Católicos são vítimas da aproximação do Vaticano com Pequim

    A Igreja Católica na China está num “estado desastroso” por causa da política de aproximação da Santa Sé com o governo comunista de Pequim, escreveu o Cardeal Joseph Zen Zekiun, bispo emérito de Hong Kong. Essa política prolonga a também desastrosa Ostpolitk do cardeal Casaroli com os tiranos do Kremlin, oportunamente denunciada por Plinio Corrêa de Oliveira. Um diálogo legítimo — afirmou o cardeal Zen – é uma coisa diferente de “um Papa que fala àqueles que estão assassinando cruelmente seus filhos”. E acrescentou: “O cardeal Casaroli e seus sequazes se enganavam achando ter praticado milagres, procurando uma política extremada de compromissos, mas na realidade compactuaram com governos totalitários, causando uma desastrosa debilitação da Igreja”. O cardeal chinês concluiu ressaltando que os fiéis de seu país padecem, aguardando em vão que venham de Roma os esclarecimentos indispensáveis. “Cada dia que passa é uma eternidade para suas dores. Quando afinal o Senhor atenderá suas suplicas?”

    Fonte: Revista Catolicismo, maio de 2011.