Como se comportam os negros americanos face ao “casamento” homossexual?

Uma atualização de quadro a respeito do comportamento dos negros em Nova York é muito útil e necessária para quem se interessa vivamente pelo futuro da família.

Foi-se o tempo em que a mídia das décadas de 1950 e 1960 procurava mostrar os negros, nos EUA, como sendo uma força a serviço da revolução ou então da luta de raças.

Clique aqui e proteste, no Brasil, contra a “Lei da Homofobia”

Recentes campanhas públicas da TFP americana na cidade de Nova York e muito especialmente nos bairros de predominância negra encontrou um apoio muito entusiástico. Pode-se afirmar, sem exagero nem medo de ser contestado, que a esmagadora maioria dos negros – uma porcentagem que passa de 95% – se manifesta contraria ao “casamento” homossexual.

Mais curioso ainda é o que poderíamos chamar do “calor” da reação nos negros novaiorquinos. Fazem questão de manifestar, à campanha da TFP pelo casamento tradicional, o mais vigoroso apoio.

Duas caravanas da TFP, fazendo campanhas públicas em cruzamentos de intenso tráfego, solicitavam aos motoristas: “buzine a favor do casamento tradicional”. Mas não havia apenas insistentes buzinas, muitos gestos entusiásticos demonstravam alegria de verem um movimento lutando contra o “casamento” homossexual.

“Deus criou homem e mulher”…

Em Chicago, numa concentração pela família tradicional, uma oradora negra arrancou os melhores e mais prolongados aplausos da plateia enquanto que um magote de homossexuais e lésbicas protestavam bem próximo de onde ela falava, mas por que eles ficaram especialmente irritados com o discurso?

A razão é que essa ativista tinha se desviado da lei natural na sua primeira juventude. E voltando ao bom caminho, passou a ser uma ativista anti “casamento” homossexual. Ora, esse tipo de mudança, os homossexuais não toleram.

Com aquele charme e ardor próprios aos negros militantes ela acrescentou: “Eu sou negra e o serei ate o fim de minha vida. Eu sou mulher e o serei ate o fim de minha vida. Eu fui uma iludida com o movimento lésbica e hoje sou uma pessoa casada com um homem, segundo a Lei de Deus.”

Sirva essa lição de encorajamento e exemplo a todos os brasileiros.

Clique aqui e proteste, no Brasil, contra a “Lei da Homofobia”

2 COMENTÁRIOS

  1. Acredito, de todo o meu coração na conversão de uma pessoa homossexual, do mesmo jeito que acredito nas outras mudanças de comportamento,como um presidiário assassino, que se arrepende, um ladrão, que muda de vida após conhecer a DEUS…Por que não acreditar??
    Esta em MARCOS,( cap,10,6-9 ).Mas desde o inicio da criação,DEUS os fez homem e mulher.Por isso, o homem deixará seu pai e sua mãe,e os dois serão uma só carne.Portanto o que DEUS uniu,o homem não deve separar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome