China se reafirma marxista … contra a liberdade, democracia, direitos humanos

1

A China é marxista! Apenas trocou de máscara …

“Desprezar a história da União Soviética e do Partido Comunista Soviético, demitir Lenin e Stalin, e descartar tudo o mais é nos engajar em um niilismo histórico, e isso confunde nossos pensamentos e enfraquece as organizações do Partido em todos os níveis”, afirma Xi Jinping.

Por mais que certa Mídia tente mascarar, por mais que altas personalidades procurem disfarçar o caráter declaradamente marxista da China … aí está a declaração de Xi Jinping. Em outras palavras: a China se afirma marxista. O PCCh comemora o centenário do Partido. Xi Xinping se insurge contra os valores da democracia no Ocidente.

Não se entende por que razão o governador João Doria e até o vice-presidente Mourão procuram afirmar que a China não é comunista. Por que a Midia não pergunta ao embaixador chinês sobre as declarações de Xi Jinping nas quais afirma o caráter marxista de seu governo e seu País?

“O jornal diário People’s Daily do PCC está publicando uma série muito útil “Perguntas e Respostas sobre o Estudo dos Pensamentos de Xi Jinping sobre o Socialismo com Características Chinesas na Nova Era.” A série é aprovada pessoalmente por Xi Jinping e as respostas são um resumo de seus escritos e discursos”, comenta BitterWinter.

Xi Jinping explica por que é contra os direitos humanos, liberdade

“Direitos humanos”, “liberdade” e “democracia” são conceitos burgueses, valores ocidentais que um país marxista nunca aceitará.

Campos de re educação de Xinjiang denunciados por inúmeros organismos internacionais de direitos humanos.

Continua BitterWinter: “Os “valores universais” de que Xi Jinping está falando são “os valores de‘ liberdade ’,‘ democracia ’e‘ direitos humanos ’defendidos pela burguesia ocidental moderna.” Xi Jinping é, como sempre, um marxista muito ortodoxo e divide a história humana em etapas. O estágio da “autocracia feudal” foi derrotado pelo estágio mais progressivo das revoluções burguesas. Então, o estágio do liberalismo burguês foi, ou deveria ser, por sua vez derrotado pelo socialismo marxista.”

“Os valores de liberdade, democracia e direitos humanos, explica Xi Jinping, “desempenharam um papel histórico no processo de oposição à autocracia feudal”. Durante esse processo, eles foram valores progressivos. No entanto, no quadro da teoria dialética marxista da história, os mesmos valores, que antes eram progressistas, tornaram-se reacionários no estágio histórico seguinte. “À medida que a burguesia ganhou uma posição dominante, escreve Xi Jinping, esses valores se tornaram cada vez mais ferramentas para manter o domínio do capital.”

Comemorando o centenário do PCCh

As comemorações do centenário do PCCh também reafirmam o caráter marxista do regime chinês.

Nessas comemorações nenhuma referência, nenhuma condenação, nenhum mea culpa das atrocidades cometidas pelos comunistas na China.

  • “Até hoje, o regime se recusa a divulgar o número de mortos no massacre da Praça Tiananmen, 1989, ou seus nomes, e suprime fortemente as informações sobre o incidente.”

Esse é o regime de Xi Jinping, em 2021. Se o PCCh, se o ditador Xi não concorda com o “passado” maoísta tem obrigação de fazer o mea culpa. Se não o faz … é porque continua marxista.

Condenei-te segundo as palavras de tua boca; as afirmações de Xi Jinping servem de condenação para a China de 2021: “Desprezar a história da União Soviética e do Partido Comunista Soviético, demitir Lenin e Stalin, e descartar tudo o mais é nos engajar em um niilismo histórico, e isso confunde nossos pensamentos e enfraquece as organizações do Partido em todos os níveis.” (*)

Precisávamos de prova mais clara, declaração mais contundente da adesão de Xi Jinping aos princípios marxistas leninistas? Por que ele nunca condenou a Revolução Maoísta de 1949? Deixou passar o aniversário do massacre de estudantes na Praça da Paz Celestial em 1989 sem um “mea culpa”?

***

Vejamos o que dirão o governador João Doria, aliado de Xi, o que dirá a bancada Brasil-China, a BAND filiada à midia chinesa ou o falso Centrão nesse infeliz centenário da fundação do PCCh.

Nossa Senhora Aparecida livre o Brasil das esquerdas, do falso Centrão e frustre os objetivos da CPI Covid — após meses quantas mortes evitou para o Brasil? — na tentativa de desestabilizar o governo Bolsonaro esquecendo-se talvez do próprio sentimento de patriotismo.

Brasil ainda será um grande País!

Fonte: Xi Jinping Explains Why He Is Against Human Rights (bitterwinter.org)

1 COMENTÁRIO

  1. […] Nosso Site já abordou como o comunismo chinês vê a democracia: “Os valores de liberdade, democracia e direitos humanos, explica Xi Jinping, “desempenharam um papel histórico no processo de oposição à autocracia feudal”. Durante esse processo, eles foram valores progressivos. No entanto, no quadro da teoria dialética marxista da história, os mesmos valores, que antes eram progressistas, tornaram-se reacionários no estágio histórico seguinte. “À medida que a burguesia ganhou uma posição dominante, escreve Xi Jinping, esses valores se tornaram cada vez mais ferramentas para manter o domínio do capital.” https://ipco.org.br/china-se-reafirma-marxista-contra-a-liberdade-democracia-direitos-humanos/ […]

Deixe uma resposta