O governo de esquerda mexicano, de López Obrador, assumiu o poder em 2018.

Seguiu-se um aumento na violência. “O ano passado foi o mais violento da história do México e aconteceu sob a administração de Andrés Manuel López Obrador. Até agora, 2020, o segundo ano de seu governo, registrou uma taxa de homicídios ainda mais alta.”

Em dezembro de 2018, Obrador assumiu a Presidência. A média diária de homicídios era 79,7 casos. Em setembro de 2019 a média subiu para 100, em abril de 2020 subiu para 114.

Segundo o Panampost, “no mesmo período, os casos de homicídio no Brasil caíram” em 22,6%, noticiado por nossa mídia.

Para completar o quadro, no Brasil, a “única estatística de mortes violentas que aumentou em 2019 foi a de criminosos durante confrontos armados com a polícia. No caso do Rio de Janeiro, aumentou 16,2%.

“As mortes de pessoas inocentes diminuíram enquanto as mortes de criminosos aumentaram.”

México deixou passar a ocasião de prender o filho de El Chapo

“O oposto do que aconteceu no México, onde, em resposta aos protestos públicos sobre a violência causada pelo narcotráfico, a AMLO disse: “o exército não está acostumado a reprimir o povo“. As pessoas perguntaram: “O narco é nosso povo?” e o presidente assentiu.

“De fato, o México perdeu a oportunidade de prender o filho do traficante de drogas “El Chapo” Guzman após um confronto com forças de segurança.

“O secretário de Segurança e Proteção Pública disse: “Decidimos sair de casa, sem Guzman, para tentar evitar mais violência na área, preservar a vida de nossa equipe e recuperar a calma na cidade”.”

Traficantes de drogas atacam policiais mexicanos

“Os ataques à polícia por cartéis de drogas são constantes. Até o chefe da polícia da Cidade do México, Omar Garcia Harfuch, sofreu um atentado contra sua vida. Ele foi baleado três vezes no final de junho de 2020. Dois de seus guarda-costas foram mortos, além de uma mulher civil que estava a caminho do trabalho.

“A responsabilidade pelo ataque foi atribuída ao Cartel de Jalisco da Nova Geração (CJNG), um dos cartéis mais violentos do mundo e um dos primeiros no México a usar explosivos em larga escala.”

Impunidade institucionalizada perpetua o crime

No México, 98,6% dos crimes não são punidos e 93,6% nem são investigados, segundo Miguel Ángel Gómez Jácome, coordenador de comunicações da associação civil Impunidad Cero.

“A impunidade no México é generalizada. Uma de nossas investigações mostrou que há uma probabilidade de 1,14% de resolver um crime desde o momento em que é denunciado até a condenação. Estamos falando de 98,86% de impunidade ”, disse Gomez Jacome à EFE.

“A probabilidade de um suposto infrator receber uma decisão judicial adversa após ser apresentada a um juiz é inferior a 70%, de acordo com a Impunidad Cero “Ranking de Procuradores e Procuradores de Justiça 2018”.

“Sob o governo de López Obrador, a situação piorou e os números mostram que os criminosos gozam de impunidade e que mesmo as forças de segurança são inseguras.”

***

Socialismo, criminalidade, impunidade, drogas … onde está a Mídia para alertar e divulgar? Ou será que, também no México, ela trabalha para a esquerda?

Se formos pesquisar outros índices, como aborto … tão ao gosto da esquerda …

No México 11,27% de mortes do total de infectados de coronavirus, aproximadamente 4 X mais do que o Brasil. Será que a Midia não vê a eficácia da nossa equipe médica e do governo federal?

Fonte: https://panampost.com/mamela-fiallo/2020/07/24/2020-mexico-most-violent-year/

Deixe uma resposta