Após 2 anos de um Acordo com cláusulas secretas, entre o Vaticano e Pequim, as perseguições aos católicos continuam. E destruições de cruzes, imagens e igrejas também.

Apostate da Fé, você não será perseguido

Informa BitterWinter.org: “Durante anos, as igrejas católicas não registradas em toda a China estão sendo pressionadas a aderir à Associação Católica Patriótica Chinesa, administrada pelo governo, com ameaças e intimidações, prometendo paz de espírito e adoração sem obstruções, desde que estejam sob o controle do estado (comunista). Mas a realidade está longe disso: inúmeros locais registrados são perseguidos e intimidados, independentemente de seu status oficial.”

“O governo do condado de Linyi em Dezhou, uma cidade de nível municipal na província oriental de Shandong, fechou em junho duas igrejas filiadas à CPCA, alegando que “poucos membros da congregação comparecem às reuniões”.

***

Esclarecemos, filiadas não quer dizer necessariamente que são igrejas criadas pelo PCCh. O Acordo com o Vaticano foi interpretado e é utilizado como pressão para obrigar os católicos a ingressarem na Igreja Patriótica. De outro lado o PCCh impõe regras de registros às igrejas paroquiais e usa disso como pretexto para perseguição.

***

Casos concretos de perseguição que chegam até nós

Cotinua BitterWinter: “Em 6 de junho, todas as cruzes, outros símbolos religiosos e bancos foram removidos da igreja da aldeia Wangdangjia. A placa “Igreja Católica” acima de sua entrada era coberta com tábuas de madeira. A igreja católica na rua Cuijia logo foi fechada da mesma forma.”

“Em 19 de maio, as autoridades locais ordenaram a remoção da cruz e da estátua da Virgem Maria no topo da igreja católica da vila Wuqiu na cidade de Jinling, administrada pelo condado de Lanling da cidade de Linyi, porque “eram mais altas que o prédio do comitê da vila . ””

“Em 10 de novembro do ano passado, o governo do condado de Tancheng foi a uma igreja católica registrada para demolir sua torre do sino, uma estátua de Jesus e um pilar de cimento onde ficava a cruz removida anteriormente. Eles declararam que tais estruturas religiosas não eram permitidas. A igreja retificada agora parece um prédio residencial normal.”

Não basta ser católico aderido à CPCA

“Os católicos registrados também são reprimidos na província de Hebei, no norte do país. Uma igreja católica da vila de Zhangmengtun na cidade de Dingzhou, inaugurada em 2017 com a aprovação do governo, foi construída em estilo ocidental. Em 2 de junho, autoridades da cidade fecharam a igreja. Eles primeiro destruíram alguns dos pilares de estilo romano da igreja, removeram todos os símbolos religiosos dentro e fora da igreja, incluindo o altar e pódio, bancos e fotos das 14 estações da Via Sacra, uma pomba ornamental no telhado da igreja e pintados sobre símbolos de cruz em ladrilhos de cerâmica.

“Em meados de maio, funcionários do Departamento de Trabalho da Frente Unida e outras instituições estaduais, acompanhados pela Brigada de Segurança Nacional e policiais, vieram supervisionar a remoção de cinco cruzes de uma igreja católica no condado de Julu, administrada pela prefeitura da cidade de Xingtai. A placa com caracteres chineses para “Igreja Católica” também foi removida deste local de 83 anos aprovado pelo estado.”

“O diácono de outra igreja em Hebei, cuja cruz foi removida, e uma câmera de vigilância instalada na entrada em julho, explicou que a igreja havia aderido à CPCA, na esperança de ser deixada em paz organizando os cultos de adoração. “Mas a situação mudou e as igrejas registradas às vezes são mais assediadas do que as não registradas. Eles também têm suas cruzes removidas ”, disse o diácono. “O governo está ainda mais confiante no controle das igrejas cadastradas. Se soubéssemos disso de antemão, não teríamos aderido à CPCA.” ”

Fonte: https://bitterwinter.org/official-catholic-church-hounded-nonetheless/

Deixe uma resposta