No Brasil, até ministério da Reforma Agrária

Reforma Agrária é uma luta sistemática e feroz contra o feudalismo

Em recente matéria, prometemos mostrar como os grandes expoentes agro-reformistas se utilizaram da expressão Reforma Agrária para se contraporem à estrutura fundiária baseada na propriedade privada da terra.

Che Guevara, o chefe guerrilheiro argentino-cubano – morto nas selvas da Bolívia – afirmou que “a base das reivindicações sociais que o guerrilheiro deve levantar, é a mudança da estrutura da propriedade agrária. (…) A luta deve desenvolver-se, pois, continuamente sob a bandeira da Reforma Agrária”. (Cfr. Oeuvre I – Textes Militaires – Maspero, Paris, 1976 Pags. 52,53).

Já o antigo Secretário Geral do Partido Comunista Chinês, Liou-Chao-Tchi, não escondia o que significava para o comunismo a expressão “Reforma Agrária”. Com efeito, para ele a “Reforma Agrária é uma luta sistemática e feroz contra o feudalismo. (…) Seu objetivo não é dar terras aos camponeses pobres, nem aliviar sua miséria: esse é um ideal de filantropos e não de marxistas”. (Cfr. Informe, de 14 de junho/1950).

Já Lenine sentenciava: “A palavra de ordem difusa na massa sobre a repartição da terra serve a nós comunistas para tornar mais próximo o comunismo.

Quando a vitória da revolução se completar, substituiremos aquela palavra de ordem por outra da ditadura comunista”. E para o MST, “as ocupações e outras formas massivas de luta pela terra vão educando as massas para a necessidade da tomada do poder e da implantação de um novo sistema econômico: o socialismo!” (Cfr. Documento Básico Do MST – Aprovado Pelo VI Encontro Nacional).

E para encerrar, vamos citar o nosso presidente Lula: “Não pensem que eu não acordo de madrugada pensando numa Reforma Agrária radical e numa distribuição de renda justa”. (Cfr. OESP, “Apelo por unidade e ameaça de expulsão”/30/4/2003)

Esperamos que o leitor tenha percebido o engodo que a expressão Reforma Agrária encobre, razão pela qual nunca deveremos dizer que somos favoráveis a uma Reforma Agrária, caso contrário faremos sempre o jogo dos comunistas, socialistas e assemelhados.

4 COMENTÁRIOS

  1. Gostaria de saber do Sr. Lula o que é uma “distribuição de renda justa”?
    Distribuição de renda é injustiça da mais calamitosa.
    Por que não fala em distribuição de trabalho, distribuição de preocupações, distribuição de stress, distribuição de obrigações, que são o pão nosso de cada dia de todo empresario, de todo agricultor, de todo proprietario???
    Bandido!!! Quando todos os verdadeiros trabalhadores conseguem vencer as agruras da vida e conseguem do suor do rosto uma renda; vem esses safados de comunistas falar de distribuição justa dessa renda???
    Essa é a maior injustiça que ja se viu na Historia!!!
    Demagogo velhaco, tenha coragem e tire a màscara. Mostre para o Brasil o que você quer verdadeiramente.

  2. Evidentemente pode haver uma reforma agrária de base cristã, isto é, respeitando a propriedade particular, e com o propósito de um melhor aproveitamento das riquezas naturais da nação. Instituição de direito natural, a propriedade, fruto do trabalho do homem (“O capital é trabalho acumulado”, Leão XIII), é um direito individual com função social. Essa reforma, de base cristã como disse, é a própria antítese dessa outra reforma, “socialista e confiscatória”, para usar uma expressão consagrada pelo prof. Plínio.

    Isto nos faz lembrar do período anterior à gloriosa Contra-Revolução de 1964, em que os comunistas encastelados no governo do sr. João Goulart, aliados aos “democrateiros” de todos os matizes, alardeavam a necessidade de se “tomar” as terras dos grandes proprietários (ou “latifundiários”, termo que empregavam como se fosse insulto) e distribuí-las ao “povo”. Até que seria interessante. Afinal, o maior latifundiário da época era o próprio Estado. (Hoje, então, nem se fale…).

    Definitivamente idéias como essa não podem vicejar em solo cristão.

  3. O comunismo não morreu e está mais vivo do que nunca. Impressiona-me muito o ódio deles pela propriedade privada. O chines disse que a finalidade do marxismo não é cuidar dos pobres é mero artifício para enganar bobos.

  4. É, fica muito claro que “reforma agrária” não é sinônimo de distribuição de terras, mas engodo socialista para “idiotas uteis” acreditarem e servirem de massa de manobra ou bucha de canhão para o comunismo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome