Nicarágua prende o 5o. (candidato) opositor

0

As esquerdas têm seus métodos de silenciar os adversários. Conhecemos os processos na Venezuela. E, temem as Urnas no Brasil e em outros países. Os esforços para eleições transparentes, incluindo uma modernização das urnas eletrônicas, voto auditável, encontra viva oposição do presidente do TSE.

Onda de detenções de opositores


A onda de detenções de líderes contrários ao regime de Daniel Ortega continuou ao longo do mês de junho, apesar das críticas da comunidade internacional. (EFE)

Na Nicarágua, “candidatos presidenciais foram detidos em meio a uma onda de prisões de líderes da oposição que inclui dois ex-vice-chanceleres, dois ex-guerrilheiros sandinistas dissidentes, um ex-líder empresarial, um banqueiro, quatro ativistas e dois ex-trabalhadores de ONGs.”

“Manágua, 21 de junho (EFE) .- O empresário jornalístico Miguel Mora tornou-se o quinto candidato à presidência da Nicarágua pela oposição a ser preso, segundo informou o governo local nesta segunda-feira, a menos de cinco meses das eleições gerais, no qual o Presidente Daniel Ortega busca uma nova reeleição.”

Mora foi preso pouco antes da meia-noite de ontem, por supostamente violar a “Lei de Defesa dos Direitos do Povo à Independência, Soberania e Autodeterminação pela Paz”, que sanciona atos considerados “traição”.

Também já conhecemos métodos análogos

De acordo com um comunicado da Polícia Nacional, Mora “está a ser investigado por praticar atos que atentam contra a independência, soberania e autodeterminação, incitando a ingerência estrangeira nos assuntos internos, solicitando intervenções militares, organizando-se com financiamento de potências estrangeiras para a realização atos de terrorismo e desestabilização ”.

O canal 100% Noticias, do qual Mora é proprietário, informou que a “Polícia quebrou janelas para entrar na casa de Miguel Mora, que foi levado na prisão (algemado), fez patrulha e fez batidas na casa”.

Ele também está sendo investigado por supostamente “propor e administrar bloqueios de operações econômicas, comerciais e financeiras contra o país e suas instituições, exigindo, exaltando e aplaudindo a imposição de sanções contra o Estado da Nicarágua e seus cidadãos, e ferir os interesses supremos do nação”.

Mora, jornalista de profissão, é o quinto candidato da oposição à Presidência preso pela Polícia da Nicarágua, após a captura da colega jornalista Cristiana Chamorro, dos acadêmicos Félix Maradiaga e Arturo Cruz, além do economista Juan Sebastián Chamorro.

***

São métodos conhecidos habitualmente usados pela esquerda para sequestrar o Poder. Zé Dirceu já declarou que interessa é a tomada do Poder.

Xi Jinping amordaçou e prendeu os líderes da Oposição em Hong Kong.

Somente candidatos aprovados pelo PCCh

Pequim passará a ter poder de veto sobre toda e qualquer candidatura em Hong Kong por meio de análise prévia de um “comitê revisor”, cuja atribuição será avaliar quão “patriota” é determinado candidato.

O verdadeiro “patriota”, é claro, será todo aquele que, obsequiosamente, não representar um obstáculo aos interesses do Partido Comunista Chinês.

A líder de Hong Kong, Carrie Lam, uma testa de ferro de Xi Jinping, afirmou que “apoia fortemente” a mudança na legislação eleitoral imposta por Pequim. Coerência de Xi Jinping no marxismo: liberdade de Hong Kong na forca – Instituto Plinio Corrêa de Oliveira (ipco.org.br)

***

A forte reação antiesquerda no Brasil desbancou o PT. Vemos agora uma tentativa de formação da 3a. via, o cavalo de Tróia do comunismo em nossa Terra.

Estejamos vigilantes. Voto auditável, transparência eleitoral, confiabilidade nas urnas.

Fonte: Régimen de Daniel Ortega detiene a quinto opositor que aspira la Presidencia (panampost.com)

Nas eleições de 7 de novembro próximo, Ortega terá 42 anos de primazia quase absoluta sobre a política nicaraguense. Caso conquiste a terceira reeleição consecutiva, o sandinista garante o quarto mandato de cinco anos e um segundo com sua esposa, Rosario Murillo, como vice-presidente.

Nossa Senhora Aparecida livre o Brasil do comunismo.

Deixe uma resposta