Em várias partes do mundo, o eleitorado está começando a exigir a defesa da família e dos princípios morais

Alberto Távora

As urnas do Brasil e Suécia dizem coisas distintas. Mas o fundo da realidade nos dois países tão distantes não parece tão diferente. Parcelas importantes da opinião pública em várias partes do mundo estão cansadas do caos, e querem a volta aos princípios morais.

De acordo com a Revista Catolicismo, a esquerda na Suécia sofreu sua pior derrota em quase um século. Nas recentes eleições legislativas gerais, a coalizão de centro-direita reelegeu-se pela primeira vez, e o partido dos Democratas da Suécia (SD), tido como extrema-direita, conquistou 20 cadeiras.

“O esquema vem se repetindo em quase toda a Europa, onde o eleitorado reclama por valores, família, moral, menos totalitarismo da UE, menos impostos, limites à “invasão islâmica” e liberdade de expressão.”

No Brasil, apesar de vitoriosa nas urnas, a esquerda viu atônita e desconfortável aparecerem no debate eleitoral assuntos como aborto, PNDH-3, “casamento” homossexual.

Se quiser simplesmente impor sua agenda, terá grandes obstáculos na opinião pública, e distanciará do Brasil profundo (saiba mais).

Fonte: Revista Catolicismo