Você já conhece essa linguagem! Começou na Rússia em 1917 …

0

“O Ministério das Relações Exteriores em Pequim disse em um comunicado que “decidiu punir 28 pessoas que violaram gravemente a soberania da China e que foram os principais responsáveis ​​por tal movel em questões relacionadas à China. “

A China (PCCh) julga encontrar campo livre na administração Biden para punir e vetar esses 28 americanos. Irá a dupla Biden-Harris protestar energicamante e sinalizar retaliação diplomática? Aguardemos …

“Preconceito e ódio contra a China” …

O ministério descreveu os 28 indivíduos como “políticos anti-China” que “por causa de seus interesses políticos egoístas e preconceito e ódio contra a China e não demonstrando consideração pelos interesses do povo chinês e americano, planejaram, promoveram e executaram uma série de movimentos malucos que interferiram gravemente nos assuntos internos da China, minaram os interesses da China, ofenderam o povo chinês e perturbaram seriamente as relações China-EUA. “

Nós, brasileiros, já conhecemos semelhante linguagem nos partidos de esquerda. Essa é a linguagem dos PCs em todo o mundo e começou com Lenine, em 1917.

Também, o Terror, durante a Revolução Francesa falava dos “inimigos do povo”.

A notícia acrescenta que a “punição” vem “após a declaração de Pompeo de que a opressão do Partido Comunista Chinês (PCCh) aos muçulmanos uigures na região de Xinjiang é um ‘genocídio’ e um crime contra a humanidade.”

Outros “crimes” praticados por membros dessa lista dos 28 incluem a denúncia contra a perseguição religiosa, contra a punição e prisão de jornalistas, extração forçada de órgãos.

***

O Ministério das Relações Exteriores da China — o mesmo que arquiteta a diplomacia de guerreiro-lobo a seus diplomatas — reconhece a fragilidade do regime dirigido pelo PCCh: “interferiram gravemente nos assuntos internos da China, minaram os interesses da China”, “perturbaram seriamente as relações China-EUA”.

Então o gigante não é tão poderoso como diz a midia alinhada?

Quia nominor leo

Porque me chamo leão.

“Porque sou o mais forte; argumento do leão, numa fábula de Fedro, para se atribuir o primeiro quinhão da presa; aplica-se àquele que abusa da sua força e da sua autoridade.”(Fedro, I, 5). A fábula de Fedro precisaria ser atualizada e o leão representa — por exemplo, no estandarte da TFP — a força a serviço do direito, a nobreza da reação anticomunista, o destemor em favor da Fé.

Escreveu o Prof. Plinio: “Escolhi o leão para o estandarte da TFP, porque o leão sempre me lembrou um princípio do qual sou muito cioso, do qual faço muita questão em todos os assuntos: o princípio da legitimidade. Que o poder, a influência, a sabedoria, a glória estejam em mãos de quem de direito. Esse seria um modo muito resumido de definir o princípio da legitimidade.”

Citamos Fedro e em seguida nos desculpamos do erro de analogia. Preferimos não apontar qual animal ficaria bem representado para simbolizar o PCCh.

O PCCh não representa a China: onde as eleições livres?

Assim como a Alemanha não se confunde com o nazismo de Hitler a China não se confunde com o comunismo de Xi Jinping. Nossos artigos, mostrando os erros do PCCh, em nada interferem no amor que temos pela China verdadeira para a qual almejamos que se liberte logo do jugo vermelho.

“Não é de hoje essa falsa acusação de que criticar os erros de uma Nação é ser xenófobo.

Alguns jornais querem impor a pecha de xenofobia às justas críticas que se fazem, no Mundo Livre, ao PCCh. Ora, a China multimilenar nada tem a ver com o PCC, e, por sua vez, o PCC não representa a China.

Prova? Desde 1949, com a revolução maoísta, a China não conhece eleições livres. E por quê razão o PCC não permite Oposição nem faz eleições? Respondam o governador Doria, a BAND filiada à Midia de Pequim e outros jornais simpatizantes de Xi Jinping. (*)

Os embaixadores chineses receberam a palavra de ordem: guerreiro-lobo. No Brasil, vemos a alternância das atitudes do representante guerreiro-lobo: ora nos elogoia, ora nos ameaça. Ricos somos nós, brasileiros, dotados pela Providência de um território continental, com excelentes riquezas naturais — cobiçadas pelos chineses. Em boa hora afirmou o governo Bolsonaro que não permitirá a venda de terras brasileiras a governos estrangeiros. 

***

Outros nomes na lista incluem o ex-secretário de Saúde e Serviços Humanos Alex Azar, o ex-estrategista de Trump Steve Bannon, o ex-conselheiro de segurança nacional Robert O’Brien e o ex-conselheiro comercial da Casa Branca Peter Navarro. O ex embaixador nas Nações Unidas, Kelly Craft, também foi banido da China.

Fonte: https://www.lifesitenews.com/news/former-sec-of-state-pompeo-27-other-trump-officials-banned-from-entering-china

Deixe uma resposta