“Tolerância”, “ecumenismo”, “multiculturalismo” são palavras que em nossos dias têm gozado de grande popularidade. Em artigos de jornal ou em rodas de conversa, fazer uso delas costuma granjear simpatía. Entretanto, nem todos os povos parecem estar muito inclinados a aceitar a realidade que elas expressam.

Como informa ACI de 10 de outubro, Juan Pablo Pino, jogador de futebol colombiano contratado por um time da Arábia Saudita, passeava com sua esposa em um shopping center da capital Riad, ostentando uma tatuagem do rosto de Cristo no ombro. Alguns circunstantes, ao ver a imagem, começaram a insultar o jogador, fato que logo chamou a atenção da polícia religiosa árabe. O casal ficou detido até que diretores do clube de futebol comparecessem. Caso semelhante já tinha ocorrido no ano passado, quando um jogador romeno, que jogava também em uma equipe daquele país, beijou uma cruz que tinha tatuada no braço.

O treinador da equipe de Pino, o argentino Gustavo Costas, em recente entrevista concedida a um jornal peruano, fez declarações dignas de atenção. “Em Lima, quando dirigia o Alianza [time de futebol peruano], fazia o sinal da Cruz antes de cada partida e levava sempre meu terço ao pescoço. Agora, aqui na Arábia Saudita, não posso fazer o mesmo; faço-o antes de sair ao campo, dentro do vestiário. Se me persigno, eles me matam, me apedrejam”.

Eis uma realidade capaz de chocar qualquer um de nós ocidentais, acostumados a “tolerar”, a “aceitar tudo e todos”. Que o fato nos sirva de lição. Talvez ele ajude a aumentar em nós a virtude da coerência, há muito expulsa de nossos panoramas. Antes que tenhamos de amargar em nossa pátria uma “Polícia para promoção da virtude e prevenção do vício” dirigida por homens coerentes no erro…

 

3 COMENTÁRIOS

  1. Será que não entendemos as Palavras de Cristo “Não vos conformeis com este mundo”? Se eu não se conformar com tais coisas, por que tolerá-las? Vemos mulheres tolerando o marido agressivo, arrogante; o pai intransigente; mas todos querem punir, condenar. Se vê que os islamicos não toleram a imagem, o sinal da cruz, a espirituaslidade cristã, e querem logo matar. E já disseram aqui no Brasil que nós é quem somos fundamentalistas. Temos de tolerar isto? Muitas vezes Cristo não tolerava certas atitudes dos fariseus e doutores da Lei. Cahama-os de hipócritas, sepulcros caiados…, Nos países de origens cristãs a intolerancia gera espaços aos violentos, aos hipócritas e por que? Cedemos espaços demais aos mesmos. Toleramos demais. e assim fica mesmo dificil reconquistar os espaços cedidos, a menos que aja outra CRUZADA contra os hereges. Uma cruzada diferente, mas firme de igual modo. Cerrar fileira com Maria – “Quem é essa que avança como a aurora, terrível como um exercito em ordem de batalha”. Havemos de, com Ela e Cristo, vencer!

     
  2. Quem sonha com um mundo de tolerância chegará à conclusão que o mais intolerantes dos seres é Deus com seus Mandamentos e o inferno para quem os violar e o prêmio aos que praticam com amor.

     
  3. Enquanto a maior parte dos brasileiros fala em “tolerância” de um modo omisso, de uma maneira que tenta desesperadamente justificar o seu individualismo e a sua falta de luta por um mundo melhor, os “tolerados” do Oriente são TOTALMENTE INTOLERANTES com os nossos IRMÃOS! Eu disse IR-MÃOS!

    O QUE NÓS, VERDADEIROS CATÓLICOS, DEVEMOS FAZER IMEDIATAMENTE É ENTRAR NA POLÍTICA E TOMAR O PODER, PARA SUBMETÊ-LO A CRISTO EXCLUSIVAMENTE!

    QUEM SE HABILITA?

    Fonte:
    http://olhonajihad.blogspot.com/
    sábado, 22 de outubro de 2011

    Maldivas deporta indiano por esconder uma bíblia e um rosário em sua casa
    As armas do “crime”
    Segundo noticiado pelo Compass Direct News, o indiano Shijo Kokkattu, católico de 30 anos e professor na cidade de Raa Atoll, foi deportado no último dia 14, depois de ficar 15 dias na prisão. Kokkattu foi preso depois que a polícia passou a investigá-lo por proselitismo religioso, a denúncia foi feita por colegas de trabalho que encontraram material religioso no computador da escola. Kokkattu argumentou que os vídeos religiosos eram da Índia, no entanto, ao invadirem a residência do cristão, as autoridades encontraram uma bíblia e um rosário, o professor foi preso imediatamente e levado ao interrogatório.
    Esse não é o primeiro caso do tipo no país, no ano passodo outro professor indiano cristão, foi deportado depois que os pais muçulmanos ameaçaram “jogar ele no mar” por pregar o cristianismo.
    A República das Maldivas é um pequeno país insular situado no Oceano Índico ao sudoeste do Sri Lanka e da Índia e ao sul do continente asiático. O país é considerado um paraíso turístico e recebe dezenas de milhares de visitantes ocidentais todo ano, no entanto, é um país que afirma que todos os seus mais de 300.000 habitantes são muçulmanos sunitas. Em 2008 foi estabelecido na constituição que “um não-muçulmano não pode se tornar um cidadão”. Ano passado foi aprovado mais restrições como a proibição da promoção de qualquer coisa que represente outra religião, assim como a proibição de sites, blogs, jornais que critiquem o islamismo.
    Blog De Olho na Jihad com informações do Compass Direct News

     

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor deixe seu comentário!
Por favor insira seu nome