Polícia de Hong Kong prende Cardeal Zen; de que vale o Acordo Vaticano-Pequim?

1

Pequim mandou prender o Cardeal nonagenário, Joseph Zen, que tem feito reiteradas críticas ao Acordo Vaticano-Pequim, renovado por Roma, em setembro de 2020. O Cardeal emérito de Hong Kong defende também as livres manifestações populares de Hong Kong face à ditadura comunista de Pequim.

Asssista ao vídeo do nosso Site: https://www.youtube.com/watch?v=_HmqT9sVKLo

Pequim, violando Acordo com o Reino Unido (firmado em 1997) sobre Hong Kong — válido por 50 anos ! — promulgou a Lei de Segurança para Hong Kong, uma medida ditatorial que sufocou as manifestações pró liberdade naquela cidade livre. Em razão dessa violenta LSN Pequim mandou prender o Cardeal nonagenário, Joseph Zen.

As reações do Ocidente, contra a LSN, foram medrosas.

A Ditatorial Lei de Segurança Nacional de Hong Kong

Exatamente com base na ditatorial Lei de Segurança Nacional de Hong Kong — imposta por Pequim — os líderes dos protestos gigantescos pedindo liberdade foram presos ou estão sendo perseguidos.

Líderes presos, cardeal Zen, ao centro

“O Partido Comunista Chinês (PCCh) impôs a Lei de Segurança Nacional em Hong Kong em junho de 2020 e a tem usado para reprimir vozes dissidentes, punindo qualquer pessoa considerada por Pequim como envolvida em atos de terrorismo, subversão, conluio com forças estrangeiras, e secessão. Esses crimes acarretam uma pena máxima de prisão perpétua. Mais de 100 figuras pró-democracia foram presas ou acusadas de acordo com a lei”, comenta TheEpochTimes.

Hong Kong (polícia chinesa) prende Cardeal Zen, 90 anos

O Cardeal Zen está na mira do governo comunista chinês há muito tempo. Em janeiro, a imprensa pró-establishment publicou quatro artigos acusando-o de incitar estudantes a se voltarem contra uma série de medidas governamentais em 2019.

“O cardeal é odiado por Pequim por suas críticas ao controle do Partido Comunista Chinês sobre as comunidades religiosas. Ele condenou a retirada de cruzes de fora das igrejas na China e ao longo dos anos celebrou missas em memória dos mártires de Tiananmen” (conhecido como massacre de estudantes na Praça da Paz Celestial) “em Pequim: jovens massacrados pelas autoridades em 4 de junho de 1989 por pedirem liberdade e democracia. O cardeal também se opõe ao acordo assinado entre o Vaticano e a China sobre a nomeação de bispos, “segundo comenta TheEpochTimes.

Defensor aberto dos direitos civis em Hong Kong e na China continental, Card. Zen muitas vezes participou de audiências nas quais réus políticos e ativistas pró-democráticos acabaram na prisão sob a acusação de violar a disposição de segurança nacional.

Sala de Imprensa da Santa Sé não protesta junto a Pequim

Respondendo às perguntas dos jornalistas, o diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, Matteo Bruni, afirmou o seguinte: “A Santa Sé recebeu com preocupação a notícia da prisão do cardeal Zen e está acompanhando a evolução da situação com extrema atenção”.

A notícia de Vaticannews não faz referência à violação do Acordo renovado em setembro de 2020 e menos ainda se refere a um protesto da Santa Sé junto ao governo comunista de Pequim ou a seu títere em Hong Kong.

Como católicos, lamentamos profundamente essa omissão. O governo comunista chinês vive intervindo e protestando contra qualquer alusão que se faça no Ocidente que possa “ofender” ou “menosprezar” Pequim. Temos visto reiteradas intervenções do embaixador chinês e suas abusivas notas contra o Brasil.

Como se vê, infelizmente, nenhum vigoroso protesto do Vaticano contra essa arbitrariedade comunista chinesa prendendo um Cardeal da Santa Igreja.

O Cardeal Zen pagou fiança e está em liberdade, porém, o processo contra ele continua.

Seus crimes: denunciar a perseguição de Pequim contra fieis, padres e bispos, forçando os clérigos a aderirem à Igreja Patriótica. Dar apoio às manifestações em Hong Kong em favor de liberdade.

O pretexto da prisão, segundo a midia: a “investigação policial se concentra no possível “conluio” do Fundo 612 (apoiado pelo Cardeal Zen) com forças estrangeiras, em violação à lei draconiana de segurança nacional imposta por Pequim no verão de 2020. A finalidade do Fundo 612 consistiu em atender milhares de manifestantes pró-democracia envolvidos nos protestos de 2019, fornecendo-lhes ajuda médica e advocatícia.

Não pactuar com a perseguição religiosa na China, eis um importante aspecto da conduta do Cardeal Zen.

Fonte: https://www.theepochtimes.com/hong-kong-police-arrest-90-year-old-cardinal-joseph-zen-under-national-security-law_4460156.html

https://www.asianews.it/notizie-it/Hong-Kong,-arrestato-il-card.-Zen-55783.html

https://www.vaticannews.va/es/vaticano/news/2022-05/hong-kong-preocupacion-santa-sede-arresto-cardenal-zen.html

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta