Se você é católico, cuidado! Sob pretexto de luta contra o “preconceito”, uma feroz perseguição religiosa.

Leia com atenção e reflita sobre os negritos que colocamos. Em vermelho nossos breves comentários.

19/05/2010

Cerca de 1,5 mil pedem criminalização da discriminação durante Marcha Contra a Homofobia

Da Agência Brasil

Brasília – Representantes do movimento de lésbicas, gays, bissexuais e transexuais (LGBT) de todo o país se reuniram hoje (19), em Brasília, para a 1ª Marcha Nacional contra a Homofobia.

A passeata contou com mais de 1,5 mil participantes. O objetivo do movimento é reivindicar a garantia de Estado laico (sem interferência religiosa nas decisões públicas), aprovação imediata do Projeto de Lei da Câmara (PLC 122/2006) que torna crime a discriminação por orientação sexual e identidade de gênero, e uma decisão favorável da Justiça sobre a união civil entre casais homoafetivos.

[O que eles entendem por discriminação? Se uma mãe não contrata uma babá lésbica, será punida e responderá queixa-crime por discriminação?]
(…)
Para o coordenador-geral da marcha, Carlos Magno, o maior entrave para o avanço dos direitos dos homossexuais é o controle exercido pela Igreja em temas que deveriam ser exclusivos do Estado.

[Quer dizer, a Igreja não poderá mais pregar contra o homossexualismo. E será perseguida se o fizer]

“Os fundamentalistas religiosos têm interferido no Estado e impedem os avanços de qualquer direito relacionado aos homossexuais, precisamos mudar isso.”

Edição: Lílian Beraldo Foto: Elza Fiúza/Abr