Os primeiros lesados serão os grupos católicos, pró vida e família. Quer apostar?

Daniel Martins

A Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP), a maior de todas as Américas, reconhece o perigo que o PNDH-3 representará, se aprovado pelo Congresso Nacional (O Estado de S. Paulo, 11/11/10)

Em sua 66ª Assembléia, encerrada em 10/11, a SIP afirma que o PNDH-3 e outras medidas governamentais “farão com que uma lista de instituições estatais controlem a imprensa”.

Qual a razão para amordaçar a imprensa na atual situação? É evidente: mais um passo para o totalitarismo. E quem serão os primeiros atingidos? Aposto que a Igreja e os grupos católicos, além de todos os grupos pró-vida e pró-família, seus sites, jornais, canais e blogs. Provas?

Não, fortes indícios. Entre eles, destaco os seguintes:

“É preciso haver uma lei que impeça que uma igreja seja dona de meios de comunicação” (Eugênio Bucci, em entrevista a OESP, 11/11/10)

Franklin Martins, secretário de comunicação do governo federal “defendeu um controle de conteúdo sobre temas ligados, segundo palavras dele, ao respeito à privacidade, a campanhas discriminatórias, cultura regional, entre outras coisas” (OESP, 10/11/10)

O que significa para ele “campanhas discriminatórias”? De repente, um sermão do padre contra aborto e homossexualismo?
E… o que significa “outras coisas”?

Ah, tinha esquecido desse trecho, do mesmo Franklin Martins, sobre a discussão para regular a imprensa: “Nenhum grupo tem o poder de interditar a discussão. A discussão está na mesa. Terá de ser feita. Pode ser num clima de enfrentamento ou entendimento”. (OESP, 10/11/10)

Não fique parado, caro leitor! Reaja agora contra o PNDH-3:

1 – Se ainda não o fez, mande cartões amarelos aos deputados e senadores contra o PNDH-3, clicando aqui.

2 – Alerte seus amigos, os blogs e sites pró-vida e pró-família, usando o sistema de compartilhamento abaixo