Nossa Senhora das Tempestades

1

Transcrevemos abaixo comentários do Prof. Plinio sobre Nossa Senhora das Tempestades, protetora nas tempestades materiais e espirituais de toda ordem. O clima emocional criado pelos Gestores da Pandemia é perfeitamente uma Grande Tempestade. Recorramos ao socorro de Maria.

A invocação de Nossa Senhora das Tempestades: origem e significados

“Hoje, 17 de maio, ocorre em Tolentino a festa de Nossa Senhora das Tempestades. O histórico dessa devoção é o seguinte:

“São Leonardo fez colocar na sua Igreja primitiva de Santa Maria, em Tolentino, uma imagem da Virgem que tivera na capela do Seminário. Convidou então os habitantes do local a implorar à Virgem Santíssima a graça de preservar a cidade dos prejuízos do granizo, tão frequente na região. A Virgem ouviu o pedido.

“Pio VII, em seu retorno do cativeiro na França (a 17 de maio de 1814), coroou solenemente a Virgem milagrosa e aprovou o ofício próprio a toda diocese”.

Uma vez mais, se trata de um fato que nos faz ver o modo pelo qual as devoções de Nossa Senhora costumam se formar. Em geral, é uma graça concedida por Ela para alguém ou a uma população. E esta mercê, que tem todo o sabor espiritual e imponderável de um sorriso dElaincute estavelmente nas pessoas a esperança de serem atendidas em outras em outras necessidades.

Então, aquela invocação que se liga àquele favor nos dá a ideia da misericórdia de Nossa Senhora e do socorro prestado por Ela em condições espirituais análogas àquelas condições terrenas.

Então, havia uma imagem numa capela do Seminário; essa imagem, com certeza muito expressiva e muito bonita, São Leonardo a destinou depois para ser exposta em uma igreja de sua diocese, na Igreja de Santa Maria, em Tolentino.

Ali o povo a venerava, mas ele recomendou que se pedisse a Nossa Senhora o favor de que as tempestades não se desencadeassem nesse local com a intensidade destrutiva com que ocorriam antigamente. Essa graça, de índole material fez com que as tempestades cessassem e a população se visse livre daquele flagelo. Então a imagem passou a ser invocada sob o nome de Nossa Senhora das Tempestades, ou seja, Nossa Senhora que vence as tempestades, que previne as tempestades. Podia se chamar também Nossa Senhora da Bonança.

O Papa Pio VII, fugindo da “tempestade” (por ele desencadeada na França, devido ao modo como conduziu o caso de Napoleão), passando por Tolentino e dando graças a Deus por se sentir livre das garras de Napoleão, entendeu que daquela tempestade estava salvo por causa de Nossa Senhora. Então coroou a imagem de Nossa Senhora das Tempestades. Mas a palavra “tempestade” significando outra coisa: as tempestades da História, as tempestades da vida, as tempestades da alma…

Então, é Nossa Senhora patrona dos homens postos em tempestades de toda ordem: espirituais, portanto, da luta contra o pecado, da queda no pecado, para prevenir o pecado, tempestades que a alma sente quando vê outros em pecado, tempestade nas grandes aflições espirituais que a vida pode trazer; enfim, as mil tempestades em que uma vida pode estar em jogo.

Então, pedir o socorro a Nossa Senhora no meio das tempestades, sentindo-se fraco, pequeno, incapaz de evitar completamente a tempestade, de vencê-la, recomendar-se a Ela é exatamente a ideia que está posta dentro dessa invocação.

Mas ela abarca também uma ideia de compaixãoToda mãe, quando sente seu filho na tempestade, tem uma pena enorme e acorre sôfrega, não vem devagar, e vem com toda velocidade que os interesses espirituais daquele filho permitem. Mas aí, nesse sentido, ela vem imediatamente.

 Então, a ideia de Nossa Senhora enquanto nosso socorro nas aflições, expressa em tantas outras invocações: Nossa Senhora Auxiliadora, Nossa Senhora do Amparo, Nossa Senhora do Socorro, Nossa Senhora dos Aflitos. Porém ela tem uma formulação muito bonita no título de Nossa Senhora das Tempestades. A gente compreende, portanto, quão expressiva é essa invocação.

Há duas espécies de tempestades: as torrenciais e uma outra que é uma completa subversão da atmosfera com água, chuviscos, escuridão, incerteza, terra escorregadia… e que analogicamente também se poderia chamar de tempestade. Há situações da vida espiritual que são assim. São todas elas cheias de dramas, de dificuldades, de incertezas, e que constituem formas diversas de tempestades. Nossa Senhora nos ajuda em todas essas tempestades. Aí nós temos, então, Nossa Senhora das Tempestades.

* Dois pensamentos aparentemente opostos, de São Boaventura e de Santa Teresinha, mostram a beleza das vias de Deus

Agora, vem um pensamento de São Boaventura que vem aqui consignado e é muito bonito:

“Eu vos saúdo, Maria que acalmais o mar tempestuoso do mundo. Que Jesus, que dorme em nosso barco, se levante acordado por Vós.”

É uma referência ao fato de que Jesus estava na tempestade, com os Apóstolos num barco, e estes O acordaram. E Ele fez cessar a tempestade. Tantas vezes Jesus “dorme”. Então, Nossa Senhora acorda Jesus para que venha ao socorro e, diz o Evangelho, que se fez então uma grande bonança depois que Jesus acordou.

E vem um comentário que acho magnífico: “(termos) uma completa obediência em relação a Ele”!

Santa Teresinha do Menino Jesus tem um pensamento oposto: quando a pessoa sofre, não deve pedir muitas vezes que o sofrimento passe, para oferecer pela Causa da Santa Igreja. Então, diz ela: “não acorde Jesus que está dormindo em seu barco. Deixe-O dormir, deixe que pelo menos na sua alma Ele descanse. Não O acorde…”

Um santo recomenda: “acorde”, e é esplêndido! Uma santa recomenda: “não acorde”, e é esplêndido também! Tudo depende das vias de Deus. Vejam a beleza desses vários caminhos e o universo de maravilhas morais que existe nisso!…”

Fonte: https://www.pliniocorreadeoliveira.info/DIS_660517_Sao_Felix_de_Cantalicio.htm#.YKRfrKhKiMo

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta