Menino de 11 anos, adotado por “casal” de lésbicas, começa tratamento para mudança de sexo

Thomas no centro e suas duas
Thomas, no centro, e suas duas “mães” Debra Lobel e Pauline Moreno

O jornal inglês Daily Mail (30/9/2011) traz matéria sob o título “Menino começou uma mudança de sexo aos oito anos porque ele (e seus pais lésbicas) sabia que sempre quis ser uma menina”.

A reportagem trata da polêmica que se iniciou na Califórnia quando um menino, Thomas Lobel, 11, decidiu (será?) submeter-se a uma terapia hormonal para mudança de sexo.

Thomas, que agora é chamado de “Tammy”, foi adotado aos dois anos de idade pelas lésbicas Debra Lobel e Pauline Moreno. Ambas defendem a “decisão da criança”, alegando que é melhor a mudança de sexo ainda na juventude, mas afirmam não forçar a opção.

O tratamento impedirá que Thomas tenha uma puberdade característica de qualquer menino, como o alargamento dos ombros, surgimento de barba e voz grave.

“Em outras palavras, ela [sic!] vai ficar como um menino pré-púbere até sentirmos que ela [sic!] possa tomar essa decisão sobre a cirurgia”, disse Pauline Moreno.

Por ora prefiro não concluir. Fico sem palavras diante de tal abominação, da qual é vítima uma criança de 11 anos! Deixo os comentários ao leitor.