Um magote de militantes feministas realizou no último dia 30 de outubro, no centro de São Paulo um protesto contra a criminalização da promoção do aborto no Brasil. O ato, que terminou em um ataque à Catedral Metropolitana Nossa Senhora da Assunção e São Paulo (Catedral da Sé), foi convocado contra o projeto de lei 5.069/13, de autoria do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) que punirá, com penas de prisão de 4 a 8 anos, quem:

– Anunciar processo, substância ou objeto destinado a provocar aborto;
– Induzir gestante a usar alguma substância ou objeto abortivo;
– Instruir ou orientar gestante sobre como praticar aborto, ou prestar-lhe qualquer auxílio para que o pratique, ainda que sob o pretexto de redução de danos.

Ataque à Fé Católica e Perseguição Religiosa

Alegadamente o protesto reuniu aproximadamente 3 mil pessoas na Praça da Sé, centro de São Paulo e assim como acontece todos os anos no Encuentro Nacional de Mujeres na Argentina, terminou com ofensas e ataques à Santa Igreja Católica. Naa última edição do encontro feminista, em Mar del Plata, as ativistas feministas e homossexuais, nuas, tentaram invadir e profanar a bela catedral da cidade. (Clique aqui e saiba mais)

Em São Paulo, as pichações foram realizadas durante a noite nas paredes da Catedral com frases pró-aborto, ofensas à Igreja Católica e ao pensamento conservador. “Se o papa fosse mulher, o aborto seria legal” e “Tire seus rosários dos meus ovários” eram algumas das frases pichadas.

Em nota, os padres que administram a Catedral lamentam e repudiam os atos de vandalismo contra a igreja, que é um “edifício religioso que simboliza a fé cristã professada pela Igreja Católica Apostólica Romana.”. O caso foi registrado no 8º Distrito Policial de São Paulo. Veja a íntegra da nota.

Uma das organizadoras do protesto feminista comentou o ato de vandalismo, e apesar de dizer-se contrária ao ato, concordou com a motivação: “[A pichação] não representa o pensamento da manifestação […] Mas entendemos e nos solidarizamos com as mulheres que se manifestaram contra a instituição. Entendemos que a Igreja Católica é um instrumento do patriarcado”, afirmou Jaqueline Vasconcellos.

Compareça!

Manifestamos nossa total indignação com a profanação, que representa mais um ataque diabólico à Santa Igreja e convidamos a todos os nossos amigos e leitores a comparecerem à manifestação a favor da vida e do PL 5.069/13 que acontecerá no próximo dia 07/11 em São Paulo. Clique aqui e saiba mais!

 

Não corrompam nossas crianças através da “Ideologia de Gênero”

A Ação Jovem do IPCO está promovendo uma campanha nacional de abaixo-assinados que serão enviados para o Presidente Michel Temer pedindo a exclusão da satânica "Ideologia de Gênero" da Base Nacional Comum Curricular - BNCC.

Clique aqui e assine já!

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome