Carol Browner renunciou depois de Obama omitir em discurso o “dogma” sagrado do esquerdismo – o “aquecimento global de origem humana” – e nem sequer mencionar as míticas “mudanças climáticas”.

Após sua catastrófica derrota eleitoral de novembro, o presidente Obama ensaia uma nova maquiagem “centrista”, abandonando na aparência seu acentuado esquerdismo.

Mas a manobra está custando caro. No discurso anual sobre o Estado da União, Obama silenciou um “dogma” sagrado do esquerdismo – o “aquecimento global de origem humana” – e nem sequer mencionou as míticas “mudanças climáticas”.

O golpe foi sentido, e a “czarina” da Casa Branca para o “aquecimento global”, Carol Browner, renunciou no mesmo dia.

Ela liderava o esforço oficial para estabelecer um controle socialista mundial que engessasse o progresso no mundo não-socialista, a pretexto de afastar perspectivas climáticas terrificantes.

A renúncia sinalizou a frustração das esquerdas americanas diante da impopularidade do falso ambientalismo.

Fonte: Revista Catolicismo, março de 2011

Não corrompam nossas crianças através da “Ideologia de Gênero”

A Ação Jovem do IPCO está promovendo uma campanha nacional de abaixo-assinados que serão enviados para o Presidente Michel Temer pedindo a exclusão da satânica "Ideologia de Gênero" da Base Nacional Comum Curricular - BNCC.

Clique aqui e assine já!

 
COMPARTILHAR
Artigo anteriorFARC perde mais um chefe, líder da Frente 21
Próximo artigoPopularidade da monarquia manifesta-se até na China

Catolicismo é uma revista mensal de cultura que, desde sua fundação, há mais de meio século, defende os valores da Civilização Cristã no Brasil.

A publicação apresenta a seus leitores temas de caráter cultural, em seus mais diversos aspectos, e de atualidade, sob o prisma da doutrina católica. Teve ela inicio em janeiro de 1951, por inspiração do insigne líder católico Plinio Corrêa de Oliveira.

5 COMENTÁRIOS

  1. @FAÇANHA
    Nas afirmações “ex cathedra”, sim. Outras declarações podem ser questionadas, sempre com o devido respeito, é claro. Um dos problemas da ecologia transformada em ecologismo é a perda do sentido de superioridade do ser humano em relação às outras criaturas. Colocar tudo em pé de igualdade ou não reconhecer que é da natureza humana modificar o ambiente – coisa que até os bichos fazem – tem um fundo materialista, que não vê o ser humano com alma individual, pessoal e imortal. A Igreja tem o dever de ensinar ao mundo que o Reino de Deus não é deste mundo. O problema de hoje está em ver o mundo como algo eterno, como pensavam muitos filósofos da antiguidade. Para quem crê na Revelação cristã o Reino de Deus em plenitude exige uma Parusia real de Nosso Senhor, que leva consigo à superação da natureza imperfeita, com morte e vida. A perfeição é só vida, existência, ser. Questão filosófica e de fé. Para São Francisco o importante era o Criador. A criatura era preservada para chegar a uma contemplação do Criador e não para reviver a mentalidade pagã, como fazem, lamentavelmente, muitos clérigos e religiosos(as), sem dúvida pela infiltração marxista na Igreja, que depois da queda do muro de Berlim não pode fazer mais do que refugiar-se num comunismo verde.
    Gostaria que muitos daqueles que defendem a ecologia tivessem mais amor ao verde da natureza do que ao verde das cédulas monetárias. Difícil encontrar um ecologista vivendo no padrão de São Francisco.

     
  2. Chama o Al Gore para repetir as mentiras! O Papa está certo: ecologia que cuida mais das árvores e dos bichos que do ser humano não dá. Em meu blog pode ser conferido o artigo deste mês tratando do tema em questão, inclusive com link para o YouTube, onde deixei uma lista de reprodução com vídeo entrevistando especialista na área.

     
  3. ELE SIMPLESMENTE TEVE A CORAGEM E A CONCIENCIA DE SE CALAR ANTE TANTAS MENTIRAS!!!
    MELHOR NÃO VENTILAR O FOGO DA MENTIRA DESLAVADA E SENSACIONALISTA PARA NÃO CORRER O RISCO DE FALTAR EXTINTORES PARA APAGÁ-LO.
    PARABENS OBAMA.

     

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome