Pode o efeito ser maior do que a causa?

    O comunismo pode ser comparado a um polvo cujos tentáculos são as diversas doutrinas e métodos para destruir a civilização cristã: o aborto, o homossexualismo, o feminismo, a ideologia de gênero etc. Podemos compará-lo também a um câncer, do qual essas ideologias constituem metástases no corpo social.

    Um câncer no braço, por exemplo, dificilmente levaria um paciente ao óbito. Contudo, sem os tratamentos adequados, a sua metástase no pulmão – por ser um órgão vital – mataria mais facilmente o paciente.

    Paradoxalmente, a ideologia de gênero, mesmo sendo uma consequência do comunismo, é mais danosa à civilização cristã do que o comunismo originalmente concebido por Marx, Engels et caterva, pois o órgão que ela atinge é o  mais importante do corpo social: a família.

    A família, como diz o Prof. Plínio Corrêa de Oliveira no livro Revolução e Contra-Revolução, ocupa o principal lugar entre os corpos intermediários da sociedade que a Revolução deseja destruir: “Entre os grupos intermediários a serem abolidos, ocupa o primeiro lugar a família. Enquanto não consegue extingui-la, a Revolução procura reduzi-la, mutilá-la e vilipendiá-la de todos os modos.”

    Nessa mesma obra, o autor afirma que “a Revolução vai, pois, se metamorfoseando ao longo da História. Essas metamorfoses que se observam nas grandes linhas gerais da Revolução se repetem, em ponto menor, no interior de cada grande episódio dela”. A ideologia de gênero é, portanto, mais uma metamorfose do processo revolucionário. [i]

    O novo Arcebispo de Cracóvia, na  Polônia, Mons. Marek Jedrasewski (foto ao lado),  afirmou que a ideologia de gênero é “mais perigosa que a ideologia marxista e comunista, porque rompe toda a visão antropológica do que é o homem segundo a obra de Deus Criador”.

    Segundo o arcebispo, “Bento XVI disse que o gênero é mais perigoso que a ideologia marxista e comunista, porque quebra toda a visão antropológica do que o homem é de acordo com a obra de Deus Criador. É Deus quem criou o homem como homem e a mulher como mulher. A ideologia do gênero, pelo contrário, faz todo o possível para apagar as diferenças entre homem e mulher, o que já é um absurdo do ponto de vista biológico. Mas se você olhar para a visão do homem e da dignidade humana, percebe que não é apenas o homem singular: é uma ideologia que tem consequências dramáticas na vida e na cultura social de hoje. Por esta razão, não se pode estar aberto a esta ideologia, que é profunda contra Deus, o Criador, e contra tudo o que o próprio Cristo nos ensinou.”[ii]

    Neste sentido, o efeito parece ser maior do que a causa, mas na verdade é um estágio avançado de um “câncer” chamado comunismo que corrói os fundamentos morais desse magnífico corpo social chamado Civilização Cristã.

    ___________________________________

    [i] RCR – Capítulo IV – As Metamorfoses do Processo Revolucionário

    [ii] http://www.acistampa.com/story/il-gender-la-minaccia-piu-pericolosa-parola-del-nuovo-arcivescovo-di-cracovia-5298