Trabalhar pela Integridade Eleitoral nas eleições americanas é o que de melhor se pode fazer em favor daquela Nação e de seu povo.

O procurador-geral William Barr autorizou promotores federais em todo o país a investigarem “alegações substanciais” de irregularidades na votação, informa o NYTimes. (1)

Antes da Certificação das Eleições

TheEpochTimes publica: “Eu os autorizo ​​a prosseguir com alegações substanciais de votação e irregularidades na apuração de votos antes da certificação das eleições em suas jurisdições em certos casos, como já fiz em casos específicos. Essas investigações e análises podem ser conduzidas se houver alegações claras e aparentemente credíveis de irregularidades que, se verdadeiras, poderiam potencialmente impactar o resultado de uma eleição federal em um estado individual ”, diz parte do memorando interno de duas páginas.”

“Qualquer investigação de alegações de irregularidades que, se verdadeiras, claramente não impactariam o resultado de uma eleição federal em um estado individual, normalmente deve ser adiada até que o processo de certificação eleitoral seja concluído. Embora os procuradores dos EUA mantenham sua autoridade inerente para conduzir inquéritos e investigações conforme considerem apropriado, provavelmente será prudente iniciar quaisquer questões relacionadas às eleições como uma investigação preliminar, a fim de avaliar se as evidências disponíveis justificam novas etapas investigativas ”, acrescentou.

Integridade Eleitoral: “plena confiança nos resultados de nossas eleições”

O procurador-geral Barr enfatiza “a necessidade de abordar oportuna e apropriadamente as alegações de irregularidades na votação, para que todo o povo americano, independentemente de seu candidato ou partido preferido, possa ter plena confiança nos resultados de nossas eleições”. dizia o memorando. “O povo americano e os líderes que ele elege livremente não merecem nada menos.””

Já em 2 de setembro, na CNN, Barr declarou: “Somos um país muito dividido aqui e as pessoas precisam ter confiança nos resultados das eleições e na legitimidade do governo. E quem tenta mudar as regras dessa metodologia que por uma questão de lógica é muito aberta a fraudes e coerção (se referia ao maciço envio de cédulas pelo Correio) – é imprudente e perigoso ” (2)

Agora, que a votação foi encerrada, Barr está incentivando a equipe do departamento a prosseguir com as investigações que não eram possíveis antes da eleição.

***

A transparência nas apurações é o que mais desejamos. As palavras do Procurador geral William Barr vêm muito a propósito, nessa fase da apuração de votos, tão marcada por graves denúncias de irregularidades.

Deixe uma resposta