Destaques


1 – 50,8% DAS ADOLESCENTES LÉSBICAS TENTARAM SUICÍDIO
2 – POLÍCIA FEDERAL INVESTIGA “FÁBRICA” DE ÍNDIOS NA FUNAI
3 – ORDEM, DISCIPLINA, ESFORÇO: NOVO MODELO DE ESCOLA QUE SE ESPRAIA PELO BRASIL
4 – “MASCULINIDADE SUAVE” (SIC): PÉSSIMO EXEMPLO NA CORÉIA DO SUL

Para alternar entre os tópicos, utilize os botões “Anterior” e “Próximo” abaixo:

150,8% das adolescentes lésbicas tentaram suicídio

Adolescentes que convivem com o pessoal LGBT ou ficam expostos a propaganda LGBT têm muito mais chance de se dizerem como tendo “disforia de gênero”

Pesquisa publicada pela Pediatrics[1], da Academia Americana de Pediatria, mostrou que 50,8% das jovens meninas que se identificam como rapazes (lésbicas) já tentaram o suicídio pelo menos uma vez e 40% daqueles que não se identificam nem como homem nem como mulher já tentaram suicídio pelo menos uma vez!

O estudo concerniu 120 mil adolescentes entre 11 e 19 anos e os autores são Toomey Ruyssell, Amy Syvertsen e Maura Shramko.

“Isso é muito mais do que terrível! No mundo em que ‘cada um deve seguir seu coração’, que despreza religião e o direito natural, temos adolescentes cada vez mais tristes, desamparados e se matando. [2]

***

Não pára aqui a utilidade do artigo que estamos citando.

A autora Lisa Littman mostrou que adolescentes que convivem com o pessoal LGBT ou ficam expostos a propaganda LGBT têm muito mais chance de se dizerem como tendo “disforia de gênero” (não se identificam como sexo que possuem).

Em outros termos, é a força do instinto de sociabilidade: os homens se influenciam mutuamente e a sociedade como um todo tem um grande peso na formação e nos rumos do ser humano. Fica, pois, demonstrado quanto a Agenda Homossexual é ela mesma uma arma de propaganda e um grande fator de desequilíbrio emocional para seus prosélitos.

***

Merece todo o nosso apoio a indispensável campanha, no Brasil, promovida pelo Instituto Plinio Corrêa de Oliveira alertando aos brasileiros sobre o projeto do Estatuto da Diversidade.

Façamo-nos ouvir nossa voz junto aos Presidenciáveis para resgatar a nossa juventude do caminho do suicídio coibindo qualquer fomento à Ideologia de Gênero.

[1] Transgender Adolescent Suicide Behavior
[2] http://thyselfolord.blogspot.com/2018/09/pesquisas-cientificas-1-metade-das.html

2Polícia Federal investiga “fábrica” de índios na Funai

Exemplo de “etnias” que surgiram: Segundo a Polícia Federal, o líder indígena Paulo José Ribeiro da Silva, de 39 anos, o Paulo Apurinã, não é índio.

As Delegacias da Polícia Federal de Guaíra, de Cascavel e de Foz do Iguaçu, todas localizadas no Estado do Paraná, instauraram inquéritos para investigar possíveis irregularidades na emissão dos chamados Registros Administrativos de Nascimento Indígena (Ranis) em cartórios de todos os municípios cobertos por essas delegacias.[1]

Mais de uma centena de irregularidades e fraudes em documentos

Na investigação iniciada no Paraná, a Polícia Federal já identificou mais de uma centena de irregularidades e fraudes para a emissão e obtenção de documentos, além de revelar um possível envolvimento de servidores da Fundação Nacional do índio (Funai) para facilitar o acesso dos documentos de nacionalidade brasileira aos paraguaios.

Paraguaios “viram” índios brasileiros

A investigação que questiona a forma como áreas vêm sendo invadidas por indígenas em todo o cinturão oeste do Paraná e que estão prestes a serem demarcadas pelo governo federal, ilustra inúmeras apurações de indígenas que possuíam Ranis como nascidos no Brasil e que, em sua maioria, possuem documentos atestando a nacionalidade paraguaia.

O delegado da Polícia Federal em Cascavel, Marco Smith, revela que os inquéritos devem seguir pelo menos até o fim do ano, já que quase que diariamente surgem novos elementos nas investigações que apuram a fraude. “Pelo que temos apurado, essas situações têm ocorrido em toda a região da fronteira com o Paraguai, aqui no Paraná, e no Mato Grosso do Sul. Temos mais de uma centena de casos e estamos caminhando para quase duas centenas”, revela o delegado.

* * *

Em 1988, em seu livro Projeto de Constituição Angustia o Pais, denunciou o Prof. Plinio Corrêa de Oliveira os erros e distorções que dominaram aquela Assembleia Constituinte constituindo os índios uma classe de “aristocratas da nova ordem constitucional”.

As consequências, 30 anos depois, aí estão: as demarcações de áreas indígenas vão se constituindo em territórios dentro do Território Nacional com o prejuízo da soberania nacional. O CIMI tem seu papel primordial nesse processo que tenta substituir a luta de classes pela luta de raças. (2)

(1) https://diarioms.com.br/era-o-que-faltava-policia-federal-investiga-fabrica-de-indios-na-funai/
(2) https://www.pliniocorreadeoliveira.info/Constituicao_0407.htm

3Ordem, disciplina, esforço: novo modelo de Escola que se espraia pelo Brasil

Disciplina. BBC/VICTOR UCHÔA

Sob o título “Continência, ‘inspeção de cabelo’ e tutoria de PMs: a rotina em uma escola com regras e disciplina militares” a BBC News Brasil (Victor Uchôa, Salvador) publica um artigo sobre esse novo modelo de Escola que vai se espalhando pelo Brasil. E, com sucesso.

A Escola Altair da Costa Lima não é um colégio militar, onde a prática (ordem unida, cabelos cortados, disciplina) é comum, mas é uma das primeiras instituições de ensino a receber o modelo batizado de Vetor Disciplinar, resultado de um acordo de cooperação técnica entre a Polícia Militar da Bahia e prefeituras que enxergam no método de disciplina da PM um caminho para melhorar os resultados de suas unidades de ensino básico.

Trata-se de um modelo diferente dos Colégios da Polícia Militar (CPM).

Eu assumi a direção há três anos e a escola estava decadente. Tinha vandalismo, pichação, ameaça a professores, uso de drogas. Isso acabou. Até agora, acho que essa transformação é positiva”, afirma Kátia Murta, diretora pedagógica da (Escola) Altair da Costa Lima.

“De toda a parte pedagógica e administrativa quem cuida somos nós. Os professores são os mesmos, a maioria com mais de dez anos de escola. Acho que os alunos estão mudando o comportamento não por medo, mas pelo desafio do novo”, diz Murta.

* * *

Permita o leitor uma consideração sobre o acerto da medida pedagógica para nós, brasileiros.

Ouvi, diversas vezes, o Prof. Plinio Corrêa de Oliveira dissertar sobre o modo de educar o brasileiro. Ele, brasileiro que se ufanava de ser totalmente brasileiro, — portanto, com a miscigenação própria a nosso povo — conhecia bem as qualidades com que Deus dotou o brasileiro mas sabia também de nossas más inclinações, às quais uma pedagogia acertada iria corrigindo.

Felizmente, foi-se o tempo dos ventos fétidos e anarquistas da Sorbonne de 68, em que os slogans “é proibido proibir”, “a imaginação tomou conta do poder”, ou “ainda que Deus existisse seria necessário suprimi-LO”. Esses maus odores, de 50 anos atrás, contaminaram as gerações subsequentes; mas eis que os filhos dos filhos se voltam para a Ordem, a Disciplina, o Esforço. Com isso se construirá o Brasil: Este ainda será um grande País!

https://www.bbc.com/portuguese/geral-45491630

4“Masculinidade suave”: Péssimo exemplo na Coreia do Sul

‘Khonminam’, uma combinação das palavras ‘flor’ e ‘homem bonito’, é o termo usado para se referir à masculinidade suave

Ainda a BBC nos dá uma notícia que não poderia ser mais contrastante (à moda negativa) com essa excelente inciativa da Disciplina, Ordem, Esforço no Ensino Secundário no Brasil — comentada acima – a chamada “masculinidade suave”, que vai se propagando na Coreia do Sul.

Existe um termo na Coreia do Sul: khonminam, uma combinação das palavras “flor” e “homem bonito”.

Continua a notícia:

Para quem se sente incomodado com homens que usam maquiagem, a rotina de um salão de beleza masculino no distrito de Gangnam, em Seul, na Coreia do Sul, pode ser desconcertante.

O maquiador Han Hyun-jae passa com desenvoltura base, delineador e batom em um homem.

Ele escolhe entre uma variedade de produtos e marcas que são provavelmente mais conhecidas das mulheres. E faz os retoques finais ao que chama de “visual K-pop”, como é conhecido o fenômeno popular da música coreana.

Vou poupar o leitor de outros detalhes como maquiagem masculina para casamentos, pintar os lábios de vermelho etc.

Lembro apenas que Deus criou Homem e Mulher, cada um para um papel especifico na sociedade e na família.

De onde vem essa “moda” para homens coreanos

Diz Han, acrescentando que os homens entram em seu estabelecimento querendo se parecer com os ídolos de seus grupos musicais favoritos.

Nos últimos anos, tanto as bandas de K-Pop quanto as séries de televisão, conhecidas como K-dramas, se tornaram a maior influência para os jovens no país e, no ano passado, esse gênero explodiu em outras regiões, como nos Estados Unidos e no Reino Unido.

Nos anos 1980 e 1990, a estética masculina consistia predominantemente de ternos, relógios de luxo e uma forte aparência masculina.

Na Coreia do Sul, o serviço militar obrigatório moldou e definiu a ideia do que seria um homem atraente.

Se essa “moda” tomar a juventude masculina da Coreia do Sul – fica confirmada a tese de Clausewits: para ganhar a guerra basta tirar do adversário a vontade de lutar.

E o ditador da Coreia do Norte não encontrará mais adversários à sua expansão na península.

https://www.bbc.com/portuguese/geral-45434713

Deixe uma resposta