Ai de quem não aplaudir! Em Cuba nunca houve golpe e vigora a democracia como o PT gosta
Ai de quem não aplaudir! Em Cuba nunca houve ‘golpe’ e vigora a democracia como o PT gosta.

Entre os poucos governos comunistas ou bolivarianos que vão ficando no continente, o regime de Raúl Castro continua na dianteira do apoio à  presidente Dilma Rousseff para evitar seu impeachment.

Parafraseando os slogans de líderes petistas e lulistas – ou vice-versa –, Raúl condenou o “golpe de Estado parlamentar” contra o “governo legítimo do Partido dos Trabalhadores (PT)”, numa declaração oficial distribuída pelo Ministério de Relações Exteriores em Havana, noticiou o jornal “La Nación” de Buenos Aires.

Como é bem sabido, em Cuba nunca houve “golpe de Estado”, ou pelo menos Raúl Castro nunca participou de nenhum deles, defendendo sempre a legitimidade dos governos democráticos até a hora de fuzilar seus representantes.

“Setores da direita representantes da oligarquia [N.R.: é Raúl Castro quem fala, e não um líder  do PT ou do PC do B], em contubérnio com a imprensa reacionária do Brasil, apoiados abertamente pelas multinacionais da comunicação e do imperialismo, consumaram na Câmara de Deputados desse país o primeiro passo daquilo que constitui um golpe de estado parlamentar”.

Segundo a Chancelaria cubana, trata-se de um “ataque baseado em acusações sem provas nem fundamentos legais contra a democracia brasileira e contra a legitimidade de um governo eleito nas urnas pela maioria do povo”, diz a nota, redigida em favor de Dilma Rousseff.

“Este golpe contra a democracia brasileira faz parte da contraofensiva reacionária da oligarquia e do imperialismo contra a integração latino-americana e os processos progressistas da região”, sublinhou a Chancelaria da “democracia castrista”.

Gerontocracia marxista consolidada no último Congresso do PC cubano, todo um modelo ideal para o PT
Gerontocracia marxista consolidada no último Congresso do PC cubano. Todo um modelo ideal para o PT

O ditador de Cuba, Raúl Castro, voltou a insistir na ideia obsessiva de uma ofensiva contrarrevolucionária em curso na América Latina, durante a abertura do Congresso do Partido Comunista, noticiou a “Folha de S.Paulo”.

Ele se referia ao Brasil e à Venezuela, além dos recentes reveses de seus aliados da Bolívia, do Equador e da ex-mandatária argentina Cristina Kirchner.

Segundo Raúl, essa ofensiva faz parte de uma “guerra não convencional”, baseada em pressões econômicas e na exploração dos meios de comunicação empresariais contra a população dos países.

“Essa guerra não convencional não descarta ações desestabilizadoras e golpistas, como prova o que acontece contra a Venezuela e se intensificou recentemente na Bolívia, no Brasil e no Equador”, acrescentou.

“A intenção é levar ao fechamento deste ciclo histórico e desmoralizar partidos, movimentos sociais e a classe trabalhadora. Reafirmamos o apoio a todos os governos progressistas que levaram benefícios tangíveis às enormes maiorias da região mais desigual do planeta”, disse na capital da imensa favela em que foi transformada a outrora muito rica ilha caribenha.

No mesmo Congresso do Partido Comunista, Raúl Castro deixou claro qual é o tipo de democracia que ele quer no Brasil e nos países acha que está cambaleando.

O jornal espanhol “El Mundo” sintetizou assim o que foi dito Congresso: “Nem mudanças, nem reformas, nem aberturas. Raúl Castro decidiu blindar a revolução cubana durante os próximos cinco anos com uma velha guarda na qual acredita cegamente, a mesma com que combateu em Sierra Maestra há mais de meio século. Gerontocracia e imobilismo”.

Fica, querida! Mas lá, não cá!

Em poucas palavras, o modelo do que o PT quereria instalar no Brasil.

Raúl Castro foi reeleito “democraticamente” primeiro secretário geral do Partido Comunista de Cuba (PCC), o único existente na ilha, com 100% dos votos.

Como Fidel esteve ausente nas três jornadas iniciais, Raúl votou duas vezes, por ele e por seu irmão. Milagre da democracia cubano-bolivariana.

Aquele que é a mão direita de Raúl, José Ramón Machado Ventura, foi reeleito como segundo secretário, afastando toda fantasia de renovação.

Os irmãos Castro somam juntos 173 anos (Fidel 89 e Raúl 84), e embora Raúl acene com um limite para a gerontocracia marxista, os dois chegarão com 90 anos ao próximo Congresso, se é que chegam. No discurso de encerramento, Fidel reconheceu que “para todos chega a hora”.

Fidel compareceu às duras penas na sessão final, sendo ovacionado pelos 100% dos presentes. Em Cuba naturalmente não houve “golpe”, como em Brasília!

E se houvesse Senado como em Brasília, embora não seja modelar, quem votar contra a gerontocracia marxista tem garantida a prisão de La Cabaña ou o pelotão de fuzilamento, democraticamente é claro!

Não corrompam nossas crianças através da “Ideologia de Gênero”

A Ação Jovem do IPCO está promovendo uma campanha nacional de abaixo-assinados que serão enviados para o Presidente Michel Temer pedindo a exclusão da satânica "Ideologia de Gênero" da Base Nacional Comum Curricular - BNCC.

Clique aqui e assine já!

 

2 COMENTÁRIOS

  1. Fidel Castro, o maior assassino das Américas, deve calar a boca. Bandido de primeira linha, só está vivo porque Deus ainda espera a conversão dele. Mas Fidel declara que a história o absolverá. Se continuar assim, sem esperar pela absolvição divina, rumará para as trevas eternas, e terá de contemplar a imagem de suas vítimas ao lado de Che Guevara, confessando: Estamos aqui nas paragens do capeta por nossa própria teimosia e arrogância.

     
  2. QUE PAVOR DE PERDER AS MESADAS DOS MENSALÕES E ALUGUEL DOS ESCRAVOS MÉDICOS PARA MANTEREM A DINASTIA, HEM, VAMPIROS CASTRO?
    Na Coreia do Norte, também sob o governo do “Partido dos Trabalhadores”, tempos atrás, também teve uma eleição e o candidato, agora presidente Kim Jong foi “democraticamente” eleito – sem golpe algum, que proeza – conseguiu 100% dos votos, até dos opositores que mudaram na última hora, senão já sabem…
    Isso é que é a plena democracia dos “liberais” comunistas!
    Em Cuba não é diferente: os candidatos apresentados pelo partido sempre vencem e os opositores se comportam como acima!
    Interessante é que Lula e Dilma tencionavam aqui transformar o Brasil em PT – quer dizer, a nação seria encampada pelo partido e instaurariam a plena democracia”, como nos 2 acima!
    Porém, arranjaram um terrível inimigo, uma fera, que veio de dentro do lodaçal PT, que conhecia os meandros da malandragem dos componentes da mafia PT e resultou no impeachment: E Cunha!
    Com uma urucubaca dessa eles não contavam!

     

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome