; diversos incautos crêem que o comunismo foi extinto com a queda do Muro de Berlim, mas apenas mudou de tática: ao invés de criar mártires, criou doutrinas falsas e falsos profetas – favorecendo as seitas – deixando de serem lobos vorazes que são para vestirem pele de ovelha, enganando a muitos, como na falsaria “opção preferencial pelos pobres”.
    Apresentam-se como amigos dos deserdados, como libertadores da opressão, quando buscam exatamente a prisão e a tirania, e sua religião diabólica está se espalhando novamente por todo mundo, e se não houver reação dos cristãos de conversão, apego ao S Rosario, todas as nações serão tragadas por esse regime satãnico que o anticristo quer ver implantado para que possa dominar os povos pelo terror – castigo pelas apostasias dos cristãos que têm preferido seguir na direção de Sodoma e Gomorra!
    E logicamente, contando com o imprescindível apoio de “religiosos”, como da TL, da direção da CNBB e mais idem apoiadores!

  4. Chega da DURADITADA da mafia bolivariana onde foi evaporada uma unidade da Petrobras estatizada pela a mafia bolivariana, chega é revoltante as atitudes dos que diz que nos governa com a desordem eo o regresso

  5. Os Estados Unidos, representam o modelo que eles querem ver substituído por um regime socialista, existente na mente dos intelectuais
    que defendem sua implantação! Não tendo como competir com o modelo real
    existente naquele país, querem ganhar o jogo cometendo falta no adversário!
    Não tendo qualidades para oferecer, fabricam defeitos no adversário, única forma de, na comparação, levar alguma vantagem!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome