Notícia de ABC News, 30 de agosto, informa que “autoridades de Taiwan exigiram na sexta-feira que a China divulgue informações sobre o desaparecimento de um cidadão de Taiwan que supostamente distribuiu fotos de tropas chinesas reunindo equipamentos nos arredores de Hong Kong”.

Há 10 dias desaparecido, “amigos e familiares não conseguiram entrar em contato com Lee Meng-chu, organizador de atividades voluntárias em uma pequena cidade no sul de Taiwan, afirmou o Conselho de Assuntos Continentais do governo de Taiwan, depois de receber pedidos de ajuda dos membros da família de Lee”.

A China não reconhece os direitos da pessoa humana

      É oportuno recordar que a China não funciona à maneira de uma democracia. “A China, governada pelo Partido Comunista, muitas vezes detém as pessoas por questões políticas e pode mantê-las em um local desconhecido por vários meses se houver suspeita de ameaça à segurança nacional”.  Imagine o leitor se isso fosse adotado em qualquer país ocidental, a midia gritaria em nome dos direitos humanos.

“”Ele pôde ser contatado enquanto estava em Hong Kong e (ficou) inacessível quando entrou na China continental“, disse o porta-voz do Conselho Chiu Chui-cheng a repórteres. “O principal agora é que precisamos entender seus movimentos e paradeiro, e eventualmente como levá-lo em segurança de volta a Taiwan“”.

Qual o crime de Lee? Fotos de tropas militares chinesas na fronteira com Hong Kong

       Lee entrou em Hong Kong em 18 de agosto, informou a Agência Central de Notícias de Taiwan. Aparentemente, ele transmitiu fotos para seu irmão e para o chefe da cidade, mostrando as tropas paramilitares reunindo equipamentos na fronteira de Hong Kong com a China continental, informou a agência.

“Os exercícios (militares) realizados na cidade de Shenzhen alimentaram especulações de que a China poderia usar a Polícia Armada do Povo para esmagar repetidas manifestações pró-democracia em Hong Kong”.

China viola o acordo com Taiwan

      Por um acordo firmado em 2009 a China deve informar Taiwan quando detém seus cidadãos.

“Autoridades de Taiwan disseram na sexta-feira que não receberam informações sobre o caso de Lee”, um consultor que viaja frequentemente à China.

“Na manhã de 20 de agosto, Lee enviou a Chen fotos das tropas ao longo da fronteira de Hong Kong, disse o prefeito. Por isso foi detido e está incomunicável na China”.

“Em outro caso recente, o ativista de direitos de Taiwan Lee Ming-che desapareceu em março de 2017 em uma viagem à China e apareceu em uma audiência na cidade de Changsha, no sul da China, em setembro daquele ano. O ativista que discutiu democracia com os chineses do continente nas mídias sociais foi condenado a cinco anos de prisão por suas atividades”.

                                               * * *

O presidente Donald Trump já advertira que a China não cumpre os tratados. Referia-se, entre outros, ao envio de opioide (Fentanyl) responsável por muitas mortes de norte-americanos. “Papel assinado, sorrisos para foto, promessa de futuro com chineses .. eu já vi essa história”. https://ipco.org.br/trump-comprova-com-chineses-nem-papel-por-escrito/

Em sentido contrário, o governador João Doria afirmou à imprensa que confia em Xi Jinping e pretente incrementar os investimentos chineses em São Paulo.   https://ipco.org.br/o-novo-credo-do-governador-joao-doria-confio-em-xi-jinping/

O que de mais simples? Os acordos com a China são na realidade com o PC chinês. A China não é uma democracia. Para comunistas, que não acreditam em Deus, do que vale um acordo?

Fonte https://abcnews.go.com/International/wireStory/taiwan-demands-china-disclose-whereabouts-missing-citizen-65288107

Deixe uma resposta