Destaques


1 – CUBA MENTE E INSULTA O BRASIL
2 – O NOVO DITADOR MUNDIAL: A CHINA QUER, A CHINA NÃO QUER
3 – VALORES MORAIS: TAIWAN PELA FAMÍLIA E CONTRA A IDEOLOGIA DE GÊNERO
4 – ABORTO: IRLANDA DÁ MAIS UM PASSO RUMO AO ABISMO

Para alternar entre os tópicos, utilize os botões “Anterior” e “Próximo” abaixo:

1Cuba mente e insulta o Brasil

Ocupação Escritor , professor visitante da Universidade Internacional da Flórida.

Br18, 26/12, transcreve insultante comentário do jornal Granma (único de Cuba e porta voz do regime): “foi uma “honra” para o país ter sido desconvidado para a cerimônia. Para Cuba, seria degradante estar na posse da pessoa “que foi capaz de colocar em risco a saúde de milhares de brasileiros” por causa do Mais Médicos”.

“O texto do Granma também critica a visita do professor opositor ao regime cubano, Orlando Gutiérrez-Boronat, a Bolsonaro, no dia 20, a quem o presidente eleito chamou de “um dos principais denunciantes das atrocidades cometidas pela ditadura daquele país”.

Em boa hora o presidente eleito afirmou que “Cuba se alimentou de bilhões de reais de impostos dos brasileiros em nome do Foro de SP e em detrimento de seus cidadãos. Não convidar seu ditador para minha posse foi mais um de meus acertos”.

* * *

Assim são os comunistas cubanos: não aceitam oposição ao regime e ainda acusam o Brasil no cancelamento dos cubanos no Programa Mais Médicos.

Fonte: https://br18.com.br/desconvite-rende-bate-boca-com-cuba/

2O novo ditador mundial: A China quer, a China não quer

Esta é a comunista China que quer ditar os destinos do mundo.

A china quer:

Luís Fernando Novaes, comentando em 10 de dezembro a notícia de Epoch Times, escreve: “A China pressiona veementemente o lado canadense a libertar imediatamente a pessoa detida [Meng Wenzhou] e a proteger seus direitos legais, caso contrário ‘o Canadá deve assumir total responsabilidade pelas graves consequências causadas’, segundo uma declaração de 8 de dezembro do Ministério das Relações Exteriores da China”.

“Eu acho que isso é muito típico do comportamento da China”, disse Brian Lee Crowley, diretor do Instituto Macdonald-Laurier. “Eles agem como se comportam internamente, onde cada instituição na China deve se submeter à vontade do Partido Comunista”.[1]

A China não quer:

Notícias UOL, 24/12, (AFP) a “China afirmou nesta segunda-feira que se opõe “categoricamente” ao pedido de Canadá e Estados Unidos de libertação de dois cidadãos canadenses. “A China expressa uma grande insatisfação e se opõe categoricamente às declarações formuladas por Canadá e Estados Unidos”, disse a porta-voz do ministério das Relações Exteriores, Hua Chunying, em uma entrevista coletiva. “Fazemos um apelo aos países em questão para que respeitem sinceramente a soberania judicial da China”, completou.[2]

* * *

A China quer se impor no cenário internacional como árbitro, omnipotente e onipresente.
O “querer” ou “não querer” do PC chinês passa a ser a lei universal.

Haverá quintas colunas no Ocidente que dirão: vamos ceder porque senão a China fica furiosa.

Fonte: 1 – https://www.epochtimes.com.br/regime-chines-pressiona-ottawa-sobre-prisao-da-cfo-da-huawei-ignorando-estado-de-direito-do-canada/
2 – https://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/afp/2018/12/24/china-se-opoe-categoricamente-ao-pedido-de-libertacao-de-canadenses.htm?

3Valores Morais: Taiwan pela família e contra a ideologia de gênero

A Coalizão da Felicidade desafiou a ideia romântica de que todos os homossexuais querem imitar a vida monogâmica. Em vez disso, a coalizão retratou o problema central como normalizando estilos de vida com implicações sociais negativas. Em destaque o Pe. Chan.

Em recente referendo, do qual participou 66,1% dos eleitores, cerca de 19 milhões de pessoas, a população de Taiwan reafirmou o casamento tradicional entre homem e mulher e rejeitou a ideologia de gênero.

A notícia nos vem do site ncregister, Victor Gaetan, 18/12, procedente de Washington: “Os resultados foram 72,5% “Sim”(ao casamento tradicional) e 27,5% “Não” sobre a questão-chave, Ítem 10: “Você concorda que o casamento definido no Código Civil deve ser restrito à união entre um homem e uma mulher?”

“Uma questão relacionada, Item 11, perguntou aos eleitores se eles querem descontinuar (cancelar) a ideologia de gênero para estudantes de 6 a 15 anos, um programa aprovado pelo legislativo em 2004: “Você concorda que o Ministério da Educação não deve implementar as Regras de Execução para Equidade de Gênero? Lei da Educação nas escolas elementares e médias? ”

“Em resposta, 67,4% votaram “sim”, enquanto 32,6% disseram “não””.

* * *

Taiwan dá ao Ocidente uma bela lição sobre os Valores Morais. É de se notar que apesar da baixíssima porcentagem de católicos, a notícia informa que eles tiveram peso muito ponderável no resultado do plebiscito, em defesa da família tradicional.

Fonte: http://www.ncregister.com/daily-news/how-taiwans-silent-majority-blocked-same-sex-marriage-momentum

4Aborto: Irlanda dá mais um passo rumo ao abismo

Michael Daniel Higgins atual presidente da Irlanda (desde 2011).

LifeSiteNews, 20/12, informa que o “presidente Michael D. Higgins assinou a nova lei pró-aborto do país.”

“A legislação, aprovada no parlamento no início deste mês, permite abortos por qualquer motivo até 12 semanas de gravidez e até seis meses em uma ampla variedade de circunstâncias. Também forçará os contribuintes a pagar por abortos e obrigar os hospitais católicos a realizá-los”.
Forçando a consciência dos profissionais
O projeto de lei também limita estritamente as proteções de consciência para profissionais da área médica, e centenas de médicos e enfermeiros temem ser forçados a ajudar a abortar bebês em gestação ou perder seus empregos.

Um “dia histórico” para o mal

“O ministro da Saúde, Simon Harris, que impulsionou a legislação pró-aborto, chamou a quinta-feira de um “dia histórico” para a Irlanda, de acordo com a Newstalk”.

Como se sabe, historicamente, a Irlanda “foi um forte protetor das mulheres, com algumas das taxas mais baixas de mortalidade materna do mundo”.

* * *

Assim procede a Irlanda dando mais esse passo rumo à barbarização, à descristianização, à matança de inocentes.

Irlanda rejeita seu passado católico e retrocede ao neo paganismo infanticida neste terceiro milênio.

Saibamos nós, brasileiros, ab-rogar as leis pró aborto aprovadas na era petista.

Fonte: https://www.lifenews.com/2018/12/20/ireland-president-signs-bill-mandating-free-abortions-forcing-hospitals-and-doctors-to-do-them/?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+lifenews%2Fnewsfeed+%28LifeNews.com%29

Deixe uma resposta