Início Artigos O erro do progressismo-ecumênico-sincretista: União está acima da Verdade, da Fé, da...

O erro do progressismo-ecumênico-sincretista: União está acima da Verdade, da Fé, da Graça

    Revive em nossos dias, — e agravada pelo progressismo-ecumênico-sincretista —
a ideia de uma Humanidade edificada sobre a contradição:
não há bem ou mal, o importante é que os homens convivam entre si,
“numa paz desarmada”, para me servir da expressão do Papa Francisco,
pronunciada recentemente, no Japão.

Um pouco de História: um velho sonho que toma roupagens novas

— desde Dom José Gaspar ao Papa Francisco

Tomou muito relevo, nos anos 40, a ideia propagada pela Ação Católica — que tinha como expoente D. José Gaspar –, Arcebispo de São Paulo, com seu lema “Ut omnes unum sint” (para que todos sejam um)

A essa época, o Prof. Plinio Corrêa de Oliveira era Diretor do Legionário (semanário católico combativo e muito influente) e, ele mesmo, Presidente da Junta Arquidiocesana da AC em São Paulo. (Na foto O Prof. Plinio dirige uma saudação ao Arcebispo, D. José Gaspar)

Escreve o Prof. Plinio: “Em meu último artigo, mostrei como se deve entender, em linguagem católica, a união.

Uma falsa união que é a “caricatura do Evangelho”. A verdadeira união provém da mesma Fé, da graça, da observância dos Mandamentos

“Muita gente supõe que a união consiste no convívio indiferente e indolente de elementos que ideologicamente são heterogêneos e até antagônicos. Uma tal união não é senão a caricatura da união pregada pelo Santo Evangelho.Resultado de imagem para creio na igreja una santa católica e apostólica credo

“A verdadeira união em Nosso Senhor Jesus Cristo é a convergência plena das almas que professam integralmente a mesma Fé, vivem a mesma vida da graça e praticam os mesmos mandamentos.

       

Fora da Igreja não há Salvação, nem pode haver plena União

“Não há verdadeira união entre os católicos se alguns deles se afastam da vida da graça, que se haure na frequência dos Sacramentos e na prática séria da vida interior.

“Não há verdadeira união entre os católicos se seu modo de vida, de todos eles, não for idêntico em tudo, espelhando cada qual, segundo sua vocação, as mesmas normas contidas no Santo Evangelho.

“A verdadeira união dos católicos só existe quando estão todos unidos à Igreja. Pensar como a Igreja pensa, viver da vida sobrenatural da Igreja e agir sempre e por toda a parte como a Igreja manda, é na realização deste tríplice programa que os católicos podem e devem encontrar a verdadeira união”.

A Pachamama nos Jardins do Vaticano une ou promove a desunião?

O Prof. Plinio acentua uma nota muito importante e “esquecida” pelos eco-teólogos, pelos progressistas e em atitudes do próprio Vaticano, por exemplo, — acrescentamos nós —  introduzindo o culto idolátrico à Pachamama nos Jardins do Vaticano e na Igreja Santa Maria Traspontina: a preocupação com a união começa de dentro para fora.

Ora, os progressistas e eco-teólogos, querem a união de fora para dentro, com a “Mãe Terra”, harmonia com a Natureza e Ecologia Integral (palavras talismânicas, com significado elástico, que ninguém sabe bem o que significam).

“Esta preocupação de unir mais e mais os católicos militantes à Igreja se impõe por um duplo motivo”.

A preocupação com a União começa pelos mais próximos, consequência da Caridade

Continua o Prof. Plinio: “De um lado, o primeiro de nossos deveres é para com os que estão mais próximos de nós pela Fé. Se a caridade material deve começar em casa, e na própria família, assim também a caridade espiritual deve começar não só em nossa casa, junto aos que são nossos irmãos pelo sangue e pela natureza, mas ainda na nossa Casa espiritual que é a Igreja, junto ao que são nossos irmãos na Fé, por obra da graça”.

Imagine-se este imenso exército (o incontável número de católicos da época), abrasado de sede de apostolado em consequência de uma formação esmerada e autêntica: que benefícios não se poderia esperar dele em prol da salvação das milhares de almas que, nas trevas da heresia e da ignorância, jazem hoje longe da Igreja?”

 * * *

“Um homem vale pelo que valem suas convicções e pela firmeza de sua vontade. Se quisermos realizar um programa de união, deve ele consistir em coordenar fortemente os espíritos em torno das mesmas verdades e de educar vigorosamente as vontades na prática das mesmas virtudes”.

* * *

Convidamos o leitor à leitura integral das considerações do Prof. Plinio:  https://www.pliniocorreadeoliveira.info/LEG_400324_Uniao.htm

Voltados para a promessa de Nossa Senhora, em Fátima: “Por fim o meu Imaculado Coração Triunfará!”

“Assim estruturado o movimento católico, é ou não é verdade que dele se poderá dizer que pela integridade da doutrina, será “pulchra ut sol”, pela pureza de sua vida será “electa ut luna” e pela rijeza de sua ação será “terribilis ut castrorum acies ordinata”?”

Ou seja, a Igreja Católica em todo o seu esplendor, no Reino de Maria!

Deixe uma resposta