Quem diria, há 3 meses atrás, que uma pandemia pudesse ser usada como plataforma para políticas de esquerda. Pois bem, é o que estamos assistindo. E a miséria, fruto da quarentena socialista, desponta em Pequim. Ainda é tempo do Brasil acordar!

Nos EUA, no Brasil os governadores de esquerda são pelo arrocho das liberdades, pela quarentena indiscriminada. Taiwan, Hong Kong tiveram o êxito total, sem quarentenas.

China, o modelo (da OMS) de quarentena indiscriminada, se debate com uma crise de empregos sem precedentes: 600 milhões com 140 dólares mensais. https://ipco.org.br/o-brasil-vai-pagar-o-preco-da-quarentena-chinesa-600-milhoes-ganham-140-us-mensais/

O feitiço contra o feiticeiro

Os esforços médicos, no Brasil e no mundo inteiro, vão desmentindo a propaganda da esquerda. As curas aumentam, as mortes decaem. E a quarentena vai perpetuar contra as evidências dos fatos?

E as doenças nervosas, fruto inevitável de um confinamento forçado, não entram em consideração nessa pretensa defesa da vida?

E o poder aquisitivo da população mais necessitada, impedida do trabalho ganha pão?

As mortes, dia a dia, decrescem desde 8 de abril.

A curva de recuperações vai em ascensão desde abril.

Esse progresso na recuperação se dá apesar da pressão da esquerda internacional contra o uso da hidroxicloroquina. Até a OMS pôs a hidroxicloroquina na quarentena … para estudos.

Quando volta o bom senso?

Recentes notícias dos EUA mostram o declínio de mortes em vários Estados. Até o governador de esquerda de NY reconheceu: morreu menos pessoas.

***

Que a Divina Providência leve para longe de nosso Brasil essa fumaça maléfica do clima histérico criado em torno do coronavírus.

É mais do que passada a hora dos Srs Bispos cessarem o lockdown dos Sacramentos. Lockdown é agenda da esquerda, da China, dos governadores-interventores.

Fonte:

 

Deixe uma resposta