Carol Browner renunciou depois de Obama omitir em discurso o “dogma” sagrado do esquerdismo – o “aquecimento global de origem humana” – e nem sequer mencionar as míticas “mudanças climáticas”.

Após sua catastrófica derrota eleitoral de novembro, o presidente Obama ensaia uma nova maquiagem “centrista”, abandonando na aparência seu acentuado esquerdismo.

Mas a manobra está custando caro. No discurso anual sobre o Estado da União, Obama silenciou um “dogma” sagrado do esquerdismo – o “aquecimento global de origem humana” – e nem sequer mencionou as míticas “mudanças climáticas”.

O golpe foi sentido, e a “czarina” da Casa Branca para o “aquecimento global”, Carol Browner, renunciou no mesmo dia.

Ela liderava o esforço oficial para estabelecer um controle socialista mundial que engessasse o progresso no mundo não-socialista, a pretexto de afastar perspectivas climáticas terrificantes.

A renúncia sinalizou a frustração das esquerdas americanas diante da impopularidade do falso ambientalismo.

Fonte: Revista Catolicismo, março de 2011