De cima abaixo, em todos as áreas e níveis da atividade nacional, o PNDH-3 instala “conselhos”  ‒ de preferência “populares” ‒ onde a “sociedade civil” vai exercer a chamada “democracia participativa”.

Isto vale para os “direitos humanos”, meio-ambiente, Justiça, símbolos religiosos, reforma agrária, para citar poucos exemplos.

Neles, o ator principal será a “sociedade civil” cuja representação será feita notadamente pelos “movimentos sociais”.

Em outras palavras, os ativistas e agentes das ONGs ativistas a mando material e ideológico do petismo.

A idéia não é nova. É até vetusta. Ela já gerou algumas das maiores aberrações da história. Trata-se do famigerado sistema dos sovietes da ex-URSS.

Os sovietes ‒ literalmente “conselhos operários” ‒ apareceram durante os incêndios criminosos da Comuna de Paris (1871) e reapareceram na revolução comunista russa de 1905.

Os sovietes ou “conselhos” foram teorizados pela marxista Rosa Luxemburgo e os chamados “comunistas de conselhos”.

Neles “os trabalhadores se juntavam e discutiam regularmente no final da jornada de trabalho, ou continuamente, o dia inteiro” http://pt.wikipedia.org/wiki/Soviet.

A discurseira dia e noite paralisava qualquer ambiente onde se instalava o câncer “conselhista” ou soviético.

Mas, talvez fosse este um dos subprodutos mais desejados. Na paralisia, os agentes socialo-comunistas ideologicamente motivados impunham sua vontade previamente elaborada.

A galáxia dos “conselhos” transformou-se em alavanca para implantar a socialismo russo governado pela “ditadura do proletariado” do Partido dominante: o PC.

Fidel Castro e Hugo Chávez tentaram ou tentam repetir o esquema. O resultado é patente: a ditadura totalitária consumada em Cuba e em vias de instalação na Venezuela.

Na América Latina, há uma outra “tradição conselhista” talvez mais venenosa e mais próxima ao PNDH-3. Ela passa pela esquerda católica e tem sua expressão mais conhecida nas CEBs (Comunidades Eclesiais de Base).

D. Miguel Balaguer, bispo de Tacuarembó (Uruguai) esclareceu desinibidamente que o nome “comunidade de base” é “inspirado na terminologia marxista, equivalente a soviete.” http://www.lepanto.com.br/dados/NotTLnoPoder.html

E qual é o regime interno da CEB-soviete?

A autogestão socialista, meta final da falida URSS. A autogestão é também o cerne da Economia Solidária pregada pela Campanha da “Fraternidade” 2010!

A Economia Solidaria da CNBB convoca os fiéis e as CEBs a se engajarem nos “movimentos sociais” como o MST, animadores dos “conselhos”-sovietes do PNHD-3.

Por fora de discordâncias em certos pontos específicos, como o aborto e os símbolos religiosos, PNDH-3 e a Campanha da Fraternidade 2010 convergem espantosamente rumo à mesma meta: a utopia “conselhista” soviética!

 

2 COMENTÁRIOS

  1. A palavra “soviet” talvez ainda esteja um tanto ligada a “União Soviètica”. Por isso, sovietização do País pode soar como conquista do Brasil pela Rússia. Com isso, ouvindo falar em sovietização muitos ficam meio na estratosfera. Mas isso não acontece com quem é vizinho de CEBs, CPT, CIMI, etc. Quando se vê o vizinho pegar fogo, coloca-se as barbas de molho… É o nosso caso porque os soviets estão rondando por aí, como prova este site.

     
  2. É triste constatar que uma das molas propulsoras da sovietização do Brasil é a CNBB através de várias de suas iniciativas: CEBs, CPT, Campanha da Fraternidade, CIMI, etc.

     

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome