Nossa mídia, contaminada pelo virus-propaganda pró China, repete as notícias do governo de Xi Jinping (ou PCCh): Wuhan venceu o coronavírus. Venceu?

Lamentável e antipatriótico é o acordo BAND com a Midia Estatal Chinesa. A Band poderia estar informando nosso público da realidade chinesa. Entretanto, é o contrário,  a BAND passou a ser trombeta de Xi Jinping no Brasil.

ImagemSÃO PAULO – A Rede Bandeirantes assina na próxima segunda (11) (novembro de 2019) um acordo de cooperação com o Grupo de Mídia da China, estatal criada no ano passado para reunir alguns dos principais ativos de televisão do país, como a rede aberta CCTV e o canal internacional de notícias CGTN”. (1)

Governador João Doria elogia a parceria Band China
“Parabéns ao Grupo Bandeirantes pelo acordo assinado com o China Media Group, gigante chinesa de comunicação no rádio e TV. Parceria que estreita as relações entre Brasil e China. O Governo de SP trabalha p/ ampliar ainda mais os investimentos de empresas chinesas em nosso Estado”. (2)
Lembramos, é o primeiro governador, na História de São Paulo, que paralisa e asfixia a seiva bandeirante.

https://ipco.org.br/acordo-band-e-china-vai-dando-seus-frutos-amargos-contra-a-soberania-nacional-eduardo-itamaraty-x-embaixador-chines/

Venceu? Vejamos os fatos. 70 conjuntos residenciais perdem o título: “livres de virus”

Como se sabe, a China para favorecer a si mesma, não segue os critérios de contagem da OMS. Infectados assintomáticos não são computados.

A woman wearing a face mask crosses a barricade in Wuhan China on April 7, 2020. (NOEL CELIS/AFP via Getty Images)
A woman wearing a face mask crosses a barricade in Wuhan China on April 7, 2020. (NOEL CELIS/AFP via Getty Images)

“A mídia estatal Xinhua citou o governo da província de Hubei em 6 de abril, afirmando que 70 residências (conjuntos) perderam seu título de “livres de vírus” depois que as autoridades detectaram portadores assintomáticos que moravam lá até o final do dia.

“Além disso, 87 bairros, duas aldeias e 11 cidades de Wuhan perderam seus títulos “livres de vírus”. Wuhan é a capital da província de Hubei.

“Em 5 de abril, pelo menos cinco conjuntos residenciais em Wuhan emitiram avisos sobre pessoas consideradas portadoras assintomáticas. Por exemplo, o complexo residencial Huanong Xiyuan no distrito de Hongshan descobriu que dois residentes de prédios diferentes foram diagnosticados como portadores assintomáticos nos dias 2 e 4 de abril, depois de visitarem o hospital para outras doenças.

“Durante várias semanas, o governo central relatou novas infecções domésticas de zero a um dígito em toda a China. Por exemplo, em 6 de abril, não houve (sic) novas infecções domésticas e 21 novos portadores assintomáticos domésticos.

“Mas entrevistas com cidadãos chineses e relatórios internos obtidos pelo The Epoch Times revelaram que as autoridades locais frequentemente subnotificam casos. Um conjunto de dados das autoridades de saúde de Wuhan mostrou que a cidade testou 16.000 amostras de pacientes em 14 de março, com 373 apresentando resultados positivos. Mas as autoridades registraram publicamente apenas quatro infecções naquele dia.

“Um internauta de Wuhan cuja mãe trabalha em um hospital local também compartilhou a situação atual em um vídeo on-line: “[Minha mãe] me disse que, atualmente, seu hospital recebe vários novos pacientes com COVID-19 por dia. Mas o governo não permite que o hospital denuncie. … Muitas pessoas diminuíram a vigilância [sobre o distanciamento social] porque nenhuma nova infecção relatada está permitindo que o vírus se espalhe mais rapidamente. “” (3)

É fácil à China provar: “livre de virus“; abra os portões à Imprensa estrangeira

Pelo contrário, a China cerceia internet, prende livreiros, prende ativistas pró liberdade, expulsa jornalistas. Será que a BAND vai noticiar isso?

A China expulsou jornalistas americanos, cassando inclusive a permissão para trabalhar em Macau e Hong Kong? NYT, Wall Street Journal, Washington Post

Porta-voz Geng Shuang, em coletiva de imprensa

“Em um comunicado, o Ministério de Relações Exteriores disse que a China exige que os jornalistas que trabalham para Wall Street Journal, Washington Post e New York Times devolvam, dentro de 10 dias, as credenciais.

“O governo chinês também disse que outros dois veículos, a Voz da América e a revista Time, também serão designadas “missões estrangeiras”, mas não ficou claro se os jornalistas das duas teriam as credenciais revogadas.

“Eu lamento a decisão tomada pela China. Isto apenas dificulta o trabalho da imprensa livre, que francamente seria bom para o povo chinês”, disse o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo. “Espero que eles voltem atrás.” (3)

  • * * *
  • Enquanto nossa mídia faz propaganda da China comunista, o governador Doria (e outros petistas) pedem mais “investimentos chineses”; aumentam, cada vez mais, notícias de que a China está comprando o Brasil. China é PCCh! Alerta, Brasil!

(1) https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2019/11/band-fecha-acordo-com-tv-estatal-chinesa.shtml

(1) https://twitter.com/jdoriajr/status/1193934008687714304?s=19

(3) https://www.theepochtimes.com/wuhan-lifts-quarantine-as-more-virus-patients-are-detected_3302541.html

(4) https://www.agazeta.com.br/mundo/china-expulsa-jornalistas-norte-americanos-0320

 

Deixe uma resposta