Great Reset, novidade ou velheira? Clima psicológico, motor e agitador da pandemia

0

O recente manifesto publicado pelo Site do Instituto constitue uma atualização criteriosa, científica, abrangente, sob a luz da razão e da Fé do “maior plano de descristianização e de totalitarismo “verde” da História”.

Em 26 de abril de 2020, o manifesto-denúncia intitulado Aproveitando o pânico da população e o apoio espiritual do Vaticano – A maior operação de engenharia social e de baldeação ideológica da História foi um alerta-denúncia minucioso, lógico, grave, enriquecido por dados e estatísticas comprovando essa gigantesca tentativa da Revolução de implantar a Nova Ordem Mundial, o velho sonho da República Universal, pintado com novas cores para atrair o gosto do século XXI.

Não queremos aqui fazer um resumo do mesmo nem sequer abordar o principais pontos do Manifesto: ele constitui um bloco para o qual pedimos leitura, atenção, reflexão e, em consequência, destemor na ação.

Nosso propósito, nesse artigo, é abordar o clima psicológico que tornou possível anestesiar e amedrontar com o pânico, o medo largos setores da opinião pública no Ocidente.

Clima psicológico e emocional nos grandes lances revolucionários

O livro-chave para se entender a gigantesca manobra psicológica — a verdadeira fumaça aliciante e inebriante que alimenta o clima emocional da pandemia da covid-19 — é Baldeação Ideológica Inadvertida e Diálogo.

Assim, “Saúde Pública”, “salvar vidas”, “fique em casa” são propriamente palavras-talismã, como as descreve o Prof. Plinio: “Trata-se de uma palavra cujo sentido legítimo é simpático e por vezes até nobre; comporta ela, porém, certa elasticidade. Empregando-se tal palavra tendenciosamente, começa ela a refulgir para o paciente com brilho novo, que o fascina e o leva muito mais longe do que poderia pensar.”

Nosso Site já publicou — cavalgando a onda midiática — o projeto do deputado paulista propondo o Passaporte-vacina. “O autor, deputado Campos Machado (PTB), considera, que por ser uma questão de “saúde pública“, a decisão de tomar a vacina não pode ser individual.”

Perguntamos: a palavra-talismã “saúde pública” passa por cima e anula todos os direitos individuais garantidos pela Constituição Federal? Quem determina o que é “saúde pública“? O deputado Campos Machado?

Baldeação psicológica: retorna a Psy War

A Guerra Psicológica (Psy War) movida pelo comunismo contra o Ocidente passou a ser expressão silenciada pela midia. Mas, vivemos em plena Psy War, um clima emocional que anestesia a razão, debilita a vontade e exacerba a sensibilidade: o pânico criado em torno da Pandemia é mais nefasto que a propria Covid-19, afirmam tantos especialistas.

Explica o Prof. Plinio que a Revolução (*) se utiliza, nas grandes manobras de Opinião Pública, de uma tenaz cujas componentes são um ponto de impressionabilidade e outro de apatia.

“Como ponto de partida, supõe o método (da baldeação ideológica), naqueles sobre os quais se aplicará, uma impressionabilidade especial quanto a determinado assunto.” E acrescenta, por exemplo, “uma desgraça presente, como a fome, ou a doença.”

Aplicando à presente guerra publicitária a propósito da covid-19: as imagens chocantes difundidas pela Mídia alarmista, cadáveres em sacos plásticos, abolição do rito religioso para funerais, difusão sistemática de notícias computando apenas infecções e mortes … não poderiam deixar de criar um clima emocional, um ponto de impressionabilidade na opinião pública.

É necessário também um ponto de apatia

Continua o Prof. Plinio:

“No início do processo o método supõe também, naqueles a quem se aplicará, um ponto de apatia ou de desprevenção simétrico com o ponto de impressionabilidade.”

Nesse fim de artigo, não queremos nos alongar sobre esse ponto ou melhor esses pontos de apatia no homem ocidental e cristão, no brasileiro de 2021, em particular. A pandemia nos colheu com outras comorbidades psicológicas, mentais frutos dessa Revolução universal que corrói o Ocidente:

— dependência cega e crédula a noticiários tendenciosos da mídia em tantos de nossos irmãos;

— o mau hábito de não analisar deixando-se levar por impressões superficiais;

— a omissão do Clero em mostrar que há valores inegociáveis como a Fé, a prática da Religião, a assistência aos moribundos que decorrem do Mandato divino: ide e evangelizai todos os povos. Esses valores inegociáveis estão abaixo da carismática expressão “saúde pública”

A Nova Ordem Mundial, Great Reset é uma novidade?

Se se pergunta se é uma novidade a Nova Ordem Mundial, o Great Reset a resposta deve ser negativa. Esse é um sonho da Revolução que tomou esse ou aquele nome no século passado: Federação Mundial, República Universal.

Entretanto, a radicalidade dos propósitos do Great Reset, seu ímpeto de massificação, de destruição das Nações, de aniquilamento da personalidade dos povos causa espanto. Um plano socialista mundial cibernético nessa envergadura não foi sonhado nem por Hitler, nem Stalin, nem Mao. Será o sonho de Xi Jinping, Bill Gates, Soros e outros do Forum Econômico Mundial realizável no século XXI? Saibamos dizer NÃO!

Lembramos um comentário do Prof. Plinio, quando se cogitava da Federação Europeia, nos anos 50: “Antes de tudo, devemos fazer sentir que a Igreja é contrária ao desaparecimento de tantas nações para constituir um só todo. Cada nação pode e deve manter-se, dentro de uma estrutura supranacional, viva e definida, com seus limites, seu território, seu governo, sua língua, seus costumes, sua lei, sua índole própria.”

“De outro lado, a estruturação econômica não deve chegar a um planejamento tal, que implique numa supersocialização. Se o socialismo é um mal, sua transposição para o plano superestatal não poderá deixar de ser um mal ainda maior.

***

Claro, acima de tudo, uma ampla liberdade para a Santa Igreja de pregar o Evangelho, cumprir o Mandato divino: Ide, e evangelizai todos os povos, batizando-os em nome do Padre, do Filho e do Espírito Santo.

Nossa Senhora Aparecida, rainha e padroeira do Brasil proteja nossa Nação das investidas socialistas, seja de lockdowns, seja da Nova Ordem Mundial, o sonho comunista de constituir a maior senzala de nações de toda a história da Humanidade.

Há pouco comemoramos o 13 de maio quando a princesa Isabel assinou a abolição da escravatura. As senzalas históricas nunca propuseram a lavagem cerebral dos escravos. O Novo Normal é uma imensa lavagem cerebral em que o homem, criado à imagem e semelhança de Deus, se tornará um teleguiado robô. Ou seja, a destruição mesma da natureza humana.

O Brasil será grande na medida de sua fidelidade a seu passado cristão e sua missão de ser exemplo para nossas caras irmãs da América e do Mundo Livre.

Deixe uma resposta