Moças cristãs sequestradas exibidas pelos fiéis seguidores do Alcorão
Moças cristãs sequestradas exibidas pelos fiéis seguidores do Alcorão

O mundo civilizado não saiu ainda do estupor provocado pelo sequestro de quase trezentas moças e meninas cristãs nigerianas pelos muçulmanos fundamentalistas do movimento Boko Haram, noticiaram os grandes órgãos da imprensa mundial como Le Figaro de Paris.

E, entretanto, era para o Ocidente ter sabido antes! Pois o que está acontecendo está escrito e ordenado no Corão, mas fica oculto aos católicos pela influência de um falso ecumenismo.

O chefe desse grupo fundamentalista, Abubakar Shekau, que se apresenta como inteiramente coerente com os ensinamentos do Corão, declarou num vídeo de 57 minutos:

“Eu sequestrei vossas filhas. Vou vendê-las no mercado de escravos em nome de Alá”.

Ele acrescentou também o torpe propósito de manter certo número delas como escravas, enquanto não estiverem “casadas” – obviamente à força com algum membro ou simpatizante do grupo corânico.

Chefe e membros do grupo sequestrador executam o Alcorão lido com 'sinceridade'
Chefe e membros do grupo sequestrador executam o Alcorão lido com ‘sinceridade’.

Um certo número de moças e meninas entre 12 e 17 anos já teriam sido vendidas em países vizinhos por dez dólares a unidade. Algumas conseguiram fugir e relataram ter sido objeto de sucessivos estupros.

Outras três teriam falecido em condições desconhecidas, talvez tentando escapar, e mais outras oito estariam doentes.

O adepto irrestrito do Corão divulgou também fotos de várias meninas sequestradas, as quais foram reconhecidas pelos pais.

Sempre ameaçador e colado aos preceitos do Corão, Abubakar acrescentou: “Eu já havia dito que a educação ocidental tinha que acabar. As meninas devem deixar a escola e se casar”.

As moças sequestradas poderão ser vendidas como escravas em obediência ao Corão
As moças sequestradas poderão ser vendidas como escravas em obediência ao Alcorão.

O Boko Haram reconheceu recentemente dois atentados com carros bomba em Abuja, capital da Nigéria, que mataram perto de cem pessoas. Desde janeiro, a guerra que o grupo promove no norte do país, especialmente no estado de Borno, deixou mais de 1.500 mortos.

O sequestro coletivo das infelizes e indefesas crianças provocou manifestações de rua e nas redes sociais pela sua libertação. Até Michelle Obama, mulher do presidente dos EUA, participou do movimento. Os EUA prometeram enviar especialistas e equipamentos de espionagem, inclusive drones à região trabalhada pelos islamitas.

Também estão em atividade ofensivas militares nigerianas, tendo o presidente Goodluck Jonathan pedido ajuda dos EUA, da Grã-Bretanha e da França, além dos países vizinhos como Camarões e Chade, passando por cima do espírito de independência nacional.

A agência “All Africa” noticiou que a Christian Association of Nigeria (CAN) publicou uma lista com os nomes de 180 meninas raptadas. E explicou que o atentado contra os cristãos – que constituem 90% da população da região – foi premeditado.

O pastor protestante Mathew Owojaiye condenou o ato como sendo “o auge da abominação” e convidou a “elevar lamentações até o mais alto dos Céus”. Infelizmente, dos meios católicos nacionais e internacionais, em particular da Santa Sé, não chegaram apelos religiosos proporcionados.

O consumo de drogas é habitual nesse grupo islâmico e em outros do gênero, sendo fato corrente eles atacarem pesadamente entorpecidos.

Esse atroz crime coletivo levanta a questão da sinceridade do ecumenismo com o Islã. De fato, o mundo vem sendo enganado a respeito dos ensinamentos de Maomé.

Esse engano de fundo ecumênico vem da ideia totalmente falsa de que haveria um Islã bom e pacífico que seria pregado com uma autêntica leitura do Alcorão. Depois haveria alguns fanáticos que são caso de polícia e não representam o verdadeiro islamismo.

Esta distinção não poderia ser mais falaciosa e, neste caso, criminosa. O Alcorão é a fonte ideológica de crimes como o padecido pelas meninas nigerianas.

O QUE DIZ O ALCORÃO SOBRE OS CRISTÃOS:

Encontro ecumênico cristão-islãmico na Irlanda, 16-01-2013
Encontro ecumênico cristão-islãmico na Irlanda, 16-1-2013.

Em numerosos de seus versículos, ele fulmina os que acreditam na Santíssima Trindade e na divindade de Nosso Senhor Jesus Cristo como “ímpios”, “idólatras” e “blasfemos” que devem ser reduzidos a um estado de humilhação – a dhimma – ou exterminados:

“Sim, aqueles que dizem: ‘Deus é o terceiro de três’ são ímpios (…) Se não renunciarem ao que dizem, um terrível castigo cairá sobre eles” (V, 73);

“Sim, aqueles que dizem ‘Deus é o Messias, filho de Maria’, são ímpios” (V, 72);

“Combatei contra aqueles que não acreditam em Alá, que julgam lícito aquilo que Alá e seu profeta declararam ilícito, assim como contra aqueles dos povos do Livro’ que não praticam a religião verdadeira, até que paguem o tributo, humilhados e com suas próprias mãos” (IX, 29);

“Combatei-os (…) até que não exista outra religião senão a de Alá” (VIII, 39);

“Fazei-os prisioneiros! Sitiai-os! Armai emboscadas contra eles!” (IX, 5);

“Nenhum profeta pôde fazer prisioneiros sem antes ter praticado massacres na terra” (VIII, 67);

“Não afrouxeis e não pedi a paz enquanto sejais os mais fortes” (XLVII, 35).

4 COMENTÁRIOS

  1. Paulo Kelson,

    E Finbar McCormick, professor de geografia da Queens University Belfast, esculachou os meios de comunicação por descreverem o último lugar de descanso das crianças como uma fossa de cimento (ou vala comum). Ele afirmou:

    “Como foi descrita, é muito mais provável que a estrutura seja um jazigo em forma de fosso, um método comum de sepultamento usado no passado recente e ainda hoje utilizado em muitas partes da Europa. (…) Esses túmulos ainda são usados extensivamente em países do Mediterrâneo. (…)

    “Muitas maternidades na Irlanda possuíam uma sepultura comunitária para crianças natimortas ou para aquelas que morriam logo após o nascimento. Estas ficavam, por vezes, em um cemitério nas proximidades, mas mais frequentemente em uma área especial dentro do território do hospital.” (Fonte: Site da Forbes)
    – See more at: http://ocatequista.com.br/archives/13187#comments

  2. Enquanto isso na Irlanda… Mentira desmascarada sobre esqueletos de bebês em vala comum de convento irlandês, ( para os nós cristão, mais um dos inúmeros maus exemplos de notícias fraudulentas provocadas por ideologia e preconceito*):

    “…era uma instituição que dependia do dinheiro publico. Em 1951, as irmãs imploraram ao Conselho por mais recursos. Em 1949, se encontraram com o senador Martin Quinn e falaram de como as crianças estavam sofrendo pela falta de recursos. Ele respondeu: ‘eu não gosto desse tipo de declaração que atrai tanta visibilidade’. E, vergonhosamente, os moradores da região reclamaram pelo fato do abrigo ser custeado com o dinheiro dos contribuintes.” (Fonte: The Telegraph)

    Além da penúria do orfanato, outro ponto que contribuiu para a alta taxa de mortalidade das crianças era a superlotação, já que o convento católico era uma das poucas instituições – ou talvez a única – que acolhiam crianças órfãs e indesejadas. Era comum que as crianças compartilhassem o mesmo berço e, quando uma pegava um vírus ou infecção, quase todas as demais acabavam sendo contagiadas. Assim, muitas morreram devido à tuberculose, gripe, sarampo e meningite, entre outras doenças –
    O Catequista: http://ocatequista.com.br/archives/13187#comments /

    Meu comentário: forças seculares e imprensa mundana usam das mais descaradas mentiras contra instituições cristãs por mero preconceito ou ódio contra as obras de Cristo ou ainda para esconder a falta de amor de uma sociedade perante as crianças, uma mentira infelizmente até compartilhada nas redes sociais por cristãos ingênuos e por falsos evangélicos que ainda não se converteram ao amor de Cristo. Mas a verdade prevaleceu novamente.

    “A mídia sensacionalista e irresponsável fez mais uma de suas lambanças, inventando escândalo onde não há. Alguns jornais mais cretinos chegaram a dizer que os esqueletos foram achados em um tanque de esgoto. Mas a VERDADE é que:

    os esqueletos dos bebês NÃO foram encontrados em uma fossa ou vala comum, e sim em uma sepultura comunitária, um tipo de estrutura muito comum ainda usada no passado em algumas partes da Europa;
    não há qualquer indício de que as religiosas do convento tenham levado os bebês à morte, seja por negligência ou por maus tratos. (…)

    Para que a mentira caia por terra,peço encarecidamente, divulguem essa matéria.

    Que Deus abençoe a todos!” – Cátia do Diário Alexandrino
    *Nota: “Até o momento, a Revista Forbes e um blog do historiador Tim Stanley (colunista do jornal The Telegraph) foram alguns dos poucos órgãos de imprensa que se interessaram em repercutir a reclamação da historiadora irlandesa sobre a distorção de suas palavras. A mídia global prefere ignorá-la.” Cátia http://macabeuscomunidades.blogspot.com.br/2014/06/mentira-desmascaradaesqueletos-de-bebes.html

  3. É lastimável, porém concordo plenamente com as palavras do Ednaldo.
    Não sejamos cegos, sigamos procurando conhecer todos os ensinamentos de outras vertentes e assim nos prepararmos para agirmos com responsabilidade e defesa de causa.

  4. Concordo plenamente com o texto. Na verdade, o Ocidente, dito cristão, está indiferente à tragédia das meninas raptadas. Algumas ações, na verdade, medidas de apoio, ainda não foram levadas à prática. Fico a imaginar se, em lugar das meninas cristãs, tivessem sido sequestrados 30 homossexuais. Será que Obama reagiria como tem reagido? será que a Inglaterra, a França, a Suécia, a Holanda e outros países, inclusive o Brasil, ficariam parados, esperando para ver o que acontece? Penso que não. A sexta frota americana talvez já estivesse pelas proximidades. Ainda que fosse um sequestro de homossexuais, deveria haver uma ação mais decisiva em prol dos sequestrados. Faço a comparação, porque há uma mobilização mundial em favor desse grupo (homossexuais) desproporcional, em relação a outras minorias. Não tenho conhecimento de qualquer pronunciamento, ou mobilização, em nosso País, mesmo na área diplomática. As meninas são cristãs, e são negras. Será que há uma atenção a elas, como deveria haver? Até aqui, a resposta é negativa. Com relação ao que diz o Alcorão, é a pura verdade. Numa recente entrevista com um líder muçulmano, um pastor perguntou: “Para o senhor, o que é um infiel?” Ele respondeu prontamente: “Todo não muçulmano”. O pastor replicou: “Então, voces entendem que devem eliminar todas as pessoas do mundo, que não aderirem ao Islã?!”. Porque é isso que ensina o Alcorão!. Ele ficou calado, mas essa é a verdade. Dentro de poucos anos, se Deus não intervier, e os cristãos não acordarem de sua letargia espiritual e evangelizadora, a Europa será muçulmana.Pela demografia. Como disse Kadafi, “sem bombas, e sem mísseis”. Apenas pela taxa de natalidade. Enquanto uma mulher europeia dá a luz 1,2 filhos, as mulheres islamicas têm , em média, 6 a 8 filhos!! E, quando a Europa for muçulmana, A SHARIA vai ser a Lei. E o mundo verá um verdadeiro holocausto contra todos os que não quiserem aceitar o Alcorão. Pena que esse texto, do IPCO , não é lido pela maioria dos católicos , evangélicos, e cristãos em geral. Que Deus tenha misericórdia de seu povo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome