Crucifixo na escola

Dez países integrantes do Conselho de Europa solidarizaram-se com a Itália, país condenado por exibir crucifixos nas salas de aula e se declararam parte no processo, ao lado de Roma.

Por sua vez, trinta e sete professores de Direito de onze países pediram ao Tribunal Europeu de Direitos Humanos para que anule dita decisão proibindo as imagens de Cristo crucificado nas escolas e locais públicos italianos, informou a agência AICA. (Cfr. “Piden al Tribunal Europeo anular el fallo sobre los crucifijos”31/5/2010)

Os professores sustentam que a decisão desse Tribunal atenta contra uma muito vasta gama de símbolos religiosos não só em locais públicos de toda Europa, mas também contra símbolos fundamentais, como bandeiras e escudos nacionais.

De fato, se o absurdo critério do Tribunal Europeu dos Direitos Humanos prevalecer, seriam atingidas bandeiras nacionais como as da Suíça, Inglaterra e dos países escandinavos que ostentam o símbolo da Cruz.

“A tentativa de exilar os símbolos religiosos dos locais públicos seria temerária, porque esses símbolos e as idéias

Raíz cristã da Europa
Selos italiano comemoram “raízes cristãs” da Europa.

religiosas que eles representam são parte integral do tecido da civilização européia”, apontaram os professores.

Eles também advertiram que a sentença pode inspirar um conflito generalizado entre governo e religião.

Eric Rassbach, diretor nacional de litígios do Fundo Becket para a Liberdade Religiosa, explicou que “em vez de anunciar uma cruzada contra a religião, a Corte deveria procurar que a religião e governo ajam em dialogo harmonioso”.

Exemplo típico das novas tensões que podem ser geradas pela sentença desse Tribunal aconteceu na própria Itália. O governo italiano emitiu uma série de selos postais dedicados aos Santos Padroeiros de Europa.

Os selos comemoram as “raízes cristãs na formação da identidade cultural européia”. A emissão não contraria a letra, mas o critério apontado pela contestada decisão do Tribunal dos Direitos Humanos de Estrasburgo.

Patronos da Europa
Estes selos seriam proibidos pelo Tribunal dos “Direitos Humanos”

Os selos reproduzem imagens dos santos Cirilo e Metódio, Santa Brígida de Suécia, São Bento de Nursia, Santa Catarina de Siena e Santa Teresa Benedita da Cruz. Na parte inferior está escrito “O poder e a graça”, “Santos padroeiros de Europa” junto com o logo do Correio italiano.

Na lógica dos “Direitos Humanos” como os entende o Tribunal Europeu, essa emissão também deveria ser condenada. A rigor a Igreja Católica ficaria impedida de cumprir sua missão: “Ide e pregai a todas as gentes”.

O Tribunal de Estrasburgo atentará para o bom senso corrigindo perturbadora sentença ou atiçará mais a ofensiva do laicismo anticristão?

18 COMENTÁRIOS

  1. Por isso advogo que seja feito um plebiscito para consultar a população se ela deseja que o Brasil seja oficialmente um pais cristão ou laico. O que a população aprovar esse deve ser adotado. Vamos deixar de sermos medrosos juntemos aos evangélicos, protestantes e defendamos essa bandeira.

  2. Deve-se respeitar os símbolos religiosos . ”ESTAIS COMIGO OU CONTRA MIM ” Os satanicos estão contra cristo que morreu na cruz para salvar a humanidade.
    DEVE PERMANECER EM REPARTIÇÕES PÚBLICAS E RELIGIOSAS , SIM .
    PAZ E BEM !

  3. Sou a favor de manter os crucifixos e simbolos cristãos.ou será de tambem vão derrubar o Cristo redentor simbolo do Rio de Janeiro,secularismo é uma droga no mundo e o Brasil caindo de joelhos pra esta droga.Brasileiros acordem.

  4. Em junho de 2007, como bem lembra Dom Keller, o Conselho Nacional de Justiça já havia rechaçado o mesmo pedido. Naquela ocasião, o conselheiro Oscar Argollo, em seu voto, expressava que “o Estado, que não professa o ateísmo, pode conviver com símbolos os quais não somente correspondem a valores que informam sua existência cultural, como remetem a bens encarecidos por parcela expressiva da sua população – por isso, também, não é dado proibir a exibição de crucifixos ou de imagens sagradas em lugares públicos”.

    Seria ingenuidade pensar que os fanáticos do secularismo se contentam com a retirada dos crucifixos expostos em locais públicos. Duvida? Pois, bem, a Justiça da Inglaterra decidiu que portar crucifixos no pescoço pode ser considerado como justa causa para demissão de funcionários (2).

    Ao Tribunal Europeu dos Direitos do Homem, os prejudicados já recorreram, mas ainda que ganhem, serve de alerta para tantos desavisados que pensam que a sede anticristã dos laicistas é saciável.

  5. É ISSO AI. ESSE É O NOSSO BRASIL. MAS ELES SÃO O DEMÔNIO, O CAPETA; E COMO NEM O CAPETA, NEM O DEMÔNIO NÃO PODEM VER CRUZES, ELES QUEREM TIRÁ-LAS.
    Eles é que deveriam sair, pois os capetas e os demônios são eles próprios.
    Sou contra a retirada dos cruxifixos dos estabelecimentos.

  6. “Bem mais do que o povo hoje tem consciência, a Igreja Católica moldou o tipo de civilização em que vivemos e o tipo de pessoas que somos. Embora os livros textos típicos das faculdades não digam isto, a Igreja Católica foi a indispensável construtora da Civilização Ocidental. A Igreja Católica não só eliminou os costumes repugnantes do mundo antigo, como o infanticídio e os combates de gladiadores, mas, depois da queda de Roma, ela restaurou e construiu a civilização”. [Woods, 2005, pg. 7]
    Só para verificar a autenticidade de um milagre, nos processos de beatificação e canonização, o Vaticano tem à sua disposição mais de 70 médicos especialistas.
    “Maria Lúcia Lencastre Ursala, da 3ª Vara Cível Federal de São Paulo, indeferiu pedido do Ministério Público Federal, que queria a retirada de símbolos religiosos dos prédios públicos — leia-se: de crucifixos e Bíblias.
    Sabem o que escreveu a juíza?
    1 – que é natural a presença de símbolos religiosos cristãos num país de formação cristã — isso pertence à nossa história;
    2 – que, “sem qualquer ofensa à liberdade de crença, garantia constitucional, eis que, para os agnósticos, ou que professam crença diferenciada, aquele símbolo nada representa, assemelhando-se a um quadro ou escultura, adereços decorativos”;
    3 – que estado laico não quer dizer estado anti-religioso. Dando uma pequena aula de lógica e de história à boçalidade do CCC, escreveu: “O Estado laico foi a primeira organização política que garantiu a liberdade religiosa. A liberdade de crença, de culto, e a tolerância religiosa foram aceitas graças ao Estado laico, e não como oposição a ele. Assim sendo, a laicidade não pode se expressar na eliminação dos símbolos religiosos, mas na tolerância aos mesmos.” Reinaldo Azevedo.”

  7. sou plenamente a favor do protesto!!!
    Nós cristãos não podemos deixar de evangelizar e conscientizar os povos que o verdadeiro amor nos levará a uma entrega radical com a de Jesus.
    Não podemos ser inocênte na luta contra o mal!!

  8. O CAPETA , SATANÁS E LUCIFER TÊM MEDO DAS CRUZES! MAS OS SEUS DISCIPULOS, SEQUAZES E SEGUIDORES PARECE QUE NÃO, POR ISSO INDIRETAMENTGE CRIAM LEIS CONTRA AS EXPOSIÇÕES DELAS NOS LUGARES PUBLICOS.

    SERIA A DOMINAÇÃO? ACHO QUE NÃO, POIS O PODER DA CRUZ É MAIOR. VAMOS USÁ-LA TAMBÉM NÓS NO PEITO, NAS CAMISETAS, NAS COSTAS.

  9. Prezado irmão, obrigado por tuas palavras. Apenas um lembrete que mesmo não sendo eleitos eles ainda permanecerão no partido, assessarando que toma as decisões, como vemos aqui no Brasil os cassados ainda em cargos de confiança do partido. Seria bom que nós catolicos formassemos um partido e tivesse representatividade no poder também. Com exceçao da Marina, o que tivemos e temos até então são exilados politicos no comando da nação e ainda pode um deles ser eleitos. Falta opção ao eleitor. Inclusive Alexandre Garcia disse certa vez que a nossa Constituição foi criada para favorecer os anistiados e, baseado nela, os bandidos que estão por aí também se beneficiam dela de certa forma e que os nossos juizes estão refens de nossas leis. Antigamente se dizia-se Democrata Cristão a um partido com tais ideais, mas hoje…

  10. é um absurdo querer mexer com a fé do povo cristão católico tem motivos muito mais importantes do que atacar a fé do povo, é o Tribunal cuidar dos famintos do mundo das crianças que morrem por fome na África, asia, e no terceiro mundo, teriam que se espelhar na Dra. Zilda Arns que deu a vida em favor dos mais necessitados, isto sim merece aplausos não desfazer o que ela fez e que outras tantas mulheres de garra fizeram como Irma Dulce e outras vamos olhar além pois Jesus um dia vai voltar e todos estes homens terão o julgamento que merecem por não cuidar da humanidade que necessita de ajuda Deus seja louvado que Nosso Senhor Jesus Cristo nos olhe e nos proteja.

  11. Bem, em relação a todas as questões, todos têm o direito de concordar ou de discordar pois é direito humano. Agora, se a maioria do povo tem crença em tal religião é essa que deve prevalecer ostentada por direito até de conquista histórica!!!! As demais crenças podem cultuar seus costumes, porém sem querer tentar somente pois são a minoria, ora, proibir o que se relaciona com a crença da maioria até porque nunca vai ter quórum para isso. Se os políticos eleitos pela maioria tentam anular a crença da maioria de seus eleitores, basta retirá-los do poder nas próximas eleições… Isso é tão fácil!!! Mais fácil que conseguir mudar as leis existentes, não acham? Povo unido jamais será vencido!!! Com Cristo Jesus em todos os casos porque nossa fé “move montanhas”, acreditem. Basta mentalizar as necessidades boas e justas.

  12. Sou totalmente a favor do protesto contra a retirada das imagens(crucifixos) das Escolas e outros locais públicos. Estes símbolos representam a culura de um povo de dois mil anos.
    Creio que as imagens sacras nos indicam o caminho certo de seguir a nossa perigrinação neste mundo, isto para nós católicos, para outros contradizem a sua maneira de ser, corruptos, ladrões do povo, promotores de legislação contra a vida, etc. Isto vai contra o que Jesus, nos aponta, o caminho, a verdade e a vida.
    HÁ MAIS NECESSIDADE DE EXPULSAR DOS SEUS TRONOS CUORRUPTOS QUE SÓ FAZEM MAL ÀS NAÇOES DO QUE CRUCIFIXOS DAS ESCOLAS.

  13. É curioso o entendimento dos membros do Tribunal Europeu que julgam ofender aqueles que não são católicos permitindo símbolo religoso em locais públicos. Eles parecem não se importar em ofender os católicos, será porque estes não têm direitos? Por outro lado, aqueles muçulmanos que se sentirem ofendidos (minoria) não deveriam querer impor suas crenças como fazem nos países de origem. Na Arábia Saudita é proibido alguém ter na mão a Bíblia ou portar crucifixo. Na Guerra do Golfo os soldados americanos não puderam levar a Bíblia quando desembarcaram em território saudita. E o muçulmano que se converter à religião católica é condenado à morte. Então fica a pergunta: o que são os direitos humanos?

  14. Apoiado o protesto contra a retirada dos crucifixos e símbolos cristãos. A pergunta que eu faço aos “nobres” constituintes desses tribunais – que parecem ter perdido a massa encefálica da memória, que demonstra que a Europa tem raízes cristãs – é: por que não promulgam com veemência e rigorosidade leis que expulsem políticos corruptos do governo.

    QUEM TEM QUE SAIR DALI SÃO OS POLÍTICOS CORRUPTOS E NÃO O CRUCIFIXO.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome