Isto NÃO é um artigo

Repercussão do artigo sobre idolatria de animais

Para alguns um animal vale mais do que uma criança

Recebi um e-mail furibundo de uma pessoa que leu meu último artigo sobre animais. Reproduzo aqui porque comprova tudo o que foi dito sobre pessoas que têm cães e gatos quase como ídolos.

Quem me conhece sabe o quão insuspeito eu sou ao criticar isso. Todas as férias de minha infância foi em fazenda, onde estive cercado de todo tipo de animais.

Gostava imensamente. Mas os tratava sempre como animais.

Resisto à tentação de comentar esta missiva para fazer um convite ao caro leitor: como o Senhor ou a Senhora responderiam a isso? Concordam ou discordam?

Escrevam na área de comentários. Sejam os articulistas dessa semana. Não precisa ser nada longo, apenas um comentário conciso, ou, como desejarem… O espaço é dos senhores!

“Senhor Luís Felipe,

Li o seu artigo semana passada e quero dizer a você que eu discordo totalmente, tá bom?

Tenho 30 anos e possuo um cargo executivo de uma grande empresa daqui do Rio, que tem filial em São Paulo e Brasília. Sou totalmente independente, solteira, mas não moro sozinha, tenho duas filhas: dois cachorrinhos lindos, uma komondor de 3 anos e uma lulu da pomerânia, de 4 anos. Se chamam Bruna e Eduarda.

Desde quando eram bebês que eu levo para passear na praia (com protetor solar, claro!) e todo sábado elas tão no salão para tomar banho, aparar as unhas (e pintar também) e fazer um check-up. Uma vez por mês eles tomam banho de ofurô, e eu aproveito para te explicar o que é, já que você perguntou: é um banho em tonel de madeira com água morna composta de ervas e óleos essenciais, além de pétalas de rosas. Serve desde para combater depressão (Eduarda ficou curada há um ano atrás), até para curar artrose, pedra nos rins e problemas de pele.

E sim! Elas têm uma correntinha de ouro com um pingente contendo o nome delas. Bruna tá escrito com rubis e Eduarda com esmeraldas. Foi caro, mas o dinheiro é meu. Qual o problema!?

Quero te dizer também que eu considero elas como minhas filhas sim! E não pretendo ter filhos de verdade porque elas SÃO SIM MINHAS CRIANÇAS!! Muito melhores, não dão trabalho, não ficam reclamando de tudo, pelo contrário, estão sempre me agradando. Não tenho que dar uma “educação” pra elas nem levar pra igreja. E quando elas crescem, nunca vão me desapontar. Quer algo melhor do que isso??

Com todas essas vantagens é claro que vale a pena mimá-las, elas merecem! Me fazem feliz!

E o que você tem com isso? Por que não cuida de sua vida em vez de ficar falando mal desses anjinhos que faz a gente feliz?

Andréia L.C.”