“Com 506 espécies, cidade de São Paulo abriga mais tipos de aves que todo o Chile ou Portugal”, informa Evanildo da Silveira, BBC News Brasil

          Essa notícia traz ar fresco e benfazejo a fim de contrapor a renovação do Pacto da Catacumbas (no Sínodo da Amazônia) e seu no Credo esdrúxulo, irreal e alarmista: “… diante da extrema ameaça do aquecimento global (sic) e da exaustão dos recursos naturais … “.
Diz a BBC News Brasil: “Quem anda por São Paulo, principalmente pelas áreas mais arborizadas, com olhos e ouvidos atentos e sensíveis às coisas da natureza, poderá se surpreender com a grande variedade de espécies de aves que vivem na cidade”. (Foto de JOSÉ CARLOS MOTTA-JUNIOR)

          Uma mudança (positiva) na biodiversidade

“Se prestar mais atenção ainda, deverá notar mudanças nessa biodiversidade, com algumas que estão se tornando mais comuns, como o pica-pau-da-cabeça-amarela (Celeus flavescens), a pomba asa-branca (Patagioenas picazuro), e o rapinante carcará (Caracara plancus), e outras mais raras, como o pardal (Passer domesticus)”.

No total, são 506 espécies que habitam a metrópole, segundo o Inventário da Fauna Silvestre do Município de São Paulo-2018, elaborado sob a coordenação da bióloga Anelisa Magalhães, da Secretaria Municipal do Verde e Meio Ambiente (SVMA).

“Esses números revelam que São Paulo tem mais espécies de aves que todo o Chile ou Portugal, segundo pesquisadores. “A cidade tem apenas cerca de 200 a 300 menos (espécies) do que o Canadá, a Europa e a Rússia, territórios grandes o suficiente para abrigar milhares de ‘São Paulos'”, diz João Menezes, mestre em Ecologia pela Universidade de São Paulo (USP) e observador de pássaros há 15 anos”.

* * *

Uma lufada de ar fresco nessa atmosfera poluída pelos eco-catastrofistas e fanáticos ecologistas.  Deus pôs na Natureza recursos de auto purificação e auto regeneração que os alarmistas fingem não conhecer.

O novo Pacto das Catacumbas lucraria em recordar os ensinamentos de Nosso Senhor, no Evangelho

O Credo esdrúxulo, irreal e alarmista do novo Pacto das Catacumbas, Roma, outubro de 2019: “… diante da extrema ameaça do aquecimento global (sic) e da exaustão dos recursos naturais … “.

Entretanto, ensina o Evangelho: “Olhai para as aves do céu, que não semeiam, nem ceifam, nem ajuntam em celeiros, e vosso Pai celestial as alimenta; não valeis vós muito mais do que elas? (…) Considerai como crescem os lírios do campo: eles não trabalham nem fiam, contudo vos digo que nem Salomão em toda a sua glória se vestiu como um deles. Se Deus, pois, assim veste a erva do campo, que hoje existe, e amanhã é lançada no forno, quanto mais a vós, homens de pouca fé? (…)  vosso Pai celestial sabe que precisais de todas elas. Mas buscai primeiramente o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas”. (Mateus 6:24-33).

Buscai, em primeiro lugar, o reino de Deus e sua Justiça … e todas estas coisas vos serão dadas por acréscimo. Mas, os promotores do Sínodo invertem os papéis e procedem como homens sem Fé. A Teologia da Libertação é um “abismo que atrai outros abismos”.

Fonte? https://www.bbc.com/portuguese/brasil-50132953

Deixe uma resposta