O Descontentamento com a China vai ganhando terreno no Mundo Livre. Um novo fator impulsiona a reação anti Pequim: a má qualidade dos equipamentos médicos no surto do coronavírus.

“Na Espanha, o Ministério da Saúde revelou que 640 mil testes de coronavírus comprados de um fornecedor chinês estavam com defeito. Além disso, mais um milhão de testes de coronavírus entregues à Espanha em 30 de março por outro fabricante chinês também estavam com defeito”.

Descontentamento também na República checa: 80% de falha

“Em 23 de março, o site de notícias tcheco iRozhlas publicou que 300 mil kits de testes de coronavírus entregues pela China tinham um índice de erro de 80%. O Ministério do Interior da República Tcheca desembolsou US$2,1 milhões pelos kits”.

A Holanda faz o recall de 1,3 milhões de máscaras chinesas

Em 28 de março, a Holanda foi forçada a fazer o recall de 1,3 milhão de máscaras fabricadas na China porque elas não atendiam aos requisitos mínimos de segurança para o pessoal da área médica.

“As assim chamadas máscaras KN95 são uma alternativa chinesa mais barata às máscaras N95, padrão americano, que estão em falta em todo o mundo. As KN95 não se ajustam ao rosto tão firmemente quanto as N95, potencialmente expondo a equipe médica ao coronavírus”.

Espanha foi enganada

Em 2 de abril, o jornal espanhol El Mundo revelou que estava de posse de documentos vazados que mostravam que a Bioeasy mentiu ao governo espanhol sobre a precisão dos testes. A Bioeasy assegurou, por escrito, que seus testes tinham um índice de precisão de 92%.

Também em 2 de abril, o governo espanhol revelou que mais de um milhão de testes de coronavírus entregues à Espanha em 30 de março por outro fabricante chinês também estavam com defeito.

Na Turquia precisão de 30-35%

Em 27 de março, o Ministro da Saúde da Turquia, Fahrettin Koca comentou que a Turquia comparou as medições com padrões específicos de alguns testes de coronavírus fabricados na China, porém as autoridades “não estavam satisfeitas com os resultados“. O professor Ateş Kara, membro da força-tarefa do coronavírus do Ministério da Saúde da Turquia, adiantou que o lote de kits de testes tinha uma precisão de apenas 30% a 35%: “Nós os aferimos. Eles não funcionam. A Espanha cometeu um erro gigantesco ao usá-los”

  • * * *
  • No Brasil, kits de teste chineses comprados pela Vale faham
  • Os testes produzidos pelas empresas na China não têm tido resultado eficaz. Segundo informou a agência de notícias Bloomberg a Espanha comprou 600 mil kits chineses e todos apresentaram defeitos. O Reino Unido adquiriu 2 milhões e também acabou gastando recursos para compra dos testes em vão. No Brasil, o governo têm comprado testes vindos da China, mas grande parte não funciona adequadamente. (2)
  • * * *
  • Pingo nos “is”: A China escondeu a origem e propagação do coronavírus; a OMS, braço da China, não quis alertar as Nações a fim de se prevenirem.
  • É o caso de uma Corte Internacional julgarem ambos? Há muitas iniciativas em curso no Mundo Livre exigindo trilhões de reembolso do PCCh.

Brasil, alerta. Aprendamos a lição sobre o nosso midiático “maior parceiro comercial”, o PCCh, que impera ditatorialmente na China.

(1) https://pt.gatestoneinstitute.org/15862/china-equipamentos-medicos-defeituosos

(2) https://www.poder360.com.br/coronavirus/testes-chineses-para-covid-19-falham-e-empresas-buscam-alternativa-confiavel/

Deixe uma resposta