Papa Francisco-Biden: onde fica Deus nesse super encontro?

0

O esperado encontro entre o Papa Francisco e Joe Biden, em 29 de outubro, para surpresa geral, não foi transmitido ao vivo: “A ausência de qualquer transmissão de vídeo ao vivo da reunião foi notável, pois enquanto a reunião estava inicialmente programada para ter cobertura da imprensa ao vivo, de acordo com as normas do Vaticano para reuniões com chefes de estado” foi bruscamente cancelada, “não fornecendo nenhuma razão clara para a mudança repentina e causando consternação entre a imprensa do Vaticano.”, informa lifesitenews. (2)

Cânon 915 do Código de Direito Canônico que proíbe da Sagrada Comunhão as pessoas que estão “persistindo obstinadamente em pecados graves manifestos”

Segundo o Comunicado da Sala de Imprensa:

“As cordiais discussões centraram-se no compromisso comum com a proteção e cuidado do planeta, a situação da saúde e a luta contra a pandemia Covid-19, bem como a questão dos refugiados e a assistência aos migrantes. Também foi feita referência à proteção dos direitos humanos, incluindo o direito à liberdade de religião e de consciência.”

“Finalmente, as conversações permitiram uma troca de pontos de vista sobre algumas questões da atualidade internacional, também no contexto da próxima cúpula do G20 em Roma, e a promoção da paz mundial por meio de negociações políticas.” (1)

Essa poderia ser uma agenda entre Biden e o secretário geral da ONU, ou entre chefes de estado. Nada que caracterize a ação específica do Poder Espiritual; colateral, sim; específica, não.

Foi dado a Pedro o poder das chaves: espiritual direto e o poder temporal indireto, para a salvação das almas.

Declarações de Biden exigem desmentido do Vaticano

“CIDADE DO VATICANO (LifeSiteNews) – Depois do encontro muito esperado no Vaticano, o presidente Joe Biden disse aos repórteres que o Papa Francisco lhe disse para “continuar recebendo a comunhão”, apesar do apoio público continuado do político ao aborto e à ideologia LGBT.”

“Biden afirmou que o pontífice “estava feliz por eu ser um bom católico” e que o presidente deveria “continuar recebendo a comunhão”.” (2)

O Vaticano vai permitir que esses comentários de Biden fiquem sem desmentido? Que mau exemplo dá para tantos, pelo mundo afora, que olham para a Igreja Católica com admiração e quiçá com desejo de conversão?

A Igreja mudou sua doutrina sobre o pecado de aborto?

Enigmático silêncio sobre o aborto

A Nota da Sala de Imprensa não trata do aborto, questão gravíssima e candente, especialmente nos EUA onde padres e bispos não dão a Sagrada Comunhão à Biden. E há aqueles que violam a Lei da Igreja e concedem a comunhão aos políticos pró aborto. Razão a mais para que Francisco deixasse bem claro a posição da Igreja condenando esse infanticídio.

“Biden já havia protestado anteriormente contra qualquer medida que negasse a ele a Sagrada Comunhão por seu apoio ao aborto – uma restrição que estaria de acordo com o Direito Canônico – dizendo que o Papa Francisco “me dá a Comunhão”.”

Questionado pela LifeSiteNews se políticos pró-aborto, como Joe Biden, deveriam ter permissão para receber a Sagrada Eucaristia, o Cardeal Müller respondeu que isso seria uma “contradição absoluta”.

“Não podemos receber Jesus Cristo, nosso Criador, [enquanto] ao mesmo tempo subscrevemos uma lei que nos permite destruir as vidas que são dadas por Deus”, declarou o ex-prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé (CDF) na ampla entrevista com LifeSiteNews.” (3)

Problema crucial nos EUA

Featured Image

Tendo em vista a Conferência dos Bispos americanos o Cardeal Burke disse que “escreveu a carta em antecipação à reunião da USCCB em novembro, mas seu lançamento e tópico coincidem com o encontro do presidente Biden com o Papa hoje. Em sua carta, Burke oferece considerações sobre o Cânon 915 do Código de Direito Canônico que proíbe da Sagrada Comunhão as pessoas que estão “persistindo obstinadamente em pecados graves manifestos”.” (4)

Apesar de Biden ser um defensor ferrenho do aborto, o político se gabou de que “o Santo Padre me dá a comunhão” durante uma entrevista em que ele discutiu a negação do Santíssimo Sacramento pelo padre Robert E. Morey em novembro de 2019.

O cardeal Burke, como o padre Morey, defende o ensino de que qualquer católico que defenda publicamente o aborto não pode receber a sagrada comunhão.

Essa é a doutrina católica, e ponto final.

Desedificando os fieis … emudecendo sobre a doutrina católica

É a triste conclusão a que chegamos: deseficando os fieis … e silenciando sobre a doutrina católica.

São Pedro, sobre o qual Nosso Senhor edificou a Santa Igreja, rogue por todos nós, rogue pelo Papado, roque por Francisco a fim de sua agenda temporal passe a segundo plano, e seja substituída primordialmente pelo ensino da doutrina católica, assente nos dois mil anos da Igreja. Dar-te-ei as chaves de meu Reino, o que ligares na Terra será ligado no Céu. (São Mateus 16.18-19)

Assista também a conferencia: “Papa Francisco e Biden: a simbiose de duas cúpulas”

(1) https://press.vatican.va/content/salastampa/it/bollettino/pubblico/2021/10/29/0705/01496.html#spa

(2) https://www.lifesitenews.com/news/joe-biden-francis-communion-good-catholic/?utm_source=featured&utm_campaign=usa

(3) https://www.lifesitenews.com/news/cardinal-muller-insists-pro-abortion-politicians-like-joe-biden-cannot-receive-the-eucharist/?utm_source=home_more_news&utm_campaign=usa

(4) https://www.lifesitenews.com/news/cardinal-burke-urges-bishops-to-protect-the-eucharist-on-eve-of-meeting-between-pope-francis-and-biden/?utm_source=featured&utm_campaign=usa

Deixe uma resposta